Vaivém: Mais novidades em Araçatuba e Volta Redonda



Além de Piá, o Vôlei Futuro confirmou hoje a contratação do central Vini, campeão da última Superliga com o Sesi.

Atualmente treinando na Seleção que disputará os Jogos Mundiais Militares, no Rio, em julho, Vini teve participação decisiva nos jogos finais. Para a próxima temporada, ele teria de disputar posição com os selecionáveis Sidão e Rodrigão, além de Thiago Barth, que se recupera de lesão.

A contratação tenta suprir a saída de Lucão, que foi para o RJX. Antes, o Vôlei Futuro havia fechado com o oposto Lorena, o central Mauricio, o ponta Robinson (Bob). Do time titular da última temporada seguem Ricardinho, Camejo, Michael e Dentinho.

Para quem me pergunta sobre o time, no papel ele é mais fraco do que o medalhista de bronze na última Superliga.

Já o Volta Redonda fechou nesta sexta-feira a contratação do central Giovanni, que estava no BMG/Montes Claros. O jogador de 29 anos  já defendeu também o Minas, UCS, Sada/Cruzeiro e Brasil Vôlei, além do Unicaja Almeria, da Espanha.

Em fase final de montagem, o time carioca contará, entre outros, com o oposto Jamelão (ex-Medley/Campinas), o ponta Clinty (ex-Fátima/UCS), o líbero Daniel (ex-Vôlei Futuro) e o levantador Vinhedo (ex-Pinheiros/Sky). É mais forte do que a equipe da última temporada.



  • Ismael Colomaca

    Só posso resumir em uma coisa…a superliga masculina vai superar muito em nível de qualidade novamente a feminina.

    Estou gostando bastante do time que o VF esta formando. Espero que tenha menos interferência da diretoria do clube nessa próxima temporada.

  • Afonso (RJ)

    Também concordo que novamente a superliga masculina vai superar a feminina. Mas fico aqui pensando, que a maior razão talvez seja a disponibilidade de craques. No masculino temos uma quantidade bem maior de jogadores de alto nível, o que permite a formação de várias equipes fortes. Já no feminino, umas poucas craques acabam se concentrando em dois ou três times com maior potencial de investimento, minando a competitividade do campeonato.

    A única solução que vejo, seria maior investimento nas bases do feminino para formação de um maior número de atletas de alto nível, e a curto prazo, a importação de craques estrangeiras para equilibrar as equipes. Nos dois casos, bons patrocínios seriam fundamentais.

  • Rodrigo

    Daniel vc sabe se o Osasco de fato está procurando estrangeiras?! E quais nomes são cotados?!

    • Daniel Bortoletto

      está procurando sim. os nomes entre oferecidas e sondadas são vários, Rodrigo.

  • Mariana Fladz

    Daniel você sabe algo sobre a Fabiana e Fofão,ontem fui ao Minas Tênis Clube e estavam comentando que o clube fez proposta para as duas,será que é verdade mesmo ?
    Além do mais,você acha que se as duas vierem o Minas ficará com um bom time?

    Obrigado

    Muito bom o seu blog.

    • Daniel Bortoletto

      Obrigado, Mariana
      Realmente o Minas se interessou por elas. Mas a Fabiana vai acabar no Sesi. Já a Fofão ainda é possível sim

  • Vitor

    Bacana o time de Volta Redonda. Não é nenhum timaço, mas marca o importante crescimento do clube.
    Quanto ao Volei Futuro, é mais fraco no papel sim, mas na minha oponião é bem mais equilibrado. Tanto o Piá quanto o Bob são superiores ao Dentinho. Perde no meio com a saída do Lucão, pois Vini não tem o mesmo poder de decisão. Assim como Michael. Na saída eu também acho que houve uma melhora. Vissotto viveu de nome e de toco. Se o Lorena voltar jogando o mesmo da época de Montes Claros, não deixará a torcida de Araçatuba com saudades de Vissotto. Sem falar no Camejo que promete mais ainda em sua segunda temporada.

  • Simone Gomes

    Daniel,
    Estou muito otimista com o novo time do Volei Futuro.
    Acredito que com menos “medalhistas selecionáveis” e com mais jogadores de muita garra teremos grande chance de fazer uma Super Liga mais equilibrada e menos polêmica que a anterior.
    Um grande abraço querido,

MaisRecentes

Sada/Cruzeiro sofre com o “próprio veneno” no Mundial



Continue Lendo

Copa Brasil com TV apenas na final



Continue Lendo

Os seis jogos finais do turno da Superliga masculina



Continue Lendo