Visão de jogo: Agora é campeão de tudo



Festa celeste no Mineirinho (Alexandre Arruda/Divulgação)

Festa celeste no Mineirinho (Alexandre Arruda/Divulgação)

Texto escrito para a edição desta segunda-feira do LANCE!, sobre a final da Superliga masculina:

Como definir a temporada de um clube que conquistou o título da Superliga masculina e também da divisão de acesso da competição nacional? Enquanto vocês pensam na pergunta, eu procuro explicar os segredos do sucesso do Sada/Cruzeiro.

Neste domingo, no Mineirinho, com 14 mil pessoas, a vitória sobre o Sesi por 3 a 1 garantiu o bicampeonato (consecutivo) na elite do vôlei nacional. E aqui a primeira explicação para o sucesso celeste: os mesmos sete titulares da temporada 2013/2014 começaram jogando a decisão E seis deles já tem contrato para o próximo ano (falta o central Eder). A manutenção do elenco faz com que o entrosamento seja uma arma poderosa do Sada. O técnico argentino Marcelo Mendez, arquiteto por trás dos títulos cruzeirenses, tem o time na mão. E os jogadores se conhecem por uma simples troca de olhares. E tenham certeza de que não é exagero. Basta reparar na sintonia de William e Wallace.

O ponto crítico do jogo aconteceu no terceiro set e comprova outra qualidade do Sada: a cabeça no lugar em momentos decisivos dos jogos. O Sesi teve 24 a 21 e poderia fazer 2 sets a 1. Mas os mineiros souberam neutralizar Lucão em três ataques seguidos e empataram a parcial.  Quando fecharam em 27 a 25, praticamente selaram a conquista. E olha que estamos falando de um adversário que tinha, além do central da Seleção, jogadores do quilate de Escadinha, Murilo, Lucarelli e Marcelinho. E, para ser justo, cito Theo (20 pontos) e Riad (oito pontos de bloqueio), para mim, os dois melhores do Sesi no jogo.

Para tentar encerrar minha explicação sobre o sucesso do Sada, o cubano Leal merece um capítulo à parte. Como jogo fácil o ponta! Foram 21 pontos, o prêmio de melhor jogador da final e a confirmação da grande diferença que ele pode fazer no ataque e no saque. Nesta segunda-feira, na convocação de Bernardinho para a Liga Mundial, existe a expectativa da presença do nome do cubano. Faz tempo que CBV e a comissão técnica da Seleção discutem o processo de naturalização de Leal. Ele quer. A Seleção quer. E mais: precisa de um jogador com estas características para a Rio-2016.

 



  • Mister Vôlei

    Como assim existe a expectativa do nome de Leal na lista de Bernardinho? Por acaso ele já está naturalizado e não estamos sabendo?

    • JR

      Eis a questão, já deve estar td definido então nos bastidores. Mas só amanhã mesmo p saber.

    • Edu

      Ele falou ao Sportv que gostaria de voltar a jogar da seleção cubana caso não fosse possível consideraria a possibilidade da seleção brasileira.Portanto ele não esta naturalizado.A sua entrada na lista deve ser conferida como uma forma de carta de intenção para alavancar seu interesse na naturalização e na seleção.A seleção italiana pretende fazer isso da mesma forma com o Juantorena que estava jogando e morando em Ancara na Turquia nesta temporada.

  • Carlos

    Com Lucarelli amarelando sempre em finais de campeonato seria interessante ter o Leal como opção.

  • Billy

    Tomara que o Leal realmente possa jogar pela seleção brasileira.Que mentalidade besta de achar que só porque é estrangeiro não ¨pegaria bem¨jogar pela seleção brasileira.Admitam que estamos mal de ponteiros passadores atualmente e façam o possível e impossível para naturalizar o Leal para que ele possa atuar o mais rápido possível pelo Brasil.Não será demérito nenhum para a nossa seleção.Alguém concorda??? Os times(rivais do Brasil) no exterior estão cada vez mais fortes e preparados…

  • klaus

    Eu sabia que tinha algo por trás.Por isso você Daniel nunca respondia a respeito.kkkkkEstava tudo muito quieto.E pelas recentes declarações dele algo me dizia que vinha coisa boa por aí.Tomara, vou ficar na expectativa por essa coletiva amanhã.Nossa, se DEUS quiser ele vai estar na lista.Imagina Leal, Lucarelli, Wallace e podia colocar o Murilo de líbero ou até a volta do Serginho.Sem contar com o poderio de ataque do Lucão.Uma notícia dessas se confirmar será um sonho.

  • GIORGIO

    Daniel acredita que o eder renovará?

    Então o leal já está naturalizado?

    No bom demais!

  • marcian

    Eita noticia boa, essa da expectativa…vou rezar e orar pra que esse Cubano, meio mineiro-brasileiro, esteja cravando bolas com a camisa da seleção em breve!

  • Edu

    Uma das sensações de maior nervosismo nos finais da nossa Superliga é que praticamente a maioria dos jogadores e jogadoras entram em situação de desemprego absoluto a partir de abril.Os que vão para a seleção recebem uma ajuda de custo da CBV e a maioria que consegue algum clube praticamente volta a receber financeiramente algo a partir de setembro quando as equipes se realinham para os campeonatos.Por isso o misto de alegria e melancolia após o encerramento das partidas.Em algumas situações e equipes, o Cruzeiro e profunda exceção à regra, se deixa sempre algo em aberto.O exemplo concreto é o Taubaté que apenas se apalavrou com Chupita, Rafa e o líbero Felipe para a próxima temporada.Levando o Sidão a estar profundamente triste pois foi um dos fiadores da entrada de certos jogadores na equipe e tem situação completamente indefinida ,por enquanto,para o time.

  • Luiz

    Murilo, se aposenta por favor. Vai cuidar do Arthur enquanto a Jaqueline põe dinheiro em casa.

    Lukão, deixa de ser arregão.

    Lucareli, ainda dá tempo de desistir do vôlei e se tornar universitário.

    Marcelinho, agora a gente sabe porque você por anos foi reserva do Ricardinho. Levantar três bolas seguidas para o Lukão com bloqueio triplo parado na frente não tem perdão.

    • Billy

      Sempre comentários INSENSATOS e BOBOCAS.Mas o que se poderia esperar mesmo vindo de uma cabeçinha-oca feito a sua LUIZ ? Abraços invejosa…

  • Murilo

    O problema do Sesi (e também da Seleção Brasileira) é continuar acreditando que pode jogar com um ponteiro sem poder de ataque (o mesmo Murilo). Sim, o Murilo é exímio passador, defensor e bloqueador, porém não consegue virar 1 bola e suas passagens pela rede são comprometidas (vide 24 a 21 – tudo bem que o Marcelinho poderia ter sido mais criativo). A final do Mundial para o Brasil foi igual. Quando o jogo aperta e está muito disputado não existe a possibilidade de abrir mao de um atacante. Bernardo, acho que vale rever esse conceito!

  • humberto

    Ta certo Daniel que todo mundo sabe e vc nao faz questão de esconder sua “queda” e “torcida” pelo cruzeiro,tanto é que eles perderam a copa brasil e vc mau noticiou a conquista pelo taubaté,e vc vai dar uma resposta super ácida pois vc nao aceita critica e nem sei se vai publicar,mas campeão de tudo??? quem ganhou a copa brasil?taubaté.quem ganhou o sul americano?upcn,e nao diga que nao entendi pois li a materia e e vc ressalta a conquista do time na superliga b,onde,sem querer desmerecer,so tem time de baixissimo nível.

    • Daniel Bortoletto

      Sou cruzeirense, torcedor do Rexona, do Molico, do Minas… depende do gosto do leitor

      • Raffy

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Alan

    Oi Daniel!

    Ano passado, não sei se você se recorda, a exatos um ano atrás, fiz um relato a você de como a situação do Mineirinho estava precária durante a realização da final da Superliga Masculina, também entre Sada Cruzeiro e Sesi, e você reproduziu no seu blog.
    Bom, como acho que a crítica deve existir e ser respeitada, também acredito que os elogios devam receber o mesmo destaque.
    Estive, novamente, ontem na final da Superliga (vencida, mais uma vez pelo meu time do coração) e a situação que encontrei lá foi surpreendentemente melhor. Apesar da estrutura do ginásio continuar precária (cadeiras antigas, pouco espaço entre as fileiras, banheiros sem muita estrutura, lonas tapando espaços no teto, etc.), a CBV proporcionou a torcida um tratamento digno da Copa do Mundo: muitos seguranças, espaços promocionais dos patrocinadores, excelente sinalização na entrada do ginásio, vários funcionários indicando aos torcedores quais caminhos deveria seguir, muita variedade nas lanchonetes (salgados, sorvete, pipoca, refrigerante, água, doces, balas, etc.), equipe de limpeza que mantinha os banheiros em boas condições de uso, equipe de entretenimento que deu um show nos intervalos entre os sets e tempos técnicos, dentre outros aspectos que não vimos na edição anterior.
    Sabemos que o ginásio em si necessita de uma reforma completa. Também temos ciência de, diante de torneios europeus, ficamos devendo em organização. No entanto, acho que é valido ressaltar a considerável melhora na gestão da CBV, ao menos no que diz respeito a um dos seus principais produtos: a Superliga.

    Abraço!

    • Daniel Bortoletto

      muito bom saber, Alan

MaisRecentes

A dor de Gabi e de quem estava ao lado



Continue Lendo

Duas gratas surpresas na Superliga



Continue Lendo

Minas espera Hooker ainda em outubro



Continue Lendo