Vaivém: Paula Pequeno festeja volta ao Osasco/Audax



Paula Pequeno confirmou, nesta terça-feira, o acerto para voltar a defender o Osasco/Audax.

Aos 36 anos, a ponta usará novamente a camisa do projeto após quase dez temporadas.

Pelo Osasco, Paula Pequeno conquistou Superliga, Paulista, Copa Brasil, Salonpas Cup e Copa São Paulo. E não poderia deixar de estar empolgada com o retorno, além de exaltar a torcida.

–  A ficha ainda não caiu de tanta felicidade. Vestir essa camisa novamente é um desejo antigo. Um sonho que agora é realidade – disse Paula.

– A Paula é uma jogadora que dispensa comentários. Grande atleta e grande pessoa. Nos conhecemos há muito tempo e ela tem uma identificação enorme com Osasco. Certamente vai nos ajudar muito na missão de manter o Vôlei Osasco-Audax no topo das competições. Ela chega como mais uma opção para as pontas e agrega qualidade e experiência. Da minha parte, espero poder agregar mais alguns pontos de evolução no seu jogo. Voltarmos a trabalhar juntos está sendo uma alegria. E vamos trabalhar muito em busca de títulos – disse o técnico Luizomar de Moura.

Paula já vinha treinando com as companheiras em Osasco (Divulgação)

Confira a entrevista divulgada pela assessoria da atleta:

Qual a sensação de retornar ao clube em que você despontou como uma grande potência do vôlei?
A sensação é de pura felicidade e contentamento, pois é onde cheguei menina, virei mulher, perdi olimpíada, virei mãe e ganhei olimpíada também. Sou cidadã Osasquense, e tenho um carinho muito especial por Osasco, então essa é uma fase que para mim vai ser mais do que especial, jogar em um time o qual tenho uma história longa e bonita.

Que fator foi determinante para o seu retorno ao Osasco?
O fator determinante foi o meu estado físico. Foi realizada uma bateria de exames das articulações, tendões, exames de sangue e cardíacos, e os resultados foram positivos. Isso foi o que eles precisavam para que pudessem me encaixar na equipe como peça importante.

Qual a sua expectativa para a temporada no Osasco? Como você vê o potencial do time frente aos campeonatos que serão disputados, já que você tem treinado com a equipe há algum tempo?
A expectativa é de um ano de muito trabalho. Acredito que o time tenha uma mistura muito positiva de jogadoras experientes e algumas bem jovens, então isso pode proporcionar um futuro muito bom para a gente, e é importante o fato de termos uma equipe completa desde o início, para que possamos realizar uma pré-temporada bem feita, com calma, sem queimar as etapas, pois com as partes físicas e técnicas sendo bem feitas agora, poderemos ver os resultados lá na frente.

Você pensa em terminar a sua carreira no Osasco, equipe em que fez história no início da sua caminhada no voleibol?
A gente nunca deve colocar limite na nossa carreira. Acredito que a competência de todos os departamentos do Osasco possam prolongar a minha carreira, e vou aproveitar ao máximo isso. Terminar no Osasco realmente vai significar encerrar um ciclo lindo de uma carreira longa, árdua, e em um time que amo incondicionalmente, então para mim vai ser um momento muito especial, tão grande quanto todos os sonhos que tracei, e graças a Deus consegui realizar.

Na sua primeira passagem pelo Osasco você ainda era jovem e agora volta para o time com muitos títulos expressivos e experiência na bagagem. O quanto isso pode acrescentar para a equipe nesta temporada?
Independentemente da bagagem que já adquiri o que importa é daqui pra frente, pretendo estar disponível para ajudar dentro de fora de quadra, usar minha experiência para auxiliar as mais novas e estar bem fisicamente para ajudar o time nos momentos decisivos, e estou totalmente disponível para ajudar de todas as formas.

O que despertou a sua vontade de voltar para Osasco?
O que despertou essa vontade louca de voltar para o Osasco foi quando com o time de Brasília fomos jogar pela Superliga, e ao entrar no ginásio a torcida inteira me ovacionou, gritou meu nome, me aplaudiu, e eu me emocionei muito. Foi naquele momento que aquele desejo cresceu, e hoje graças a Deus está se realizando.

LEIA TAMBÉM

+ Sesi fatura a Copa São Paulo masculina



MaisRecentes

Entrevista Skowronska: “Estou apaixonada pelo Brasil”



Continue Lendo

Duelo entre pai e filho pelo Campeonato Paulista



Continue Lendo

Brasil perde segunda para os Estados Unidos



Continue Lendo