Venturini fala sobre dificuldades físicas e prazer antes da despedida



Acabo de ler algumas declarações de Fernanda Venturini enviadas pela assessoria da Unilever.

Ela falou sobre problemas físicos, o prazer de voltar a jogar após três anos de aposentadoria e da emoção de encerrar a carreira, mais uma vez, após o maior clássico do vôlei brasileiro contra o Sollys/Nestlé, no sábado.

Aos 41 anos é mãe de Júlia, de 10, e Vitória, de 2.

– Foi uma experiência gostosa, prazerosa em relação ao convívio na equipe. Isso, com certeza. Mas, por outro lado, precisei conviver com problemas físicos, entre eles o desgaste da cartilagem articular do joelho e a hérnia cervical, que dificultaram muito o meu desempenho. Isso não foi nada agradável. Não treinei direito como eu gostaria e não quero o sofrimento de ter que tomar remédio para jogar.

– Só tenho a agradecer por tudo o que conquistei. O vôlei me deu a melhor coisa do mundo: um marido maravilhoso, com o qual tive duas filhas lindas. Crianças precisam de mãe. Agora vou tomar conta delas, estar mais tempo junto, e tocar minha franquia da Fórmula (academia de ginástica).

Pelo jeito, esta despedida será definitiva.

 



  • Fabio Rodrigues

    Essa tem tanto prazer da despedida que se despede várias vezes.

    • Mauricio

      concordo.

  • Jairo(RJ)

    No programa Quadro de Medalhas do Esporte Interativo, o Bernadinho mais uma vez falou que o recurso de tirar a Fernanda da aposentadoria deveu-se ao fato de Dani Lins ter comunicado a saída para o Sesi dois dias antes do prazo de fechamento das contratações. Então, segundo ele, não havia levantadoras disponíveis no mercado e com isso de comum acordo optaram por mais uma volta de Fernanda.

    O corpo fala, exemplo prático foram algumas bolas defensáveis no último jogo contra o VF em que ela não conseguiu a mobilidade necessária para agachar.

    Por conta do que ela já jogou, pelos problemas físicos e cobranças maternais, penso que agora será definitiva a despedida. Senão vira uma saga… As despedidas de Fernanda Venturini! hehehe

  • hergonio

    acho que o valdelires da loja eletrica tem tudo aver com o radio de bandeirinhas anonimos internacionais, por isso o golpe do bau ja era planejado pelos africanos.

  • Luiz

    Vocês se lebram daquele jogador de chinês de basquete que foi planejado pelo governo para que se tornasse um grande esportistas? Escolheram uma mulher gigante e um homem gigante que tinham grande talento como esportistas para fazerem um super bebê.
    Pois bem! Poderiam fazer o mesmo aqui. Tah na hora de cruzarem o material genático da Fernanda com o do Ricardinho… kkkkkkkk Vamos presidente, Dilma. Ainda da tempo!!!

    Antes que apareçam os malucos, deixo claro que isto é só uma brincadeira. Aqui a gente tem que deixar as coisas bem claras.

    • César Castro

      Luiz, isso já foi feito!

      Nasceu uma bela jaquinha!!!!

      Huhauhauahau

    • Lucas

      Po, Luiz, misturar a Venturini com o Bernardinho não tá bom não?! rsrsrs
      Se o talento for genético teremos duas levantadoras do mais alto nível aí!!! Júlia e Vitória.
      Mas não se esqueça do filho do Pelé…. O “grande” goleiro Edinho!!!

    • Mauricio

      Ha! Você tá é querendo comprar briga com o BERNARDINHO DUAS VEZES! Tentar criar um ser com os genes da VENTURINi com o do RICARDINHO é falar que ele nunca foi um bom levantador e que o RICARDINHO é de raça superior ao seu filho, BRUNINHO. ahahahaha

      • Luiz

        kkkkkkkkkkkkkkkk

        Eu quero é briga!!! Lágrimas, disputas judiciais, circo da mídia!!!

        • Afonso RJ

          Tá. Então deixa o vôlei pré lá e vai assistir ao Big Brother….

  • eder

    a ta na hora dela parar ja é uma levantadora fora de serie mais ja deu o tinha que dar mas vale resaltar q a safra de levantadoras esta muito ruim no brasil tirando a fabiola a dani lins nau vejo outra ao nivel de seleçao brasileira sao muito fracas as nossas levantadoras no brasil hj eu penso assim

  • Adriano

    Isso daí explica muita coisa, na minha opinião – não que fosse novidade, claro – sobre a queda de rendimento da Unilever de metade do returno pro restante do campeonato. Da metade do turno pro começo do returno, a Fernanda alcançou o ápice físico dela e, conseqüentemente, tava esbanjando talento no aspecto técnico. Tecnicamente, ela é imbatível, comparada a qualquer outra levantadora da Superliga. E por isso que a Unilever tava sobrando, até determinado momento (claro, casado com o problema que o Sollys teve com a Fabíola e com a chegada tardia da Hooker, que impediu o time de jogar em alto nível durante o turno).

    Eu sempre achei muito estranho que alguns aspectos de entrosamento tenham piorado da Fernanda pra com as atacantes do time, especialmente com a Juciely (parece que elas não se acertam mais!) e com as pontas. A Regiane fez uma partida fantástica no ataque contra o Sollys, no turno, porque a Fernanda, estando em suas plenas condições físicas, tem essa capacidade de fazer isso por atacantes razoáveis e medíocres. Ela fez isso a sua vida toda jogando em clubes. Denise, Rô, Bia, tão aí pra comprovar isso. Com a Regiane era a mesma coisa, por exemplo.

    Agora que a Fernanda tá nos limites físicos dela, é notório o quanto ela tem dificuldade de render tecnicamente. E pra um time como a Unilever, que tem centrais baixas, uma ponteira de alto nível que está numa fase técnica ruim e outra ponteira de nível médio e irregular, além de ser um time de passe inconsistente, isso faz toda a diferença. Sem falar que o time pouco pode se apoiar no seu banco de reservas.

    É uma pena que isso prejudique tanto o time na reta final do campeonato. Acho que os torcedores do time devem se sentir gratos à Fernanda por ela ter topado jogar no time essa temporada, com a saída da Dani Lins, mas a verdade, na minha opinião, é que teria sido muito mais sensato o time investir em outra levantadora – provavelmente estrangeira -, mas que pudesse se doar 100% ao time. A Fernanda, por mais que fosse a melhor opção técnica que o time poderia encontrar, não pode, em função das circunstâncias.

    • Afonso RJ

      Comentário perfeito. Eu ia escrever algo, mas depois que li esse, achei desnecessário, pois que bate exatamente com o que eu penso.
      Só gostaria de registrar minha discordância com alguns que ridiculamente pretendem conhecer todas as intenções da atleta, adivinhando os motivos do seu retorno nqa esperança de retornar ao grupo olímpico!! A essas pessoas é bom que lembremos que em todas as entrevistas que deu, negou seu interesse na seleção, e pelo menos uma vez de forma tão enfática que beirou o mau gosto (“não iria nem se o avião caísse e morresse todo o mundo…”).

      • daniel

        Penso que sábado o jogo será decidido pela Fernanda Venturini. Se a parte física deixar e ela sobrar em quadra o Rio leva, se não, não hverá chances contra Osasco.

  • Léo

    Já ouvi essa história algumas vezes.
    Acho que ela está dando desculpas para o desempenho irregular nessa SL.
    Estávamos acostumados a ver outra “FERNANDA”.
    Que pena….

  • Simone

    a Fernanda Venturini é uma jogadora fantástica, mas já está fora da moda. Melhor ela ficar em casa cuidando das crianças mesmo.

  • Tiago Jonas

    É óbvio que a Fernanda só retornou para a superliga por ter grandes esperanças de ser convocada para as olimpíadas… considerando que se têm falado tanto da crise das levantadoras… e também porque até hoje ela não engoliu o fato da Fofão ter sido campeã olímpica e ela não!!! Uma pena mesmo, pois o Zé Roberto nem cogitou essa hipótese.

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo