Vaivém: O fico de Thaisa



Está confirmada a renovação de contrato da central Thaisa com o Molico/Osasco.

Com a permanência dela e da levantadora Dani Lins, o vice-campeão da Superliga segura suas jogadoras com pontuação máxima no ranking, tendo mais tranquilidade para mexer em outras posições mais carentes.

O sim de Thaisa tem algumas análises possíveis. A primeira, sem clubismo envolvido, é não ver mais uma titular da Seleção jogando fora do país. É bom para o produto Superliga. Envolvendo o clubismo, certeza de que o torcedor do Molico/Osasco aprovou a notícia, já que perder uma das principais estrelas nunca é bacana. Outra forma de ler a notícia, pensando no aspecto  individual da jogadora, certamente é mais polêmico. Já não seria hora de a central atuar numa Liga Russa ou Turca? Não faria bem para o jogo dela? Neste caso, acho que as respostas para as perguntas seriam “sim”. Em algum momento da carreira, acho importante para qualquer atleta enfrentar uma aventura diferente, buscar novos desafios, outras dificuldades e motivações. Quase sempre o crescimento pessoal e profissional acontece. Mas ela disse não às propostas que recebeu do exterior e talvez pense que pode continuar evoluindo jogando “em casa”. Então é respeitar a decisão e deixar para analisar na próxima temporada.

 



MaisRecentes

Giovane encaminha manutenção do vôlei carioca na Superliga



Continue Lendo

Basta! Nada justifica ameaças de morte



Continue Lendo

As duas formas de ver o novo Sesi



Continue Lendo