Voto de confiança



Ricardo Trade tem um imenso desafio ao assumir a condição de diretor executivo da CBV, CEO, para quem gosta de um termo em inglês.

Entre as missões, destaco algumas que julgo prioritárias: recuperar a credibilidade que a entidade perdeu nos últimos tempos, dar transparência aos novos atos, garantir para o mercado que o vôlei ainda é um produto confiável e evitar que a politicagem interfira na tomada de decisões.

Não é fácil, mas Trade merece, sim, um voto de confiança. É trabalhador,  um estudioso e apaixonado por esporte e vem de uma missão das mais árduas: colocar uma Copa do Mundo de Futebol de pé, herdando o “trabalho” de Ricardo Teixeira.

 

 



MaisRecentes

CBV não pode mais contestar o posicionamento político de ninguém



Continue Lendo

A volta de Mari: boa impressão e 19 pontos



Continue Lendo

Toroca é reeleito presidente da CBV até 2025



Continue Lendo