Vaivém: Líbero é último reforço do Vivo/Minas



A última do mercado. O Vivo/Minas encerrou o ciclo de contratações ao anunciar o líbero Caporal, ex-UFJF.

O jogador tem 21 anos e tem passagens por Ulbra, Náutico e Sada/Cruzeiro.

Ele vai disputar posição no time com Victor Hillmann, jogador formado na base do Minas e que deverá ter a primeira grande chance no profissional.



  • Rubens

    Vão ter reclamações iniciais de vários por conta do Minas apostar em líberos jovens esse ano, mas verdade seja dita é admirável o que o Minas faz. O time montado é forte, mas é mesclado. Muito provavelmente contará no time titular com 3 garotos formados na base, Lucarelli, Otávio e Victor e talvez novos valores pra seleção ( Lucarelli já está lá). Os dois primeiros já mostraram o seu valor e o quanto ajudaram ao time superliga passada. Victor, tem o apoio do grupo e o garoto é talentoso, palavra de quem sempre acompanhou os times de base, posso afirmar.

    Essa sempre foi a fórmula de sucesso do Minas e que bom estarem resgatando.

  • Rebaixado

    Iremos brigar contra o rebaixamento assim, só o Lucarelli e o Otavio se salvam nesse time

    • Fernando

      Eu juro tentar entender alguns comentários, mas sinceramente não consigo e acho melhor nem entender.

      O Minas simplesmente manteve os jogadores mais importantes do time na última SL, onde foi um dos melhores times da competição e terceiro lugar. Manteve o Marcelinho que só não fez uma liga melhor que a do Willian. Manteve o Filip talvez a mais grata surpresa do campeonato, ótimo oposto. Henrique que querendo ou não ainda é dos melhores centrais que jogam a superliga e tem identidade com o clube como poucos. Além dos garotos citados.
      Mexeu no ponto mais fraco do time que era o Manius, trazendo o Quiroga capitão da seleção argentina , jogador de fundo de quadra perfeito, o que faltava ao Minas.

      A decepção é exatamente por conta de que? O time não trouxe estrelas? Não trouxe um caminhão de novos jogadores? Ainda não entenderam que não é assim que se faz um time vencedor? Será que o Sada não provou nada? Sada pouco mudou de ano pra outro, nunca apostou em estrelas, apostou no trabalho e taí como o time mais forte do Brasil. A própria Cimed nos seus anos vencedores usava da mesma filosofia.

      O Minas há muito tempo não trabalhava tão corretamente como fez esse ano. Apostou na manutenção da base montada que deu certo e apenas reforçou o ponto fraco. Teve sim a perda do Marcelo, uma perda inesperada, mas o que se há de fazer.

  • ana maria

    Fernando, concordo totalmente com você. É que parece que tem gente que gosta de destruir. Sabe torcer tem limite e acho que torcedor fica mesmo preocupado mas…tem que apostar, torcer, botar pra frente e pra cima!

MaisRecentes

Com emoção, Corinthians se garante na Superliga



Continue Lendo

Com méritos, Brasil cumpre obrigação



Continue Lendo

Zebrinha no Sul-Americano



Continue Lendo