Viradaça!



Fiquei até com vontade de iniciar este texto com um palavrão. Mas me contive. Mas a vitória do Brasil sobre a Turquia, neste sábado, no tie-break, até merecia um desabafo.

Sair de 0 a 2 para 3 a 2, em alguns momentos, me pareceu impossível. Mas a Seleção encontrou o jogo que não entrou nas primeiras parciais para conseguir uma vitória que dá moral para a longa caminhada para o título inédito. Talvez, lá na segunda quinzena de outubro, a gente volte a falar do jogo de hoje como um marco para a conquista, na Itália.

Único adversário que conseguiu a vencer o Brasil no último Grand Prix, a Turquia começou a partida da mesma forma que terminou o anterior lá no Japão. Sacando demais, tirando Jaqueline e Fernanda Garay do sério e desestabilizando o time todo. De um lado, nada dava certo. Do outro, um time voando no primeiro set.

Zé Roberto apostou em Gabi na vaga de Garay e o equilíbriou aconteceu até o 22º ponto da segunda parcial. Daí em diante o bloqueio turco apareceu com tudo, fez três pontos seguidos e o placar mostrava um justo 2 a 0 para a equipe de Massimo Barbolini.

Um ponto de saque, outro de bloqueio e o início do terceiro set foi decisivo para mudar o astral do Brasil em quadra. As jogadoras passaram a sorrir, a desconcentração se transformou em luta por cada bola e o jogo começou a fluir. A defesa, que não conseguia levantar bolas, passou a gerar contra-ataques. O bloqueio passou a parar Sonsirma, Seda e Ozsoy. E a virada de bola, antes instável, teve um aproveitamento muito maior. 1 a 2, 2 a 2 e tie-break. Parecia uma virada inevitável após os primeiros pontos do quinto set, quando a Turquia, em um último esforço para se manter viva no Mundial, abriu 8 a 5. Zé Roberto tirou Dani Lins e Sheilla e colocou Tandara e Fabíola. Garay foi para o saque. E os sorrisos voltaram para o lado verde-amarelo. E o placar logo virou para 10 a 8. Gabi ainda entrou para sacar no lugar de Fabiana e ajudou a vantagem a aumentar. Ao voltar as titulares, Zé fez um afago especial em Fabíola, levantadora que foi cortada às vésperas da última Olimpíada e que também teve um desentendimento com a comissão técnica nas finais do Grand Prix. Reconhecimento de que a reserva foi decisiva quando acionada.

Primeira prova, neste Mundial, que o grupo todo pode fazer a diferença.

Que a virada e os 24 pontos de bloqueio sejam um divisor de águas para a Seleção na Itália!

 

 

 

 



  • Willker

    Foi um jogo bem disputado. Nos dois primeiros sets a levantadora Naz desequilibrou no saque e deixou o bloqueio brasileiro que nem cego em tiroteio.
    Achei muito bom o Brasil ter um jogo duro desse. Dá moral e aponta os erros que são necessários corrigir.
    Fora que para nós telespectadores esses tipos de jogos são um deleite para assistir.
    Bora Brasil. Eu acredito no título 🙂

  • Aline

    Daniel, não se esqueça do Vôlei de Praia.
    O Grand Slam de São Paulo está acontecendo essa semana e grande final será amanhã!
    As melhores duplas do mundo foram sendo derrubadas uma a uma e quem está na final? Brasileiros e Holandeses.
    Pelo Brasil participaram as SEIS melhores duplas nacionais e Emanuel/Ricardo foram os únicos que chegaram até as semifinais!
    Os adversários da final são OS GIGANTES HOLANDESES Christiaan Varenhorst(2,11m) e Reinder Nummerdor(1,94m).
    Numa semifinal muito emocionante contra os poloneses Bartosz Losiak e Piotr Kantor, Emanuel e Ricardo tiveram paciência para virar o primeiro set e fechar em 28-26, e manter a o ritmo para liquidar no segundo em 21-17.
    Outros duplas fortíssimas como as dos italianos, espanhóis, americanos, alemães, canadenses e letões foram eliminadas uma a uma e os Campeoníssimos Emanuel e Ricardo tem agora uma parada duríssima contra os holandeses Varenhorst e Nummerdor.
    Nummerdor foi eleito por 2 vezes o melhor defensor do Cricuito Mundial, ao passo que o gigante Varenhorst do topo dos seus 2,11m é uma das maiores muralhas do Circuito.

    • Daniel Bortoletto

      não esqueço. Até vi parte da semi da Larissa/Talita contra Maria Clara/Carol. Estão jogando bem

  • Roberto

    Só tinha batido em cachorro morto até então, o primeiro time mais ou menos, sim, porque a Turquia é bem meia boca, só foi ganhar na bacia das almas, se a Jaqueline é a nossa melhor recepção, hoje só deu prejuízo, Garay uma negação, Sheilla mostrando porque a Tandara deve ser a titular, erros bisonhos, Dani Lins voltando a velha forma Pani Lins, e pra coroar com Cereja no bolo, a mijada pública da Thaisa no treinador. Viradaça, mas com essa bolinha, cai na segunda fase.

    • cristiane

      nas olimpiadas tbm,, iam cair né,… e vc acho q deve ter visto o resultado!!!..se for brasileiro…. pense mais positivo..

      • Roberto

        nas olimpiadas tbm,, iam cair né,… IAM!!!!! E vc agradeça ao Bom Samaritano TIO SAM.

        • Fernando Lopes

          Caro Roberto, de bom samaritano tio sam não tem nada. Soberba pura. Levou o dele…

          • Roberto

            Concordo, é pura soberba, mas falando especificamente daquele jogo, elas devem estar arrependidas até a alma, porque o Brasil iria cair, mas a soberba como você disse, falou mais alto, o termo bom samaritano no caso, foi só uma forma de expressar a ajuda fundamental dos EUA na classificação do Brasil.

  • Jairo(RJ)

    Daniel, hoje tive a oportunidade de ver pela primeira vez o mundial feminino, dúvidas:
    1) teremos sorteio?
    2) porque não tem vídeo check ?

  • sempre um jogo difícil contra as turcas,em londres 3×2 ,no grand prix 2×3 ,e agr mais um 3×2

    agr e partir com td pra cima da sérvia amanhã,será super importante o 1 lugar

    #borabrasil

  • O brasil jogou uma partida em que tudo parecia dar errado a dani lins sem a precisão nos levantamentos as jogadoras nervosas pois não estavam encontrando o melhor jogo e a jaque simplesmente bombardeada nos saques turcos nas estatísticas 52 dos 86 serviços para variar a dupla sonsirma e ozoyl jogando tudo e mais um pouco pelo menos até o 5 set apenas 10 erros das turcas contra 20 das brasileiras mais o bloqueio funcionou e quando o blok funciona numa partida dificilmente o Brasil perde pois foi assim que conquistaram o ouro em pequim com 4 jogadoras entre as 10 melhores bloqueadoras!o jogo foi mudando de cara quando o banco foi ajudando foi muito bem utilizado nas inversões principalmente no fim do tie brek e no fim o conjunto se dou muita pra não entregar o jogo, hoje finalmente começou o campeonato pro brasil e bom essas dificuldades pra as brasileiras entrar no ritmo já pensando lá na frente quando pegar Rússia e Eua valeu a vitória e os 2 pontos que concerteza vai fazer a diferença lá no final pra classificação valeu brasil.

  • Caio

    Eita, quer dizer que houve mesmo um desentendimento entre Fabíola e CT nas finais do GP? O inimigo do vôlei brasileiro postou isso e foi chamado de mentiroso ksksksksksk

    • pedro

      o que vc quis dizer com CT? não entendi o que significa esse acrônimo. Centro de treinamento? técnico, coach que não é.

      o blog de voloch é muito sensacionalista, não gosto de frequentá-lo. os comentaristas de lá só sabem destratar nossos atletas. até parece que sempre estão torcendo contra ( e não parece, é certeza).

      agora uma coisa é certa: são “torcedores” frustrados. não são nada na vida ao contrários de nossas atletas campeoníssimos do vôlei masculino e feminino (tanto em quadra como na praia)

      • Caio

        Quase amigo, CT = Comissão técnica.

      • Alex Lima

        Fora a campanha de exaltação do Ary Graça e FIVB. É tanta cara de pau que logo será um blog de marcenaria e não de vôlei. Por falar nisso… Nenhum blog ou site de vôlei comenta as denúncias contra o Ary Graça. “Tão estranho”!!!! Precisa outro comentarista comentar sobre denúncias contra o Ary Gra$$a num Fórum Internacional para discutir a corrupção no esporte.
        NADA!!! Nenhuma notinha sequer sobre o assunto. UAI?!?! Qnd é pra detonar CBV, Bernardinho, Zé Roberto, derrotas da seleção os caras chegam com pesadas artilharias na mão, mas qnd é pra falar contra o “PODEROSO” fica todo mundo pianinho. Sei não… Decepção!!! Brasil sempre mostrando sua cara!!!!

  • Juliano

    Não fiquei nenhum pouco feliz com este jogo. A vitória foi importante, mas mais uma vez o Brasil mostra que não tem ponta que vira na marra, com bolas altas. Garay conseguia exercer este papel até 2013, depois não conseguiu mais ser esta bola.

    Dani Lins que se cuide, pois Fabíola está na cola dela. Dani não pode ter problema de levantamento justamente com a Sheila. Pelo amor, né.

    Show da Fabiana. Levou bloqueio, ficou bem marcada, mas fez a diferença mesmo assim.

    Brait foi outra. Passado o sustou, brilhou intensamento. Jogou muito. Teve trabalho, com Garay e Jaqueline quinando passe, mostrou que pode finalmente ocupar o papel de liderança da Fabi.

    Espero melhores jogos do Brasil, porque o nível tava muito baixo. Parecia que tinha medo da Turquia. Pelo amor, o time número um, bicampeão olímpico e e atual campeão do Grand Prix não pode jogar como fosse amador.

    Torço que isto sirva como alerta para Dani Lins e seus panes, para que ZR a corrija de vez, bem como cuide da cabeça destas pontas com sérios problemas de recepção.

    • Roberto

      Quem tem que virar na marra é a oposta, aí é que está o problema, coitadas das ponteiras brasileiras que estão sendo sobrecarregadas, não há um desafogo. Você viu o banho de bola que uma menina de 17 anos deu hoje nas opostas brasileiras? Eu acho que o problema não é só da Dani, não ter uma oposta que consiga atacar uma bola alta forte, complica demais, acho que esse é o maior problema da seleção brasileira.

      • Juliano

        Mas aí está o pior. Sheila pode não ter a força de Tandara, mas Dani Lins simplesmente não levanta para ela as bolas em que ela pode pegar impulsão e velocidade para suprir a falta de potência.

        Ela praticamente só joga com a Sheila na rede e sem deixá-la tomar aquela arrancada para o ataque. Desta forma, com um simples pulo e “ataque de central”, a Sheila não vira mesmo.

        Sheila tem pipe e bola atrás da linha dos três metros que Dani Lins não usa. São as melhores da Sheila, são as que fizeram diferença em Londres. Com estas bolas, Sheila corre e usa a velocidade do braço.

        • Roberto

          Eu não consigo enxergar na Sheilla mais essa jogadora, não há um jogo depois de Londres, seja em clube ou na seleção, que ela foi o diferencial, o tempo passa e gostem ou não a Dani é nossa melhor levantadora.

  • Lilika

    Dava um medo toda vez que a Sonsirma atacava…medo maior ainda da levantadora Naz toda vez que ia pro saque…affff rsrs. Belo teste…e banco aparecendo quando é acionado, vamos que vamos amanhã Sèrvia.

  • filhodedavid

    Para mim, o jogo turco não encaixa com a Tandara e Gabi, pois desde o jogo do Grand Prix, elas deram trabalho para a Turquia, essa é uma situação para o José Roberto analisar.

  • Sergio

    A pedra no sapato do Brasil não são mais as americanas, nem as russas, mas as turcas, claro, que “aprenderam” a jogar contra as brasileiras. Não é fácil mesmo se manter no topo. Jogo tenso, técnico e jogadoras – sobretudo a Taísa, que foi a “sensação” pós-jogo, ao criticar “quase abertamente” o Zé – muito nervosos. Mas valeu. Amanhã o Brasil baterá, relativamente com facilidade, a Sérvia. E o repórter da Sportv, que gaiato, hein?
    “Taísa, o que vc quer dizer exatamente com fatores extra-quadra”? (ou seja, o excesso de xingamentos do Zé Roberto…) kkkkk

  • Luciano

    A Garay tá parecendo a Sassá em versão piorada. Tá atacando uma ou duas bolas, ficando nos bloqueios e passando mal. Pelo menos a Sassá dava estabilidade no passe..

  • João

    Jaqueline melhor atacante do mundial e 26ª na recepção. Como assim?? KKKKK

  • marcian

    Como a Garay caiu de produção…

    Brasil acorda!

    Olha a Russia, e os EUA nos couros não! Rum.

  • Alex Lima

    Falei que desde o primeiro jogo fiquei preocupado com a Garay!!! Sei não… Mas cuidado que a Mari está voltando!!! Essa temporada no Osasco pode dar uma esperança de volta da Mari na seleção. Pelo menos, qnd o passe estoura, é jogar uma bola alta e a pancada vem.

  • Fernando Lopes

    Essa Thaisa na maioria das finais é irregular, vide últimas superligas e estatísticas na seleção. No osasco está acostumada a perder campeonatos contra equipes inferiores. Somente tem conseguido títulos importantes com JR. Porque não joga o que sabe e deixa de puxar o tapete?

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo