Vaivém: Sassá oficializada em Uberlândia



Após uma passagem pelo vôlei polonês, Sassá está de volta ao Brasil.

A jogadora foi confirmada na manhã desta segunda-feira como reforço do Banana Boat/Praia Clube.

Aos 31 anos, a ponta deve ser a referência da equipe de Ricardo Piccinin no passe, seu principal fundamento.

 



  • Osmar Cordeiro

    Muito bom ver as nossa jogadoras (es) retornando ao Brasil , o Praia deve assumir a quarta força do vôlei nacional com a saída da Amil . A equipe está se reforçando e a Sassá vai ajudar muito nesse novo projeto 2014/15 . Seja bem vinda

  • Paula Cerqueira

    Olha a Sassá deverá ser referencia no passe e só. Pq ataque ñ tem. Nessa temporada na Polônia ela quase ñ ajudou seu time no ataque. Agora no fim da temporada o clube fez uma enquete: Quem foi a melhor jogadora do time na temporada?
    Sassá foi a ultima colocada com 1% dos votos (altíssima rejeição). Logo, dificilmente seguiria no vôlei polonês.
    Acho q o Praia contratou um grande “abacaxi”.

    • Sidnei

      No SESI jogou na entrada junto com a Tandara, e a Elisangela na saida. Só a Tandara virava. A Sassa nao virava nada. O ataque dela esta ineficiente. Infelizmente ela agora é uma atleta para compor o elenco ou jogar de libero.

  • Felipe

    Gente!Parece piada!O Praia ressuscitando os mortos.Tanta gente no mercado!Jú costa uma ótima opção e o Praia me contrata Sassa!kkkkkkkkkkkk
    Por Favor,me ajuda ae.Se bem que a Juliana Carrijo não consegue levantar bola pra ponta mesmo.Fica elas por elas.Já sei o Final desta palhaçada.KKKKKKKKKKKKKKKKKKK Só o Praia mesmo.O Minas se montar um time, vai ser o mesmo vexame da superliga passada,o Praia que iria salvar o nome de Minas ,com essas contratações e renovações está indo pro mesmo caminho.Vexame total.

  • Rodrigo

    O que ninguem fala é que nem passar bem a sassa passa mais. So lembrar das suas ultimas sl pelo sesi e os números no polonês. Gosto da atleta,a lógica de sua contratação foi bem pensada,mas corre grande risco de nao funcionar

MaisRecentes

Como a crise institucional no Sesc pode atingir o vôlei



Continue Lendo

China confirmada como sede das finais da Liga das Nações



Continue Lendo

10 perguntas: Thaísa: “Ouvi que nunca mais jogaria de novo”



Continue Lendo