Vocês anotaram a placa?



25-13, 25-17 e 25-17.

Foram essas as parciais da vitória do Japão diante da Turquia. Sim, as mesmas turcas que venceram o Brasil na estreia levaram uma surra daquelas.

Surpreendente demais até aqui a campanha das donas da casa. Estreia com vitória diante da Rússia e agora essa lavada nas turcas. Por ter China e Bélgica pela frente nas próximas rodadas, elas poderão chegar ao confronto com o Brasil, na última rodada, já campeãs. Imaginem a festa em Tóquio caso isso aconteça…

Impressiona como Masayoshi Manabe está montando sua equipe titular. Na rodada passada, não colocou centrais em quadra, algo que parece uma loucura no vôlei moderno, mas funcionou. Sua opção tática é interessante. Como não tem jogadoras altas, um pré-requisito para o sucesso atualmente, ele aposta na principal característica do vôlei asiático: a capacidade de defender. E assim torna a vida dos rivais em um inferno, já que os ataques dificilmente caem e são necessárias, três, quatro tentativas para se conseguir um ponto. E, como sabemos, neste jogo de paciência, as orientais são campeãs. No ataque, a levantadora Miayshita abusa de bolas de velocidade, outro pilar que o estilo de jogo implantado por Manabe prioriza.

Hoje, contra as turcas, Manabe escalou uma central (Ono). Ela acabou com 11 pontos, ficando atrás de Saori Kimura, ídolo local, e Iuki Ishii, que anotaram 14.

Ainda é cedo para falar em revolução, mas o Japão parece caminhar para tal.



  • Carlos

    Sincereamente, pode parecer pretensão falar depois do ocorrido, mas não me soa absurdo nenhum o bom resultado do Japão.
    Elas já tem tidos resultados expressivos consequentemente nas mais importantes competições, como bronze no Mundial e na Olímpiada.
    Basta ver as prioridades delas.
    O Brasil de tanto jogar contra elas já assimilou esse jogo delas, pra gente isso já nao é nenhuma novidade, mas a Turquia se assustou e foi esmagada.
    Parabéns ao japão.

  • Quem bom pra gente. Tomara que o jogo contra o Japão seja uma final de verdade, mais emoção!!! Pra frente Brasil!!

  • Patricia

    A vitória esmagadora da seleção japonesa contra a Turquia só mostrou o quanto o Brasil jogou mal contra as turcas. O Zé Roberto que abra bem os olhos porque no mundial enfrentaremos três seleções medianas (Turquia, Sérvia e Bulgária) que têm como arma principal o saque muito potente, desestabilizam a recepção adversária, e como são seleções altas facilitam o bloqueio delas, assim elas conseguem equilibrar jogos contra as seleções de primeiro nível como Brasil, Rússia, EUA, Japão e China. No Grand Prix 2013 a Bulgária usou a mesma arma (saque potente) para nos vencer e este ano a Turquia fez igual.

    • Rodrigo Coimbra

      Chega até ser engraçado vc chamar a Turquia de mediana depois de ter vencido as três seleções mais temida na atualidade, tds no tie-break em jogos muito disputados, como Rússia EUA e Brasil… e sinceramente tds as outras seleções “da primeira divisão” estam com jogadoras de decisam melhores que as nossas nas pontas, nosso diferencial definitivamente são as centrais que quando não jogam, vc viu o que a Turquia fez… no mais tds as seleções se equivalem, com certo favoritismo de Russia EUA e principalmente Brasil pela tradição e por terem seus trunfos (Russia, com ataques potentes principalmente quando Gamova joga e pega alto. EUA, Murphy e Larson no ataque veloz e Brasil, com Fabiana e Thaisa pelo meio)!!
      Com Fabiana e Thaisa no jogo somos a seleção a ser batida mas quando ambas não comparecem fica difícil acreditar em Jaqueline Garay e Sheilla com blocks parados na frente delas, é esperar pra ver.

  • Aline

    Impossível anotar a placa…
    É verdade Daniel, a escalação japonesa hoje foi diferente da do jogo contra as russas:ontem Manabe não escalou nenhuma central de ofício,hoje escalou apenas uma central no time titular, a ONO no lugar da ponteira ISHIDA.
    Outra mudança interessante foi que a ponteira EBATA,que houvera sido titular contra as RUSSAS,foi substituída hoje no time titular pela ISHII.
    O mais importante é que tanto ONO qto ISHII que hoje foram promovidas a titulares pontuaram muito bem: ONO com 11 pontos e ISHII com 14.
    Outra estratégia interessante usada ontem,que hoje não foi feita, foi que contra as russas MANABE promoveu o REVEZAMENTO CONSTANTE das 2 levantadoras em todos os sets da partida,para confundir as russas,ora era Miyashita levantando,ora era Nakamichi armando as jogadas.Parece que contra as turcas essa estratégia não foi necessária.
    Parece que o Manabe não tem um time titular definido e vai variando as escalações se adaptando ao adversário,estou somente supondo,mas pra mim é surpresa mexer em “TIME QUE ESTÁ GANHANDO”,afinal de contas elas foram muito bem contra as russas e não esperava que 2 titulares de ontem EBATA E ISHIDA,começassem hoje no banco de reservas,por isso estou supondo que seja uma estratégia diferente do MANABE,afinal de contas o JAPÃO está jogando taticamente diferente de qualquer outro time de vôlei desse GP.
    Essa vitória do Japão foi a mais arrasadora desse GP!
    Confesso que depois de ter visto a Turquia ter derrotado o Brasil por ter estudado muito a seleção para anular as campeãs olímpicas, esperava um jogo muito equilibrado entre turcas e japas.
    As principais armas turcas contra o Brasil não foram eficazes contra as japonesas:
    1.O excelente saque forçado que fez estragos na recepção brasileira,foi eficientemente recepcionado pela linha de passe japonesa.As turcas quiseram tirar a SAORI KIMURA,a principal atacante japonesa,do jogo,assim como fizeram com a Fê GARAY,praticamente sacando tudo em cima dela.SAORI simplesmente agradeceu a preferência e segurou o passe japonês com maestria!
    2.O bloqueio turco que funcionou tão bem contra o Brasil foi driblado pela levantadora japonesa que teve muitos passes mão para fazer o bloque turco ficar tonto.
    3.Em um outro cometário li que as turcas contra o Brasil foram “PORRADEIRAS”,pois bem,essa violência toda no ataque “PAROU” na eficiente defesa japonesa.
    Como suas principais armas não estavam funcionando as turcas ficaram “PERDIDAS” em quadra e não tiveram paciência de tentar 1,2,3,4 vezes ou mais para tentar vencer a defesa japonesa.
    Mais uma vez as pequeninas japonesas conseguem tirar um time bem mais alto e com maior força física do “ar”,deixando as adversárias nervosas e sem saber o que fazer por “NÃO CONSEGUIREM POR A BOLA NO CHÃO”!
    MANABE é um técnico que mexe muito no time e tenta vencer as limitações de sua equipe(ALTURA e FORÇA FÍSICA),usando muita estratégia e apostando no que as japonesas tem de melhor:velocidade e defesa.

  • Fernando

    Não dá para comparar a seleção Japonesa que tem seu prinicipal fundamento o passe e a defesa. Foi nisso que elas venceram as Turcas.

    No caso do Brasil, nosso pior fundamento é o passe e a defesa que sofreu apagão, foi aí que a Turquia fez a festa.

    No mais o Zé Roberto ficou acreditando na capacidade de reação das titulares até dar 2×0 para a Turquia. E quando estava 6×1 no 3º SET é que ele mudou o time, dai que as reservas levaram pro tie break.

    A comissão técnica do brasil tem que saber criar estratégias contra todos os tipos de times.

    O principal é o passe, q foi horrível, péssimo!!! Sem passe, nenhum time do mundo consegue jogar, no nosso caso, sem o passe, por consequencia acabamos anulando todo o potencial da Thaisa e Fabiana, q são o nosso diferencial.

    A Sheilla sozinha não consegue fazer o estrago que a KIM e a Gamova fazem em suas seleções.

    A Jaqueline é uma jogadora de composição, também não é o ponto forte de ataque, é uma bola no chão e outra no pé (bloqueada).

    No jogo contra a Turquia a Jaqueline passou os 5 sets em quadra errando saque, quinando bola, errando ataque etc.

    O Zé não tinha reserva para por no lugar dela.

    Enfim, é uma série de fatores que devem ser revistos.

    no mais somos os favoritos pro Mundial.

    • Rodrigo Coimbra

      Mas nós temos jogadoras porradeiras como Natália, Pri Daroit e principalmente a Tandara, a última talvez tenha condições de carregar o time nas costas (atuando como oposto) numa eventual anulação das centrais, que hoje como vc disse, é o diferencial!

  • Caco

    O Japão está jogando o fino da bola. Tiveram tempo para se preparar para essa semana, pois não tiveram que lutar para se classificar.
    O Brasil precisará passar bem contra as japonesas e também vamos precisar da Thaísa e da Fabiana arrebentando a bola na quadra delas para não deixar elas defenderem muito.

  • Valdir

    Daniel, se Brasil e Japão chegarem ao último jogo vencendo todos os seus confrontos por 3×0 3×1, o Brasil ainda terá chance de ser campeão, pois o Japão vai estar 2 pontos a frente.

    • Daniel Bortoletto

      Sim, eu sei. Por isso escrevi que o jogo contra a Rússia será uma outra final. Perdeu, já era

  • hicham

    Daniel acho que o Brasil saberá neutralizar o Japão novamente.Acho que o segredo para vencê-las além de um bom saque é sempre bater cravado para baixo-assim será mais difícil para elas conseguirem de fender sempre.Você concorda Daniel? Acho que o Japão vai perder ainda da China(mesmo desfalcada) e do Brasil.Abração Daniel-curto muito o seu blog-os comentários dos outros amigos internautas e tudo o que você posta, sempre nos deixando informados.

  • filhodedavid

    Daniel não concordo quando disse que foi surpreendente o Japão vencer a Turquia. O Japão sempre foi mais time, não é porque a Turquia venceu o Brasil e diga-se de passagem com colaboração brasileira, pois se tivesse ganho aquele segundo dando de bandeja as turcas, seria 3 x 1 para o Brasil. Apesar da insuportável daquela Somsirma (jogadora mediana que se encontra em uma boa fase e só!) e a Osoy terem jogado bem, não coloca elas como time top. Perderam para a República Dominicana, e ganharam dos EUA e Rússia desfalcados. O Brasil colaborou muito para essa vitória da Turquia, mas é bom para ficar atentos em todos os adversários, pois o Brasil não enfrenta muito a Turquia nas competições. Então é bom ficar atentos a Bélgica, pois o Brasil adora aprontar com as seleções desconhecidas, diga-se a Bulgária.

    • Edu

      Sonsirma é lider de um time que ficou quase dois anos invicto disputando ao mesmo tempo a liga turca e a Champions é uma ótima jogadora que vive uma excelente fase.Jogadora mediana ela esta longe de ser, na minha modesta opinião.

      • filhodedavid

        Respeito a sua opinião, mas para mim é sim mediana, em uma boa fase e o time que ela ficou quase dois anos sem perder, não foi por causa dela e sim pelas espetaculares Bracosevic e Glinka.

  • Edu

    O que me surpreende na seleção japonesa – e eu já tinha percebido em Montreux – é que o Manabe, em 90 por cento, pede tempo e simplesmente sai do circulo das jogadoras e elas que se entendam sozinhas , muito na base do olhar.Nada de esfregas desmoralizantes em voz elevada ou a preocupação em não vazar informações nas câmeras separando em dois grupos nas pedidas de tempo.Se o Bernardo anda numa fase mais suave nas posturas com as jogadoras, o ZRG anda perdendo a mão – independente do reconhecimento da sua imensa capacidade técnica.O flagra captado pelo Sportv e colocado até como fato bastante negativo na reportagem ao registrar a quantidade de ofensas dirigidas ao ouvido da levantadora Claudinha desmoralizou uma parte doe respeito e admiração que dirigia aquele treinador.Hoje ele parece insistir, para afinar a equipe na sua estrategia pessoal, num jogo fixo com seis titulares praticamente intocáveis.Enquanto o Japão, China ,Russia e EUA pleiteiam um jogo mais coletivo com a rotação continua de diversas jogadoras conforme a necessidade estratégica do momento da partida.Voltando ao Japão, prestou um grande serviço à seleção brasileira ao aniquilar uma Turquia que começava a emergir já na segunda rodada do Grand Prix.

  • Aline

    “O poder da linha de passe japonesa”
    As 3 melhores passadoras do ranking do GP são simplesmente a linha de passe da seleção do Japão:Yuko Sano,Risa Shinnabe e Saori Kimura.

  • Aline

    Desculpe estar “fora do assunto” e escrever isso nesse post, consultei a LISTA DO MUNDIAL e como pode o William Arjona ser o “melhor levantador brasileiro”, de acordo com a própria CBV, 4 anos seguidos(2011,2012,2013 e 2014) e não estar sequer na lista de convocados para o Mundial?
    William tem talento de sobra para jogar em qualquer seleção do mundo, menos na brasileira?
    Cara, de 2011 pra cá William sempre lidera as estatísticas de levantamento da Superliga e todo vem ganhando o prêmio de melhor levantador e não tem espaço na seleção brasileira?

    • Michel

      William é muito baixo para os padrões internacionais e daria muito prejuízo na rede.E ele não é tudo isso que voce pesquisou não.O próximo levantador a figurar de vez é o Murilo Radke(bem mais alto e lapidado pelo Bernardinho e comissão técnica se tornará um grande craque na posição) Esqueça o William Arjona pois ele é baixo demais e fora de quadra ele é metido pode ter certeza disso.

  • Juliano

    Nem deu para anotar a placa, pois ela tinha letras em japonês, então não entendi nada KKKKKK.

    A-M-E-I.

    Estava assistindo ao jogo, quando me vi batendo palmas, gritando e torcendo de uma forma geral pelo Japão.

    Adorei a colocação de “seis Jaques” do Japão. E mais, TODAS que acabam pegando a bola no meio do jogo sabem levantar bem também! Isto é fundamental nos contra-ataques, coisa, aliás, que o Brasil tem falhado muito.

    Percebi também que o Japão era o time perfeito para vencer as Turcas. Apesar de ter duas ponteiras potentes, elas sempre buscam bloqueio para estourar. Como o do Japão é baixo (até jogadoras mais altas que Garay, por exemplo, não têm tanta impulsão para bloqueio), as tiveram que atacar mais para baixo, e aí o Japão deitou e rolou. Esta “falha” delas ficou visível com o quanto sofreram com a nossa Carol. Mas isto é com as ponteiras, porque com as bolas de meio é outra história. Porém, como estavam sem o passe…

    O segredo para vencer as japonesas são as jogadas de meio (e neste caso tem que bater por cima também), mas o time adversário tem que aguentar o saque delas. As centrais do time turco são altas, mas não possuem a qualidade da Thaísa e Fabiana para atacar com o passe B. Daí só se assistiu aquele passeio com as pontas batendo para baixo (e voltando, diga-se de passagem), já que as turcas não tinham como explorar o bloqueio.

    Bom para o Brasil que possui chance de título, mas não pode descuidar. Tem que utilizar os jogos contra a Bélgica e a Rússia para fortalecer o passe. Assim, estarão tinindo contra as japonesas. Se não houver jogada de meio, vamos sofrer passeio das japonesas também.

  • Aline

    Nossa!!!Fiquei fã da garra e da personalidade da Sonsirma no jogo de hoje.
    SONSIRMA e a TURQUIA foram ROUBADAS na CARA-DURA pela ÁRBITRO DE CADEIRA no TIE-BREAK.
    Num ataque de fundo que foi para o desafio,a imagem do aparelho apareceu várias NO FAULT(NENHUMA FALTA),que significava que SONSIRMA não havia pisado na LINHA DOS 3m.
    E realmente ela não pisou,ela chegou muito perto,mas não chegou a pisar.
    A imagem foi vista e revista várias vezes,e o aparelho repetidamente dava NO FAULT.
    O árbitro,não satisfeito,e mal-intencionado querendo dar o ponto para RÚSSIA,não sossegou e fez mudar a leitura do aparelho para configurar a falta.
    A torcida japonesa que estava torcendo para a Turquia ficou perplexa com a marcação,assim como as jogadoras e toda a comissão técnica turca.
    SONSIRMA injustiçada e revoltadíssima com a garfada da arbitragem acabou sendo mais prejudicada pois ganhou um cartão amarelo por exigir que o árbitro seguisse a marcação do aparelho do desafio,então o que era 12×11 virou um 13×10 para Rússia,que depois de tamanha polêmica que durou mais de 5 minutos acabou fechando o jogo por 15×12.
    Como o fator PSICOLÓGICO é determinante no vôlei feminino!!!
    Acompanhei o disputadíssimo CAMPEONATO EUROPEU ano passado e vi a BÉLGICA jogar corajosamente e com determinação contra tradicionais equipes europeias e com determinação conquistar seu lugar no podium levando um BRONZE pra casa,ficando atrás somente de ALEMANHA(PRATA)e RÚSSIA(OURO).Nesse Europeu a Bélgica deixou para trás equipes de tradição que costumam sempre frequentar os podiuns europeus como SÉRVIA,ITÁLIA,TURQUIA,HOLANDA e POLÔNIA.
    Esse time belga tem o apelido na Europa de “TIGRESAS AMARELAS”.
    Mas contra o Brasil ficou somente as AMARELAS,pq as tais TIGRESAS viraram “GATINHAS DOMÉSTICAS” perante as CAMPEÃS OLÍMPICAS!
    Nunca vi um time AMARELAR tanto contra a seleção brasileira,as belgas estavam totalmente FORA DO AR,pareciam deslumbradas de enfrentarem as CAMPEÃS OLÍMPICAS,não conseguiam sequer passar a bola.
    E se até o Brasil não consegue jogar sem passe e por isso perdeu para a Turquia,qto mais as novatas da Bélgica.
    Mas se o próprio técnico é um COVARDÃO,o que esperar das jogadoras?
    Olhem a declaração que o covarde técnico Vande Broek deu:“É claro que estou muito feliz, mas estou com medo da semana difícil que vamos ter em Tóquio, já que os adversários que vamos enfrentar são provavelmente muito fortes para nós neste momento”.
    Pena que a HOLANDA perdeu no TIE BREAK pra essas amarelonas belgas,pois a HOLANDA já foi CAMPEÃ DO GRAND PRIX e CAMPEÃ EUROPEIA,e não iria TREMER como essas belgas e deixariam a FASE FINAL mais interessante.
    Enfim,o jogo foi HORROROSO,foi como bater em bêbado.

  • Afonso RJ

    Aline, me permita discordar de você num ponto: Em relação ao técnico belga acho que você pode ter confundido humildade com covardia. Na minha opinião, ele deu uma declaração politicamente correta, reconhecendo humildemente a superioridade das outras equipes. Sob certo ponto de vista talvez fosse julgada até uma atitude corajosa.
    Quanto a “covardia” das jogadoras belgas, você reparou como a central Albrecht gritava o tempo todo, tentando contagiar as companheiras? Pode ser que tenha razão quanto a maioria das jogadoras, que realmente tremeram (de certa forma, e MUITO de certa forma mesmo, justificável ante a disparidade do histórico das duas seleções), mas me parece que houve pelo menos excessão.
    Finalmente, adorei as orelhinhas de abano da levantadora Dirickx. Conseguiu desbancar a Ebata. Me lembrou o nosso querido Dumbo. Quem sabe a Thaisa não poderia dar o telefone do cirurgião plástico 🙂

MaisRecentes

As quartas de final do Paulista masculino



Continue Lendo

Bruninho e Renan analisam conquista



Continue Lendo

Brasil fatura a Copa dos Campeões



Continue Lendo