Yes, they can!



A seleção dos Estados Unidos é a nova campeã da Liga Mundial. Vitória, neste domingo, em Florença (ITA), sobre o Brasil por 3 sets a 1, parciais de 31-29, 21-25, 25-20 e 25-23.

Título merecido pela apresentação de hoje. Merecido também pelo conjunto da obra em toda a competição.

O ponta Sander, talvez a grande revelação do vôlei mundial, foi o maior pontuador: 24 acertos. Tem muito potencial ofensivo o garoto de 1,96m. Em alguns lances, tinha a impressão de estar vendo Giba, em seus melhores dias, tamanha a explosão e a velocidade do ataque.

Fiquemos de olho também no levantador Christenson, outro novato com excelente potencial.

Entre os mais rodados, Matt Anderson terminou com 23 pontos. Bela atuação também. E David Lee, central meio marrento, que marcou sete pontos de bloqueio. Tirou Lucão do jogo e foi decisivo em vários momentos.

E vale uma menção do técnico John Speraw. Ele montou uma linha de passe com quatro jogadores diante dos principais sacadores brasileiros. Shoji, Sander, Rooney (depois Muagututia) e Anderson, um oposto que sabe passar. E, justiça seja feita, a bola chegou redonda na mão do levantador Christenson em grande parte da decisão.

E assim foi adiado o sonho brasileiro do decampeonato, que está batendo na trave desde 2010. Mas, sejamos honestos: estar na final já foi uma conquista para um time, que teve um aproveitamento de 50% nesta edição: 8 vitórias e 8 derrotas. O Brasil evoluiu bastante no fim da fase de classificação, teve belas atuações contra Rússia e Itália, voltando a ter performances dignas de tudo o que representa no cenário internacional. Ficam ensinamentos para o Mundial da Polônia, a meta da temporada.



MaisRecentes

Brasil terá dupla europeia pela frente na fase final



Continue Lendo

Não dá pra achar normal jogar duas vezes em 13h



Continue Lendo

Mais seguro, Brasil vence e está nas finais da Liga das Nações



Continue Lendo