Vitória que dá moral e deixa Brasil na briga pelo título



A Seleção Brasileira feminina não deu chances para a Rússia, sua maior rival, e segue com chances reais de título do Grand Prix.

Nesta madrugada, vitória incontestável por 3 sets a 0, parciais de 25-12, 25-21 e 25-20. Agora, para ser campeão, basta o Brasil vencer o Japão, na manhã deste domingo, às 7h, por 3 a 0 ou 3 a 1, que no encerramento da rodada fez 3 a 0 na Bélgica (26-24, 25-16 e 25-15). Promessa de ginásio lotado em Tóquio para um grande espetáculo.

Para seguir vivíssimo na competição, o Brasil deu uma aula de bloqueio para as russas. Foram 16 pontos, o dobro do número marcado pelas rivais. Apenas Thaisa marcou seis pontos no fundamento. A meio de rede, inclusive, foi a segunda maior pontuadora da Seleção, com 12 acertos. A maior foi Fabiana, autora de 17 (14 de ataque e três de bloqueio). Como já escrito por mim e por vocês nos comentários, o Brasil é outro time com passe na mão e usando as “Torres Gêmeas”.

Os números de Fabiana e Thaisa explicam muito do que foi o jogo. Além de bloquear demais, o Brasil viu Dani Lins transformar a capitã do time em sua bola de segurança. E a estratégia foi perfeita, já que Fabiana teve um aproveitamento de 66,6%.

Sheilla e Fernanda Garay, com 11 pontos cada, foram coadjuvantes importantes no triunfo.

Outro fator decisivo para a vitória brasileira nesta madrugada: o time praticamente não errou. Foram apenas sete bolas dadas de graça para as russas, número baixíssimo: pouco mais de dois pontos por set. Desta forma, o Brasil obrigou a Rússia a “jogar”. E Kosheleva parecia sozinha nesta madrugada. Apesar de Goncharova ter começado jogando, diferentemente do confronto anterior em SP, a oposto não fez uma grande partida, terminando com 10 pontos, oito a menos do que a ponta. E comparem as estatísticas das centrais com as brasileiras: as titulares Fetisova e Podskalnaya fizeram um  e quatro pontos, respectivamente.

– Nós estávamos quase mortos após a derrota para a Turquia. Depois deste resultado, nós crescemos e jogamos melhor desde aquele dia ruim. E agora temos chance de título, algo muito importante para nós – disse Zé Roberto após o jogo.

 



  • Lilika

    Independente da Rússia vir mais completa no Mundial (Gamova e Sokolova podem sim fazer diferença e melhorar esse time…droga kkkk), é muito bom botar medo nelas, com vitórias sequenciais…parabéns para nós e é ter paciência amanhã contra o Japão, se vencermos aposto na Thaisa como mvp.

  • Marcelo

    Hoje o Sesi ganhou da Russia. Vejam no site da FIVB as estatísticas: Fabiana recebeu 21 bolas, com aproveitamento de 66,67%. Nossa “oposta” e nossa “jogadora de composição” (que cruza com a levantadora) receberam 15 cada com aproveitamento de mais ou menos 40%. Nossa atacante de decisão (coitada da Garay, tá ai pra receber as críticas que as outras não PODEM receber) recebeu 25 bolas e teve um aproveitamento de 32%. E a Taisa recebeu só 7 bolas…

    É… o Sesi (da superliga passada) ganhou da Russia.

  • Mister Volei

    O que estão jogando nossas centrais é simplesmente de assustar qualquer time do mundo e ainda por cima o time japonês está jogando sem centrais ou com uma central para facilitar ainda mais a nossa vida. O resultado tudo mundo já sabe: as nossas centrais vão destruir o time japonês, Brasil 3X0 e Decacampeão.

    • hicham

      Concordo Mister Volei -se o passe sair e todas as jogadoras baterem sempre cravando prá baixo na quadra japonesa a defesa delas pouco funcionará e tudo se tornará mais fácil pro Brasil,pois o bloqueio japones é realmente baixo..Se Deus quiser o Brasil ganha de 3×0 ou 3×1 e poderemos festejar. .Abraços.

  • perikito

    O momento de maior satisfação para mim no jogo foi assistir ao renascimento do jogo executado no SESI entre Dani Lins e Fabiana, dessa vez na seleção. Sempre me questionei a razão disso ainda não ter acontecido, e hoje elas me surpreenderam.

  • hicham

    Se o passe funcionar pro lado brasileiro acredito que o Brasil ganhará do Japão por 3×0 e ganharemos o deca tão esperada.Estarei na torcida como sempre.

  • L.wagner

    nesse momento a seleção brasileira e a melhor, enquanto se tem o passe na mão da Dani , mas eu fico preocupado quando o passe não chega e nossas atacante de definição não colocam as bolas no chão como garay e Sheila e o nosso ponto fraco a ser melhorado, eu acho que essa e a diferença dessa seleção para a de Pequim quando passe não saia tinha a Paula Pequeno e Mari que conseguia definis as bolas marcadas pelo bloqueio adversários mas vamos lá rumo ao Deca

  • klaus

    Brasil deu show hoje.E certamente vamos levar o deca.Vi tantos comentários à respeito da seleção japonesa ,enaltecendo a atuação delas, que por não ter visto nenhum jogo , estava começando a ficar preocupado.Hoje resolvi ver o jogo com a Bélgica e sinceramente não sei porque o motivo de tantos elogios a essa seleção japonesa.Pra mim está jogando pior que ano passado.O Brasil tem tudo pra atropelar a seleção japonesa.

    • hicham

      Isso mesmo Klaus-o Japão esta jogando o mesmo feijão com arroz de sempre.Acho apenas que a transição bloqueio-defesa e contra-ataque delas está mais rápida e precisa-mas nada que um bom saque por parte do Brasil não possa quebrar.Acredito que o Brasil vence por 3×0 ou 3×1 e conquistaremos o Deca.Estou na torcida. Abraços a`você,pois sei que também estará torcendo muito.Tchau!

      • klaus

        Sempre Hicham.Sempre na torcida para que o nosso vôlei esteja sempre no topo.Tchau.

  • Rodrigo Coimbra

    O Brasil se impôs e jogou certinho, está de parabéns pois não teve muito erros, exceto erros bobos de Garay, Jaque, Thaisa e Dani mas nada que pudesse atrapalhar o baile brasileiro. Onde fiquei em dúvida da melhor jogadora em quadra, Sheilla ou Fabiana, Brait a mais regular de todo o GP da seleção brasileira.
    Que jogo pífio por parte da Rússia, confesso que cheguei até a torcer pela Rússia, jogo sofrível para os telespectadores, as russas estavam apáticas e entregues, até a Goncharova não deu seu show, a única que queria jogo era Kosheleva mas suas companheiras, não. O Yury Marichev tem que entender que a seleção russa jamais irá jogar como suas principais concorrentes, Brasil e EUA. As russas não podem fugir da sua tradição, jogar com três jogadoras fortes no ataque nas extremidades, pois as levantadoras não são lá essas coisas, fiquei com pena da Koseanenko… corria pra lá, corria pra cá e acabava com o manchetão kkkk, e as centrais têm que receber uma bola ou outra, as duas levantadoras forçavam com as duas centrais e nesse momento era ponto ganho, tanto a Koseanenko quanto Startseva.
    Enfim… acredito numa Rússia totalmente diferente no Campeonato Mundial, Gamova e Sokolova são indispensáveis para a Rússia, principalmente a primeira, se não for o caso, suas principais concorrentes Brasil e EUA estam muito a frente! Sobre o GP, apesar do Japão está jogando uma bolinha redonda, ACHO que o Brasil será DECACAMPEAO, apesar da vantagem japonesa, mas nunca devemos menosprezar os adversários!!!!

  • Luiz

    Muito bem, meninas! O projeto VERGONHA em 2016 em andamento. heheheheehehehehehehehe

    Só pra constar: nem sempre é muito bom ficar vencendo um mesmo time muitas vezes. Elas acabam aprendendo na hora certa. Se lembram que os EUA deram surras no Brasil durante três anos seguidos, mas na final olímpica não deu certo? To sentindo estas russas muito sonsas, risinhos de canto de boca, sei não…. hehehehehe

  • Juliano

    Gostei do primeiro set. Jogamos como um bom time, no nível de campeão.

    Porém, o resto do jogo eu não gostei. O passe caiu. Lógico que adorei a atuação da Fabiana, Thaísa e Dani Lins. O resto, porém, foi razoável, já que o passe voltou a dar problemas. Quando dava, era claro que a Rússia bloqueava, com exceção da volta da Garay no terceiro set, que explorou e jogou o fino da bola. Para se ter noção, com o passe B, quem segurou o time foi a Fabiana na China.

    Parabéns ao time, mas precisamos evoluir com as jogadas nas pontas. Amanhã, porém, o jogo é o mesmo: bola de meio. É simples. Recepção na mão e cravada pelo meio. Com isto, não há defesa asiática que resita. Vamos em busca do deca, Brasil!

    • Mari

      Realmente o que está me preocupando as vezes é o passe da seleção, principalmente quando a Garay está na rede. Ela está muito insegura no passe e não está dando a confiança que a Dani precisa. Outra coisa que está me irritando na Garay é a falta de paciência no ataque. Nossa, ela está muito aquém do ano passado. Tomara que amanhã jogando com o time mais baixo ela volte a ser a Fê Garay que a gente tanto admira.

  • Guilherme

    E para quem falou que a Sheilla já está ultrapassada, 2º lugar nas estatísticas de ataque!

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo