VT? Com Jaque em alta e Sheilla apagada, Brasil vence outra



Ao ver a vitória do Brasil sobre a Itália (25-21, 25-16 e 25-15), neste sábado, highlights da estreia contra a China, na sexta, povoaram minha mente. Principalmente graças às atuações de Jaqueline e Sheilla.

A ponta mais uma vez foi bem, assumindo o protagonismo no ataque, um fundamento que nunca foi seu forte. No total foram 16 pontos, a maior anotadora do Brasil, sendo 14 deles no ataque.

Já a oposto, que deveria ser a principal opção para definição dos pontos, marcou apenas quatro, muito pouco. Comparando, Monique, a reserva, que entrou apenas em inversões do 5-1, teve três acertos.

Incomum tal repetição diante de chinesas e italianas. O lado bom da notícia é ver Jaqueline, depois da temporada de inatividade da atleta e da ausência nos amistosos contra os Estados Unidos, sendo peça-chave na engrenagem ofensiva da Seleção. Neste aspecto, vale lembrar ainda que Fernanda Garay, maior pontuadora na estreia, também foi bem ofensivamente (13 pontos, todos no ataque), minimizando a atuação ruim de Sheilla.

Zé Roberto sabe que para ir longe, principalmente no Campeonato Mundial, precisará da oposto em outro estágio, chamando a responsabilidade e sendo decisiva, como já se acostumou a fazer na Seleção. Não é motivo ainda para alarmismo ou pensar em uma substituição. Apenas uma constatação neste início de trabalho.

Pela Azzurra, mais notícias ruins do que boas para Marco Bonitta. Sem Lucia Bosetti, que se lesionou na estreia, a responsabilidade para definição ficou para as experientes Piccinini e Centoni. A dupla somou 22 pontos, mas sentiu falta de ajuda. Ferretti acionou pouco as centrais Arrighetti e Chirichella, enquanto Del Core esteve apagada. Assim, o Mundial em casa pode ser bem decepcionante para a Itália.

Por fim, vale o registro que os seis pontos somados pelo Brasil diante de China e Itália, rivais diretas, são importantíssimos para a classificação entre os quatro melhores para a fase final do GP.

 

 

 



  • Paulo

    Sheilla quase não está recebendo bola, era de se esperar a baixa pontuação.

    • Alan

      Sheiilla não recebe muita bola porque quando recebe não vira. Simples assim. O mais limitado dos levantadores sabe que se quiser ganhar o jogo não pode insistir com um atacante que não está rendendo absolutamente nada.

      • Marcelo

        De acordo com as estatísticas este é o aproveitamento da oposto em dois jogos:
        -> contra a China: recebeu 31 bolas e fez 8 pontos (aproveitamento 25,81%) – Garay 29 bolas e 51,72%; Jaque 32 bolas e 40,63% de acerto;
        -> contra a Itália: 13 bola e 3 pontos (23,08%); Garay (23 – 13 pontos – 56,52%); Jaque: 28 – 14 pontos – 50%).

        Ou seja, as pessoas precisam ver as estatísticas para ver como esta jogadora está sendo protegida há mais de uma década, com a transformação de toda oposta boa em ponteira, para depois estas ponteiras serem jogadas às cobras.

      • Aline

        Sheilla nao esta apagada! Sheilla so eh a principal opcao de ataque com PASSE RUIM! Com PASSE NA MAO o BRASIL joga com velocidade. Brasil tem q jogar como BRASIL e nao como RUSSIA q so joga com BOLA BALAO sobrecarregando uma so jogadora, como a GAMOVA, por exemplo.
        Que diferenca jogar com PASSE NA MAO!
        Com PASSE BOM o jogo FLUI, as levantadores tem tranquilidade p/criar e distribuir.
        Com NATALIA, o BRASIL perdeu 4 jogos p/os EUA. Com JAC, o Brasil ganhou 2 jogos FACEIS contra CHINA E ITALIA.
        NATALIA nao pode ser PONTEIRA-PASSADORA DE SELECAO, so esta la pq eh protegida do ZE. A reserva imediata da Jac deveria ser a Michelle Pavao, que tem as mesmas caracteristicas da Jac, organizando o fundo de quadra, dando seguranca p/as levantadorastrabalharem.
        SHEILLA esta pontuando menos por opcao da DANI LINS. C/PASSE NA MAO, Dani esta abusando das BOLAS CHUTADAS com as ponteiras e com as jogadas curtas com as CENTRAIS.
        A SHEILLA pontuar pouco eh um BOM SINAL, pq pelo que vi dos jogos, o BRASIL esta dependendo POUCO das BOLAS DE SEGURANCA, pois o PASSE tem sido muito regular.
        Quer ver SHEILLA pontuar mais? Basta tirar JAC de quadra e por NATALIA p/QUINAR UNS PASSES
        BASICOS. Dessa forma, veremos nossa oposta sera muito mais acionada e sobrecarregada!
        Sheilla NAO ESTA APAGADA, pelo contrario, esta ali PRONTA P/DECIDIR, se necessario! O fato eh q nossas ponteiras estao se virando bem nas CHUTADAS, pegando BLOCS QUEBRADOS, sendo pouco necessario o jogo de BOLAS ALTAS COM A OPOSTO.
        SHEILLA tem contribuido muito na defesa, no saque e na defesa, e, sendo preciso, ELA DECIDE no ataque.
        Alem disso, temos a MONIQUE, uma oposta habilidosissima, que tem entrado muito bem nas inversoes do 5×1. Estamos MUITO BEM DE OPOSTAS, tanto SHEILLA qto MONIQUE sao opostas de MUITA HABILIDADE, que variam muito seus golpes e tbem ajudam muito defensivamente, sao opostas MODERNAS q nao VIVEM SO DE ATAQUE, pois executam bem os outros fundamentos tbem!
        No GRAND PRIX, eh permitido levar as 14 jogadoras p/o jogo, se a LEIA eh libero e pode entrar a qquer momento, pq o ZE nao a utiliza? Pq nao deixa a Leia participar um pouco, ganhar ritmo nem q seja so p/ defesa, qdo o Brasil estiver sacando?
        Afinal de contas a entrada da libero nao queima nenhuma substituicao. Aposto q a Leia ta doida p/jogar!

  • Paula Cerqueira

    Infelizmente o Brasil está jogando sem oposta. Sheilla ñ está fazendo nada. Grande oportunidade para o Zé dar chance a Monique q em 3 min de jogo fez mais q Sheilla na partida toda.

    • Roberto

      Apoiado, já passou da hora, bota qualquer reserva, mas tira essa garota, que até o momento está sendo um peso morto, sobrecarregando as ponteiras.

  • Luiz

    Mais um Grand Prix nivelado por baixo, e pelo segundo ano consecutivo a seleção vai vencer sem precisar jogar bem.

  • marcian

    Bom, testar jogadoras que é bom, nada! Espero sinceramente que na próxima etapa, Tandara e Ana Tiemi sejam aproveitadas. E quanto a Sheilla receber poucas bolas, isso não é a causa da baixa pontuação, mas a consequência meus caros. Levantadora tem que ter sensibilidade em saber quem está bem no ataque, e a Sheilla não tem correspondido.

    O que me impressiona é a Russia. Pankova e Malikh estão colocando no banco duas selecionaveis de longa data, Goncha e a Starseva. Essa seleção promete. E os EUA que ganhou quatro do Brasil, já perderam duas hahahahaha.

    Quero ver é Brasil e Russia.

    • Edu

      Tandara esta se recuperando de uma lesão no tornozelo ocasionada no Torneio de Montreux e esta fora da relação para entrar,por enquanto.Tiemi teve alguma chance durante a excursão aos EUA e não teve um destaque especial nem pro bem nem pro mal.Pelo que a Fabíola mostrou no jogo contra a China ,na inversão com Monique, e fechando um set no jogo de hoje contra a Itália parece estar interessada em lutar pela titularidade com a Dani.

  • Juliano

    Sheila está péssima. Dani Lins não está levantando muita bola, porque ela não vira. É simples. Regra básica de qualquer levantadora: levanta para quem vira.

    ZR não coloca Monique ou Andreia, porque o ataque pelas pontas e pelo meio estão bem. Então, não há razão para colocar jogadoras que não possuem o volume de jogo (defesa) e o bloqueio da Sheila. É simples.

    Quando for realmente preciso o ataque, Sheila será banco, se continuar deste jeito. Se fosse uma Jaqueline que ficou uma temporada inteira fora, tudo bem. Mas não. Sheila jogou a Superliga (e, no meio, Copa Brasil e Sul-americano) e acabou de sair do Mundial. Portanto, por mais que não tenha jogado Montreux, não era para estar tão fora de “ritmo”.

    Vamos continuar pacientes, por enquanto. Como temos um time homogêneo, dá para ainda tolerar a Sheila praticamente só auxiliando no volume e no bloqueio. Só que ela tem que ter cuidado lá fora, pois Vakifbank não a colocou no lugar da Brakocevic para ficar metade da competição pegando ritmo.

  • Alan

    Discordo veementemente de você, Daniel. Sheilla já vem jogando mal não é de hoje. Em Osasco, nas duas últimas temporadas, passou MUITO LONGE de ser uma jogadora de definição. Nesta última temporada, em especial, foi um verdadeiro fiasco nos momentos em que o time precisou dela.
    Na seleção já não fez grande atuações ano passado e este ano segue ainda pior.
    Para mim, o ZRG precisa testar novas opções. Monique sempre entra bem mas é baixa para ser uma virtual titular. Andreia é inexperiente ainda na seleção. Não sou fanático pela Natália, mas acredito que ela seria uma opção ofensiva para a posição de oposto: bloqueia e defende mto bem e tem um ataque mil anos-luz mais potente do que o da Sheilla.

  • EU vi a partida e ficou nítido que a dani lins foi orientada pelo menos nesses 2 jogos a botar a jaque no ritmo de jogo pois quanto mais ela for acionada seu percentual de fundo e defesa cresce e as seleções como um todo está no ritmo de preparação para o mundial é nítido mas da parte da seleção falta sempre alguns ajustes como em todos os torneios a sheilla cresce no decorrer da competição a cada partida principalmente nas horas decisivas,então acho cedo começar a crítica em cima dela pois ela sempre consegue nas horas críticas calar a oposição eu considero o principal rival do brasil nesta competição a Rússia pois as outras estão muito irregular vide EUA como muitos falam treino é treino jogo é jogo!!me esquecendo a brait está conseguindo relaxar mais em quadra principalmente com a guarda que a jaque tá deixando ela passar pois nátalia/gabi juntas..MAS vamos esperar o desenrolar dessa fase pra termos uma ideía mais fácil do grupo, ainda não consigo não acreditar em MARI e PP4 como não estar neste grupo para o mundial a carência de reservas é enorme mas o seu zé sabe dar a palavra final..

  • Mauricio

    Uma pena, mas tirando o jogo contra a Russia em Londres eu nunca mais vi a Sheila fazer um grande jogo. Parece que a própria jogadora esta desconfortável na seleção, tanto que agora até pula na bola pra não dizer que não fez nada! Se ta ruim pra nós com a Sheila, imagina pro Vakifbank que vai pagar R$3milhões pra ter ela no lugar da Brakocevic!

    • carlos antonio pereira

      No mundial de clubes que o Osasco venceu ela ainda jogou muito. Depois disso desceu ladeira abaixo. No jogo de ontem em um único ponto a Lins levantou 3 bolas seguidas e ela não conseguiu matar o ponto; então a levantadora acionou a Thaisa que cravou. Ela parece sem potencia e seus ataques dão sempre defesa. Sorte é que o resto do time está compensando e seu baixo desempenho não está fazendo falta. Além disso o nível do Grand prix está muito baixo. Em relação ao Vakifbank realmente terá que mostrar serviço ; as estrangeiras são extremamente cobradas , principalmente as jogadoras de definição. Se jogar o que jogou nas duas últimas superligas o time turco fez um péssimo negócio.

  • Caco

    Que a Sheilla está jogando muito mal, não se discute. Agora, imaginar que devemos substituí-la pela Monique, é muito equivocado.
    Monique também jogou bem no início do ano passado. O Zé bem que tentou deixá-la em quadra nas finais do Grand Prix do ano passado, porém logo teve que botar a Sheilla de novo.
    A Monique não é jogadora, ou pelo menos nunca foi, para decidir em grandes jogos. Ela é mais jogadora de composição.
    Sheilla é extremamente importante para a seleção brasileira. Está jogando pessimamente, mas quando precisarmos dela no Mundial, será decisiva de novo.

    • Moura Br

      Não é de um fora Sheila que precisamos, mas sim de um “senta lá Sheila”. Ela precisa ter alguém jogando bem na posição para se sentir ameaçada e responder, caso não responda, ela realmente não tem condições de estar na seleção. Acredito que num momento de decisão, ela vá jogar no seu máximo, porém precisamos de força máxima agora também e não só num mata-mata.

  • Eduardo Pacheco

    Mesma história de 2012. Parece que a maioria das pessoas não aprenderam com aquele renascimento da seleção. Para os críticos de plantão, que tal deixarmos o GP acabar, para daí sim fazer uma análise mais completa da atuação de alguma jogadora. Afinal esse é um esporte coletivo, e quando alguém vai mal em determinado jogo ou período outro compensa. Ou ninguém mais confia na Sheila? Acho que a grande maioria aqui sabe que ela não é jogadora de potência, e sim de uma inteligência acima da média pro esporte. Uma jogadora que acha os espaços vazios, que sabe virar bolas mal levantadas e que quando não é possível, tenta dar continuidade na jogada. Uma oposto que tem excelente posicionamento em quadra, e por isso mesmo defende muito. Portanto amigos, vamos dar um voto de confiança a nossa oposto, e se a mau fase persistir ai sim pro mundial pensarmos numa outra solução.

    • klaus

      Perfeito. Sheila é craque.Não é aquela que faz 20,30 pontos no jogo, mas é aquela que certamente vai virar a bola que decide o jogo.Analisar uma jogadora somente pela pontuação é muito superficial.Sheila dá um volume de jogo muito grande.Defende ,bloqueia e saca muito bem e se precisar até passa. Sheila é completa e a seleção brasileira sempre teve sua força no conjunto.

    • Impossível avaliar uma jogadora como a Sheilla em duas partidas. Se o Zé Roberto a mantém como titular, deve haver algum motivo bem razoável…
      Críticas semelhantes sofreu a Fabizona antes da olimpíada de 2012. No final, ela mostrou pq era ‘intocável’.

  • Edu

    Apesar do inicio um pouco instável e uma marcação mais detalhada sobre as centrais brasileiras e após a enfática recomendação a Garay que entrasse com força no ataque o Brasil passou a dominar a partir da metade do primeiro set o jogo.A Itália resgatou metade do elenco e o técnico do título mundial feminino de 2002 com intuito de celebrar a conclusão de uma geração privilegiada ao ambicionar o novo título mundial já que a competição em setembro.Para o ciclo olímpico dificilmente essa italiana geração gloriosa terá plenas condições de jogocompetitivo.Isso abre um parentese para o chamado ocaso que vive Sheilla.Na minha opinião, observado com frieza e avaliando os dois anos de sua passagem pelo Osasco uma liga de nivel menor em comparação com Champions se da o inicio, inevitável e natural por mais que seja doloroso,do declino técnico de uma extraordinária jogadora.Beirando seus trinta e dois anos e com mais de quinze anos de carreira no vólei de competição Sheilla tem ainda muito a contribuir para a próxima campanha do mundial mas é uma incerteza crescente para o próximo ciclo olimpico quando terá os seus 35 anos.No esquema de jogo adotado pelo ZRG com prioridade no saque bem trabalhado e utilização da vantagem do talento das nossas centrais e preciso uma variação com ponteiras de definição,no caso singular atual apenas a Garay e o uso das opostas.Caso de Sheilla que sempre primou por ser mais técnica do que forte.Com o tempo seus recursos se tornam menores, não a ponto de coloca-la com uma jogadora muito inferior, mais com restrições maiores ao seu poder de definição compensando na defesa e no bloqueio na rede.Acho que essa temporada jogando a Champions um campeonato mais longo e de nível técnico maior sera a confirmação ou a retirada da minha desconfiança.Só para registro: se em seus tempos ,na faixa dos vinte anos, a Francesca Piccinini era considerada a jogadora mais bonita do mundo.Com seus trinta e cinco atuais mantém hoje o título de mais bela do globo na casa dos trinta e poucos.Um deslumbre em todos os sentidos.

  • BRUNO

    Sou a favor sim de que quem está em melhores condições jogue. Mas no caso da Sheilla, muita calma! Acho que estão se precipitando um pouco. Ainda é cedo!

    No jogo contra a China, ela jogou sim muito mal. Já contra a Itália, parecia que a Lins já não confiava nela ou estava a poupando. Das ditas 13 bolas que ela recebeu, a grande maioria foi na fogueira, bolas mal levantadas por se tratar de contra atacantes e algumas nem foram levantadas pela Lins. E não estou fazendo uma crítica ao trabalho da levantadora não.

    Devemos ter calma, pois ainda é cedo. Além disso, como bem explicou o Eduardo acima Sheilla tem algumas características bem peculiares. Meio receio é que se a substituirmos por Tandara, é termos várias bolas voltando nos nossos pés.

  • André

    Acho que ela não está em boas condições físicas, por isso nem vem recebendo muitas bolas!! Sheilla é jogadora de decisão, e não temos nenhuma jogadora com essas características

  • mario

    Sei que é chover no molhado, porque nunca vou entender mesmo tanta defesa à Sheilla, sem chances para outras. Se ela tá fazendo nada, porrrrqqquuuuue não deixa Andréia em quadra? Pô, a moça foi a melhor na superliga! Não…vai que ela decide jogar, né??? Então, gostaria muito de saber: quando pagam pela vaga da Sheillinha??? Deve ser muito, porque a vaga é dela e ninguém tasca. Jogando ou não jogando, ninguém entra! Quero ver 2016!!!!

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo