Zé Roberto explica negociação com Dínamo Krasnodar



José Roberto Guimarães conversou ontem com o blog sobre a negociação com os russos do Dínamo Krasnodar.

Segundo ele, o acordo, que estava praticamente fechado, acabou não sendo oficializado por alguns detalhes.

– Estava inclinado a aceitar, sim. Já tinha acertado até apartamento lá, faltava apenas o OK final. Mas acabou que, por alguns detalhes, não deu certo. Eles fizeram uma proposta e eu fiz uma contraproposta durante esse tempo. Queria passar um mês lá e depois aproveitar a Europa para estudar, ver jogos. E depois voltaria para lá. Tinha intenção de levar o Paulinho (Paulo Coco) e ele dirigiria o time no meu lugar nestas ausências.  Mas ele ficou sem saber, em dúvida se valeria a pena. Como os russos precisavam de uma resposta urgente, acabaram oficializando o Ushakov, que seria o meu outro assistente lá. Ele que iria iniciar os treinos enquanto nós estivéssemos com a Seleção Brasileira – explicou Zé Roberto.

Assim, Zé ficará mesmo como treinador exclusivo da Seleção, função que já havia acertado com a CBV. Sua programação, após o término da temporada de seleções, que inclui em 2014 Grand Prix e Campeonato Mundial, é viajar pela Europa para acompanhar de perto as jogadoras brasileiras (Sheilla na Turquia, Fernanda Garay e Fabíola no próprio Dínamo Krasnodar), além de ver adversárias das principais seleções do planeta.

– Fiz dois ciclos olímpicos assim. A ideia é estudar muito, ver o nível lá fora. Vou correr a Europa, ver a Champions…

Na próxima semana, a Seleção treinará em São Paulo até quarta-feira e depois viajará para os Estados Unidos. Lá, fará quatro amistosos contra a seleção local: dois deles em Los Angeles e mais dois no Havaí. Nesta viagem, Zé levará 16 jogadoras. Para o Grand Prix, terá de escolher 14.

 

 



MaisRecentes

Evento na Polônia reúne craques históricos do vôlei



Continue Lendo

Um fim de semana para esquecer na Bulgária



Continue Lendo

Raridade: Brasil perde a segunda seguida por 3 a 0



Continue Lendo