Vôlei Futuro: fim do time feminino



Depois de meses de indefinição, o Vôlei Futuro anunciou o destino de suas equipes, em nota enviada ao amigo Luiz Paulo Montes, do Uol.

O time feminino foi extinto, enquanto o masculino será mantido, mas com um patamar menor de investimento.  Ricardinho, ao menos, vai continuar em Araçatuba.

Uma pena ver um projeto tão bacana tomar esse caminho. A torcida, que abraçou os times nas últimas temporadas, e sempre fez grandes festas no Plácido Rocha, está triste.

Abaixo, reproduzo a nota que o Uol publicou:

O Projeto Vôlei Futuro, vem por meio desta, comunicar o fim da equipe feminina da categoria adulta, participante há seis anos da Superliga Nacional.

Agora, o projeto continuará com suas atividades com a equipe masculina da categoria adulta e com os núcleos de prática esportiva, que atendem crianças e adolescentes na cidade de Araçatuba (SP), além de parcerias com projetos de inclusão social.

Segue alguns nomes já confirmados para a temporada 2012/2013:
Levantadores: Ricardinho e Jairo Medeiros
Centrais: Michael e  Vini
Líbero: Polaco
Ponteiros: Bruno Temponi e Guilherme Hage
Oposto: Caio de Prá



  • Torcedora de volei

    Pois é Daniel….. A noticia (apensar de esperada) nos deixa tristes.
    Porém sabemos que esporte não Brasil não é coisa fácil.
    Imagino o quanto os dirigentes trabalharam para que isso fosse diferente.
    Que sirva para os dirigentes das confederações e politicos tomem alguma providencia. E que os empresarios voltem os olhos para tudo de bom que o esporte faz.
    Teremos a partir de agora mais atletas desempregados e quem sabe…..tantos outros desistindo do esporte. Realmente é uma pena.

  • bernardo

    mas o pior de tudo é que no RS não se tem nenhum time no feminino e um meia boca no masculino, sendo que o estado é um dos que mais revela jogadores para as seleções, este é o projeto brasileiro que apoia o esporte

  • tiago

    Incompetência da diretoria em contratar jogadores e jogadoras. Foi um grande projeto, mas para contratações foi um desastre. Infelizmente esses times montados por empresas tem vida curta. Se o resultado não sai rápido as empresas mantenedoras saem e o time acaba. É o que vai acontecer com o Campinas, se não vir resultados em 1 ou 2 anos.

    É uma pena isso acontecer, quem perdi é a Superliga. Ainda corremos o risco de perder outro time, como o Mackenzie, quem também não definiu sua permanência.
    E ainda tem gente que afirma que temos a melhor liga do mundo, píada sem graça.

  • bernardo

    gostaria de saber o que falta para o Brasil atrair grandes jogadores para cá, se a nossa liga é uma das mais fortes do mundo e o Brasil é o pais do presente?

    • tiago

      OFERECER SALÁRIO MELHORES DO QUE DA EUROPA.

      ONDE VOCÊ TIROU QUE A NOSSA LIGA É UMA DAS MAIS FORTES DO MUNDO?

      PAÍS DO PRESENTE? VOCÊ DEVE MORAR EM UMA BOLA DE CRISTAL.

      • Fernando

        a sl masculina é indiscutivelmente sim uma das mais fortes do mundo, tecnicamente falando vemos jogos em alto nível em quase todas rodadas. problema é o nível de investimento que nao nos deixa acompanhar o mercado de estrelas. e ainda assim temos um campeonato muito forte ( masculino). problema q hoje temos os times, amanhã nao se sabe. abre o olho ary graça, olhe pros clubes tb e nao só pras seleções, afinal são eles que revelam os atletas.

  • OSA

    Noticia muito triste
    Araçatuba não merecia este golpe, a cidade ama o Volei,
    eles não vao aguentar ficar sem o time feminino
    e pelo jeito o time masculino vai ser muito fraco

    E agora nós do Osasco só vamos ter o prazer de zuar a Unillever,
    já q o Volei 100 Futuro ficou pelo caminho, uma pena

  • Joau

    Pena..incompetência total…

  • Afonso RJ

    É realmente uma pena. A Superliga Feminina não vai ser a mesma sem o time do Volei Futuro. Mas a triste realidade é que mais um entre tantos que ficaram pelo caminho. A previsão para a próxima Superliga é mais uma final entre Sollys e Unilever. A únaca esperança é o Campinas, que é uma incógnita. Só espero que não seja outro SESI.

    • Fabiano

      O VF é apenas mais um time de temporada, como um Brusque ou um São Caetano! Provavelmente a próxima tb será a última do masculino, afinal com essa equipe que está sendo montada as chances são poucas de se destacarem.

  • tuliobr

    A notícia é muito triste. Tomara que haja condições de retomar o time adulto no futuro, e para isso creio ser importante a manifestação dos torcedores de Araçatuba, seguindo o exemplo de Osasco. Aliás, é uma sugestão de pauta para vocês da imprensa: a espada permanentemente suspensa sobre os pescoços dos times de voleibol no Brasil: Unilever é um projeto quase pessoal, e é improvável que resista à saída do Bernardinho; Sollys deve muito à atuação do Luizomar nos bastidores e também talvez não resista a uma mudança de planos do técnico. Mesmo os times de clubes tradicionais, como Minas TC, Pinheiros ou São Caetano, normalmente têm dificuldade com patrocínio e raramente conseguem montar equipes significativas. É uma situação que arrisca o futuro da modalidade pois torna questionável a capacidade de manter o status que o Brasil alcançou mundialmente. Espero que o presidente Ary Graça, atualmente muito concentrado nas eleições da FIVB, não descuide da principal competição da CBV.

  • Boa tarde Galera.

    Primeiro gostaria de saber da Longon Tom se já fechou o contrato com a Unilever.

    Gostaria de saber porque o comentarista do SPORT TV Marco Freitas torce e não apenas comentar sobre o jogo do Osasco.

    Ele esquece de comentar e apenas torce.

    Falta de profissionalismo. Um absurdo!

  • Elcio

    Daniel,

    Será que teremos a Superliga 2012/2013 com menos de 12 equipes em cada naipe? Você sabe quais as providências que a CBV está tomando para montar o campeonato?

    • Daniel Bortoletto

      preocupante, Elcio
      vários times ainda buscam uma solução. por enquanto, uma incógnita

  • ana maria

    Gostei do time masculino do VF. Nada superestrelado mas com bons jogadores.
    Quanto ao feminino, uma pena mesmo. Temos atletas muito bons mas pouca disponibilidade de investimento sério neles e alguns superinvestimentos que desequilibram mais do que ajudam.

  • Lia

    Triste o fim do VF feminino. Triste o descaso com o esporte, principalmente quando este é sediado longe dos grandes centros, pois percebe-se que até nos comentários televisivos o bom seria não ter que vir tão longe para transmitir um jogo. E não sou eu quem enxergo isso não, mas colegas até de outras regiões comentam com a gente. Nos comentários dos blogueiros, somos peões (da então Terra do Boi gordo) e que deveríamos nos contentar com essa alcunha e esquecer o Volei, prioridade para os grandes centros. É, parece que eles tinham razão. A cidade não teve competência para segurar essa “modernidade”. Eu, particularmente, torcia para que a Nestlé de Araçatuba (com mais de 60 marcas) usasse uma delas, a exemplo da Sollys, para abraçar a causa e não deixasse o Volei feminino acabar, independente do nome VF, e sim até com outro nome,se fosse o caso, mas, que nós, que também fomos chamados de capital do Volei, mantivéssemos essa alegria. Mas não perco a esperança jamais. Sou torcedora fanática e a esperança ainda mora nesse coração ferido. Esporte é saúde! E como é!

  • thiago santos ( caju )

    e impressionate como no brasil, as pessoas são burras, sabe por que na europa os campeonatos são muito melhores ? por que eles dão oportunidade, investem, e aguardam tempo necessario para um time recem criado amadurecer, vc pode ver ate mesmo pelo futebol, eles contratam um tecnico hj, daqui a três jogos o tecnico ja foi demitido, na europa e diferente. aqui no brasil no nosso campeonto de volei, os clubes querem na verdade, promover a marcar patrocinadora e esqueçem do campeonato, contratam geralmente jogadoras de seleção, e mais uma estrangeira famosa ( tem que ser famosa, não basta apenas jogar bem tem que ser muito famosa !! ) e pronto, esse e o time perfeito, o tecnico eles pegam qualquer um que saiba o fundamentos basicos do volei e pronto e so isso, não há interesse em montar um equipe esportiva , mais sim uma equipe para divulgar a marca patrocinadora, existem casos diferentes, mais a maioria e assim, e os amantes do esporte ficam como ?

MaisRecentes

Bento fora da Superliga. Castro já comemora vaga



Continue Lendo

Semana positiva das Seleções adultas



Continue Lendo

Coluna: O polêmico teste na regra do vôlei



Continue Lendo