Visitantes mostram força na rodada



Além dos triunfos do Sesc  e do Sada/Cruzeiro, a rodada inaugural da Superliga masculina teve um show dos visitantes.

Em Ponta Grossa (PR), o Vôlei Renata derrotou o Caramuru em sets diretos: 25-21, 25-21 e 25-20. O oposto Leandro Vissotto foi eleito o melhor em quadra e recebeu o troféu VivaVôlei.

– Foi um jogo coletivo muito bom. Conseguimos executar bem o plano tático que planejamos e a vitória apareceu. O grupo todo está de parabéns. Temos que manter o ritmo para o restante da Superliga – comentou o campeão mundial Vissotto, autor de 23 pontos.

Também no Paraná, o Sesi também começou a Superliga com o pé direito após bater o Copel Telecom/Maringá. Vitória em sets diretos, parciais de 25-22, 25-22 e 25-13.

Autor de 20 pontos, sendo três de bloqueio, o oposto Alan foi o maior pontuador da partida e garantiu o troféu VivaVôlei.

– Esse resultado é extremamente importante, não só por ser uma estreia, mas também por ter sido um jogo fora. Nós temos ai uma sequência pesada de quatro confrontos na casa do adversário e só depois vamos para nossa casa. Então, todo esse trabalho servirá para nos dar confiança e chegar em casa bem e seguir crescendo na competição – disse o campeão olímpico Douglas Souza.

Já o Minas foi até Juiz de Fora para derrotar o rival local por 3 sets a 1, parciais de 25-11, 25-22, 24-26 e 25-21. O oposto Felipe Roque foi eleito o melhor jogador da partida e ficou com o Troféu VivaVôlei.

Este foi o terceiro encontro entre Minas e JF Vôlei nesta temporada. Pelo Campeonato Mineiro, em setembro, as equipes se enfrentaram duas vezes, com o time minastenista vencendo o primeiro jogo por 3 a 0, e o time do interior de Minas Gerais vencendo o segundo por 3 a 2.

Por fim, o mandante que fez sua parte foi o Lebes/Canoas. No Ginásio La Salle, triunfo em sets diretos sobre o Montes Claros por 3 a 0, parciais de 26-24, 25-22 e 25-23.

O oposto Leandrão anotou 24 pontos e foi elogiado pelo técnico Marcel Matz.

– O Leandro foi sensacional virando as bolas e agora é tentar se manter assim. Essa semana, diferente das anteriores onde tivemos jogo atrás de jogo, nós paramos para ver as partidas deles no Mineiro e com calma estudar. A grande chave desse negócio é fazer com que esses jovens consigam se manter obedientes, mas claro que às vezes com o vigor físico, com uma pressão por resultado, se pode sair um pouco da ideia. Eu acho que conseguimos marcar bem eles e até me surpreendi com o início de forma positiva, mas começamos tocando e conseguimos virar – disse Matz, ao Espaço do Vôlei.

Quer ganhar um livro autografado pelo líbero Serginho Escadinha? Saiba como:

http://blogs.lance.com.br/volei/quer-um-livro-autografado-pelo-serginho-escadinha/



MaisRecentes

12 anos. Mas parece que foi ontem em Pequim



Continue Lendo

Unir concorrentes mostra o tamanho de Rodrigo Rodrigues



Continue Lendo

O indispensável fair play precisa evoluir



Continue Lendo