Vitória com V maiúsculo



Contra um adversário que tradicionalmente incomoda muito, o Brasil mostrou todos os seus predicados, neste madrugada. Com autoridade, bateu os Estados Unidos por 3 a 1, parciais de 25-17, 25-18, 16-25 e 25-16. Três pontos importantíssimos para obtenção da vaga olímpica.

Chama muito a atenção as parciais dos sets entre dois rivais que se conhecem tanto.

O saque brasileiro fez a diferença e tirou os americanos da zona de conforto (expressão que Bernardinho tanto gosta de usar). O técnico Alain Knipe admitiu que a agressividade do Brasil fez a diferença.

Lucão, MVP do duelo e autor de 16 pontos, foi além.

– Esse foi um dos melhores jogos que fizemos neste ano.

E ele tem razão. O Brasil, em 2011, vinha devendo uma atuação como essa. Mesmo sem Dante, com uma lesão abdominal e sem prazo para retornar, o time não perdeu força ofensiva. Giba, Murilo e Escadinha deram a estabilidade que o passe precisava em quase todo o duelo, facilitando a distribuição de Marlon. O oposto Leandro Vissotto, autor de 18 pontos, foi outro que voltou a jogar bem e ser decisivo.

Contra a Itália, nesta madrugada (4h de Brasília), o jogo deixa de ser tático como o de hoje e se transforma em emocional. Se  a Azzurra viu trechos do duelo Brasil x EUA, vai precisar usar todo o arsenal de provocações para ter alguma chance de vencer.



  • Rubens

    De fato a melhor partida do Brasil em algum tempo. Foram quase perfeitos, além do bloqueio ter funcionado, esse que é o principal problema dessa seleção atual. Estão de parabéns por esse jogo.

  • Naty

    Eu assisti o jogo e realmente o Brasil foi muito bem! O Brasil é privilegiado mesmo por ter uma safra de tantos e tão bons jogadores, coisa que seleção nenhuma no mundo tem! Temos reservas de luxo! Veja os Estados Unidos hoje……o Stanley jogou muito mal nos dois primeiros sets…nem o saque dele estava entrando….um oposto que faz dois pontos em dois sets com certeza sairia do jogo se fosse na seleção brasileira…..mas na seleção americana não, pq os caras não tem banco…..

  • Jairo (RJ)

    Daniel, uma atuação muito boa realmente. Na minha visão a defesa também foi um ponto forte hoje.
    Serginho fez diferença (que o diga o Stanley naquelas duas defesas seguidas). A aceleração do Giba, com o sacrifício do Murilo que jogou pro time funcionar.

    O passe funcionou. Bela atuação do Vissotto. O único num tom menor que os demais foi o Sidão, mas nada que demais.
    Tudo bem que o Brasil caçou o Priddy, mas ele pareceu-me fora destoar do time americano. Pela enfase da TV japonesa em mostrar o Anderson, bom jogador, não me admira que figure como o MVP do campeonato (vc conhece a FIVB, não é mesmo?)

    Quanto a Itália, uma pitada de paciência faz-se necessário, pois quem tiver mais calma ganha, embora pelo jogo deles contra a Rússia, ficou evidente que falta algo mais naquela equipe. Preocupa-me mais a Rússsia pois a consistência apresentada foi muito forte. Se vão levar o título não sei, mas naquele jogo estavam voando.!!!

  • Ismael

    Realmente a agressividade do Brasil fez toda a diferença. Mas vi uma seleção americana muito fácil de ser batida. Pelo menos eu estava esperando uma pressão maior para cima do Brasil e não acontece.
    Ficou claro e evidente que as seleções americanas tem ótimo jogadores em quadra, mas carecem demais de um banco confiável para recolocar a sua seleção no jogo.
    A definição do campeonato parece ficar entre Brasil e Rússia…mesmo que seja cedo para qualquer avaliação !

  • Mauricio

    Vissotto foi o nome do jogo! Sequencia de saques e ataques impressionantes. Um monstro de 2,12 (ou sei lá a altura real do cara!). Lucão também deu umas cravadas impressionantes, além dos ataques (e saques também) do Sidão e Giba. Palmas para a seleção masculina, palmas o Bernardinho.

  • Daniel

    Depois de dias sofrendo com a sonolenta e apática seleção feminina fomos brindados com uma atuação espetacular dos comandados de Bernardinho. Quanta raça. Quantos capitães num mesmo time. O que falar da entrega de Giba, Murilo e Serginho ao time? E Vissoto de volta em grande estilo? E Lucão? Bem, tá só começando, e ainda falta muito, principalmente a Rússia, mas vale a pena madrugar pra ver esses caras jogando.

  • Márlon

    A Itália só ganha do Brasil nas provocações mesmo. No vôlei, coitados… rsrsrs

  • Joao Paulo

    E a Argentina que prometia uma grande competição principalmente depois da boa estreia, fez um jogo vergonhoso contra a China, perdedendo 2 sets e mostrando que o time ainda precisa amadurecer para ser um dos grandes…

    • emanuella

      Japão. terceiro set foi 25×11. incrivel

  • Márcio Tame

    O Brasil jogou muito bem, apesar da desconcentração no terceiro set. O saque/bloqueio funcionaram como a muito tempo não funcionava. Stanley não conseguiu jogar. Já o Anderson vai causar grandes problemas no futuro, vira as bolas mais dificieis do time. Ao que parece Marlon acertou o tempo de bola de Visotto, bolas altas e mais lentas, hoje foi o melhor apesar do Lucão ter sido escolhido o melhor. Chama muita atenção a forma extraordinaria do Giba. Murilo e Serginho dão a segurança na defesa e no passe que o time precisa, sem os dois o time não joga!!!!
    Jogar contra a Italia é sempre dificil, a provocação e a rivalidade entrará em quadra, acredito na em uma vitória por 3X1, com parciais mais apertadas que as hoje…

  • Luciano

    Hoje aconteceu o inverso, o Stanley jogou como o Vissoto e o Vissoto jogou como o Stanley, moral da história Brasil mais confiante com as viradas de bola do oposto e confiança no passe pois foi nosso forte, passe e saque, e bloqueio por consequência. E claro que o Leandro olhou pro banco e viu que tinha Wallace lá, pensou, deixa eu me esforçar senão o chefe me tira e não entro mais… hehehe

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo