Vaivém: Vini festeja sexta temporada em Campinas



O meio de rede Vini completará na temporada 2018/2019 a sexta no projeto de Campinas, pela segunda vez com o nome Vôlei Renata.

Da experiência iniciada em meados de 2013 até hoje, o jogador coleciona bons resultados e o reconhecimento da torcida.

– Estou muito feliz. Poucos atletas tem o privilégio de estar seis temporadas em uma mesma equipe. Por isto, é mais um motivo para comemorar. A expectativa é a melhor possível, não poderia ser diferente. Vai ser uma temporada dura, difícil, mas vamos estar juntos novamente em busca de nossos objetivos – comentou o central.

No projeto campineiro, Vini foi vice-campeão paulista em 2013, levantou o título da Copa São Paulo em 2014, além de fazer parte da equipe que subiu ao pódio em todas as competições que disputou em 2015/2016. Na temporada 2017/2018, ele foi o atleta do Vôlei Renata que mais esteve em quadra, participando de 133 sets dos 134 que o time campineiro disputou. Foi ainda o principal bloqueador da equipe, com 85 pontos no fundamento.

– Viver altos e baixos faz parte da vida de atleta, um ano você é titular, no outro não. O mais importante é encarar as coisas de forma positiva e agregar o máximo. Desde que cheguei, coloquei na cabeça que quero ajudar o projeto da melhor forma possível – completou Vini.

playoffs

Vini, o camisa 11, é uma das referências do Vôlei Renata (Divulgação)

A longevidade faz de Vini um exemplo dentro do projeto.

– O Vini é um cara fantástico, não tem o que falar dele. Além de ser um exemplo para nossos meninos das categorias de base pela perseverança durante toda carreira e qualidade técnica, é um líder nato. Ficamos muito felizes em seguir contando com ele – acrescentou Maurício Lima, embaixador do Vôlei Renata.

Nos próximos dias o time de Campinas deve confirmar as primeiras contratações. Já estão acertados o levantador argentino Demian Gonzalez, o ponta Bruno Temponi, o líbero Lukinha, além dos centrais Luizinho e Michel Saraiva.

– Pelo que tenho visto, o time está ficando forte, com jogadores experientes, acostumados a disputar jogos decisivos e títulos. Isto nos dá margem para brigar de igual para igual com as principais equipes – encerrou Vini.

LEIA TAMBÉM

+ Minas comemora sucesso da base no masculino



MaisRecentes

Quem se deu bem nos grupos da segunda fase do Mundial masculino?



Continue Lendo

Brasil cumpre obrigação e agora torce por rival por liderança



Continue Lendo

Brasil se recupera, vence o Canadá e ainda pode ser 1º do grupo



Continue Lendo