Vôlei Renata mostra força e derrota o Sesc em Campinas



Um veterano e uma jovem promessa desequilibraram no Ginásio do Taquaral, em Campinas, na vitória do Vôlei Renata por 3 sets a 1 sobre o Sesc, parciais de 25-21, 16-25, 25-18 e 25-21, pela penúltima rodada da Superliga Cimed Masculina.

O experiente Diogo, de 39 anos, anotou 21 pontos (18 de ataque, dois de saque e um de bloqueio) e faturou o Troféu VivaVôlei Cimed. Mas o garoto Renan, 20 anos, titular na ponta, fez uma partida de gente grande, com segurança no passe e bom aproveitamento no ataque.

– Fiquei dois jogos sem jogar, tive uma suspensão e só treinei neste período. Voltei com mais vontade de jogar e de ganhar. Ontem tivemos uma reunião entre os jogadores, vimos que estava faltando um pouco mais e hoje isso acabou acontecendo. Todos foram fundamentais, e todos deram sua contribuição. Só um que ganha o troféu e fiquei muito feliz por ter recebido – comentou Diogo.

Vôlei Renata

Diogo encara o bloqueio do Sesc na grande vitória do Vôlei Renata (Marcos Riboli/Divulgação)

Já Renan vem sendo trabalhado com muito cuidado pelo técnico Horacio Dileo. O argentino sabe do potencial do garoto, tem o feito jogar com frequência, em algumas rodadas revezando com Mão, e também tem o aconselhado fora de quadra. Renan é irmão gêmeo do levantador Matheus, reserva de Rodriguinho no Vôlei Renata.

Os irmãos são formados na base da equipe de Campinas. Chegaram seis anos atrás, disputaram decisões nas categorias sub-17, sub-19 e sub-21 e estão vencendo a complicada transição para o profissional.

O excelente resultado fez o Vôlei Renata subir para 28 pontos, acirrando a disputa do sexto lugar com o Corinthians/Guarulhos. A vantagem campineira é ter ainda dois jogos pela frente: enfrentarão, na quarta-feira, o Sada/Cruzeiro, no Ginásio do Riacho, em Contagem, e depois o Copel Telecom/Maringá, no sábado, às 21h30, no interior do Paraná.

– Agora é continuar nessa pegada. Trabalhar bastante e seguir crescendo. Temos que descansar e pensar nos desafios que vamos ter pela frente. A Superliga vai afunilar e temos que estar preparados – finalizou Diogo.

Já o Sesc, que sonhava com a liderança, agora depende do restante da rodada para saber o tamanho do estrago da derrota.



MaisRecentes

Seleção feminina: a briga por um lugar em Tóquio



Continue Lendo

Brasil bateu recordes no Pan. Mas os vôleis ficaram devendo



Continue Lendo

Coluna: Brasil precisa aprender a perder



Continue Lendo