De virada, Brasil estreia com derrota na era Renan



O ciclo olímpico Tóquio-2020 começou com derrota de virada para a Seleção Brasileira masculina. Os atuais medalhistas de ouro na Olimpíada foram superados pela Polônia na abertura da Liga Mundial, em Pesaro, na Itália, por 3 sets a 2, parciais de 25-20, 20-25, 19-25, 25-22 e 15-8.

O jogo marcou a estreia de Renan Dal Zotto no comando do Brasil, após os 15 anos da era Bernardinho. Neste sábado, o compromisso será contra o Irã, ao meio-dia (de Brasília).

Admito que foi estranho no início olhar para a TV e não ver Bernardinho rasgando a camisa ou mordendo a bola após uma marcação duvidosa da arbitragem. Claro que peguei dois exemplos extremos das reações do treinador, que certamente fará mais falta pela competência no trabalho. Mas é hora de virar a página e deixar o passado vitorioso para trás.

Como anunciado ainda no Brasil, durante o lançamento do novo uniforme confeccionado pela Asics, na semana passada, (http://blogs.lance.com.br/volei/recado-renan-dal-zotto/), Renan escalou um time-base com seis campeões olímpicos: Bruninho, Evandro, Lucarelli, Maurício Borges, Maurício Souza e Lucão. O único “intruso” foi o líbero Tiago Brendle. E o início foi bem animador, com o bloqueio funcionando muito bem diante de um ataque poderoso, liderado por Kurek e Kubiak. O jogo seguiu parelho até o 17º ponto. A partir daí o Brasil passou a errar demais em todos os fundamentos, facilitando demais a vida dos poloneses.

Renan não mexeu no time para a segunda parcial. A mudança principal aconteceu na performance da linha de passe, mais segura, permitindo que Bruninho variasse mais os ataques. Como o desempenho do bloqueio seguiu ótimo, o Brasil manteve-se no controle das ações para fechar sem sustos e igualar o placar.

O nível de jogo da Seleção se manteve alto no terceiro set, impedindo que a Polônia, atual campeã mundial, jogasse com o conforto de liderar o placar. E o fundamento que destacou-se desta vez foi o ataque. Com segurança, Maurício Borges e Evandro foram eficientes e não desperdiçaram chances de pontuar. No fim da parcial, Lucarelli teve ótima passagem pela saque, fazendo o Brasil fechar e 25 a 19.

O italiano Fefe de Giorgi mudou a Polônia para o quarto set, trocando o levantador (Lomacs na vaga de Drzyzga), sacando Kurek pelo talentoso canhoto Sliwka e mexendo também no meio de rede. Só uma coisa não mudou: ver Kubiak metido em bate-boca. O equilíbrio foi a tônica até o 20º pontos, quando os erros do Brasil aumentaram e os europeus se aproveitaram para fechar em 25 a 22.

Festa brasileira em Pesaro (FIVB Divulgação)

Festa brasileira em Pesaro durou até a metade do quarto set (FIVB Divulgação)

As trocas na Polônia seguiram surtindo efeito no tie-break. Sliwka desequilibrou no passe e no ataque, sendo muito acionado por Lomacs. Renan Dal Zotto colocou Douglas Souza, Murilo Radke e Renan Buiatti. Em vão.

Evandro foi o maior pontuador do duelo com 22 pontos, dois a mais do que Konarski. Lucarelli anotou 18, enquanto Sliwka, destaque da virada, somou 12. Nos fundamentos, equilíbrio no bloqueio (14 a 13 Brasil), igualdade nos aces (6 a 6), vantagem brasileira nos ataques (61 a 55) e um exagero verde-amarelo nos erros (30 a 19).

– O nosso time cometeu muitos erros, não tínhamos feito nenhum amistoso e é difícil vir sem nenhum tipo de treinamento um pouco mais sério. Mas, é início de um trabalho, temos muito a crescer ainda, buscar melhorar, evoluir a cada partida e é esse que tem que ser o nosso objetivo – comentou Bruninho.

– Foi um 3 a 2 foi importante para vermos o que é preciso melhorar, já que não tivemos a oportunidade de analisar isso antes da estreia – completou Renan.

A nota negativa deste primeiro dia de Liga Mundial foi a dificuldade para obter informações em tempo real. A Federação Internacional, que há tempos faz um trabalho de excelência no seu site oficial em todas as competições, desta vez deixou a desejar. O placar não atualizava, as estatísticas individuais dos jogadores estavam todas zeradas… Até a transmissão da TV sofreu, com a ausência do placar, algo tão básico quanto a imagem. O SporTV, após se desculpar algumas vezes e alegar responsabilidade da “transmissão internacional”, passou a colocar o resultado do jogo apenas no segundo set. Torço para que tenha sido algo pontual.

 



MaisRecentes

São Bernardo desiste do Paulista. Alerta ligado na Superliga



Continue Lendo

Brasil leva virada dos Estados Unidos em terceiro amistoso



Continue Lendo

Vaivém: Fronckowiak anunciado por clube polonês



Continue Lendo