Vaivém: Levantador em Campinas



Passo rapidamente aqui para postar, pois deve ser novidade.

Paulo Renan vai defender o Brasil Kirin/Campinas na temporada 2013/2014.

 



  • Luciano

    Disputar vaga com o Rodriguinho. Dois levantadores baixos, 1,85 porém bem habilidosos. O que não pode ocorrer é a incerteza de quem será titular e reserva, pois com o Murilo Radke e o Rodriguinho na temporada passada ficou essa indefinição. Apesar do grande patrocinador de Campinas, não vejo um a formação de um time de ponta não. Paulo Renan, Rodriguinho, Rivaldo, Vini, Gustavão, André Heler, Diogo, João Paulo Tavares, Alan.
    A propósito, se estão saindo todos de São Bernardo e o time deve continuar, quem serão os jogadores desse novo time, nenhuma especulação ainda, pois ir ver jogo do São Bernardo contra times de ponta nessa próxima Super Liga será ir ver um 3 a 0.

  • Vivian

    MONIQUE foi a MVP da partida, a melhor em quadra esteve ligadissima do inicio ao fim da partida, ao contrario de outras jogadoras que tiveram altos e baixos, virou bolas dificeis e importantes, defendeu tudo e sacou muito bem. MONIQUE e uma oposta muito interessante pois ajuda muito tambem na parte defensiva, ela e CAMILA BRAIT nao deixavam cair nada que passasse por elas.
    ELLEN, PRI DAROIT e GARAY deixaram muito a desejar no passe,SOBRECARREGANDO CAMILA BRAIT, mas pelo menos GARAY e DAROIT se viraram bem no ataque, ao passo que ELLEN nao se acertou com DANI LINS.
    Pelo meio somente JUCIELY teve uma atuacao de destaque, ADENIZIA nao apareceu muito no jogo.
    A melhor formacao do Brasil foi no terceiro set quando MICHELLE e GARAY estavam de ponteiras e MONIQUE de oposta, pois MICHELLE dividiu com BRAIT a responsabilidade do passe, que com isso melhorou muito e o Brasil acabou vencendo fácil por 25×10.
    A REPUBLICA DOMINICANA parece ser o adversario mais forte desse torneio, ja ganhou do JAPAO e da ALEMANHA e esta na lideranca da outra chave.

  • Afonso RJ

    Esse torneio de Montreux na verdade está servindo para experiências e para dar rodagem a jogadoras jovens. Vi jogarem (além do Brasil) o Japão, Itália, Suíça e China. O Japão e a China com jogadoras extremamente jovens. A Itália com a Bosetti do Sollys e a gigante Diouf.

    Achei a China fraca, mas me pereceu ser um time que no futuro, com maior experiência e entrosamento pode dar algum trabalho.

    O Japão, com aquele tradicional volume de jogo, mas a potência no ataque deixa muito a desejar. A quantidade de contrataques perdidos é absurda. Resumo: defendem muito mas não conseguem transformar as defesas em pontos.

    Na Itália, a oposta Diouf é muito alta (2m2cm) e forte, mas deixa a desejar na habilidade. É só pau puro. No mais, aquele mesmo estilo europeu de bolas lentas empinadas nas pontas. Bosetti pode ser promessa, mas no jogo de hoje deixou a desejar. Foi substituída e passou boa parte do jogo no banco. No mais faltou um pouco mais de entrosamento (volume de jogo) o que é natural nessa altura do campeonato. Mas honestamente, o time da Itália não me impressionou. Acho que não passa para a próxima fase.

    A Suíça é um time esforçado mas medíocre. Nunca chegou a lugar nenhum e não vai ser dessa vez que a história vai mudar.

    Quanto ao Brasil, no primeiro jogo a formação inicial foi Dani Lins, Camila Brait, Jucieli e Adenísia, Ellen e Pri Daroit e a oposta Monique. O time começou com uma recepção horrível, e Ellen deixando a desejar no ataque. A coisa melhorou nos dois fundamentos, com a entrada da Fe Garay. No todo o time foi mediano, o que se entende por ser início dos trabalhos e faltar um pouco mais de entrosamento.

    Hoje contra a China, o Brasil entrou com a formação que terminou o jogo contra a Suíça, com a Fe Garay de titular. Hoje o time foi um pouco melhor na recepção e defesa, tendo um volume de jogo melhor. Achei que a Monique não repetiu a boa atuação de ontem e que a Jucieli foi novamente um pouco melhor que a Adenísia (que não comprometeu). Dani Lins jogou muito ontem e hoje. No momento sem a menor sombra de dúvidas é nossa melhor levantadora (Fofão não conta). Garay joga MUITO (que novidade!) e acabou sendo a bola de segurança. Pri Daroit foi regular. Camila Brait (que para mim é a melhor líbero do mundo, e só perde por pouco para a melhor do universo), sofreu um pouco com a falta de entrosamento do time. Achei que jogou abaixo do que sabe.

    Amanhã o Brasil joga o primeiro lugar do grupo contra a Rússia. No outro grupo, deve dar Rep Dominicana e Japão.

    Ninguém sabe porque a Tandara ficou de fora das 12 relacionadas para esses dois jogos. Será que teve alguma contusão?

    • klaus

      Afonso, parece que ela teve uma contusão no dedo.Não sei bem os detalhes, se é algo mais sério , mas foi o que o Sérgio Maurício disse no jogo de ontem contra a China.

  • Renan Berlusconi

    O assassinato de Ingrid Visser foi notícia no mundo todo e o dono do blog nem pra dar uma nota. Se fosse no Brasil, já teria lascado o pau. Santa Hipocrisia!

    • Daniel Bortoletto

      estou trabalhando fora do Brasil, meu caro. acessando o blog uma vez ao dia somente. infelizmente o assunto vai ser tratado aqui apenas na semana que vem. Me desculpe

    • Darci

      Por que nós, brasileiros, temos esta estranha necessidade de ressaltar os defeitos dos estrangeiros para nos sentirmos um povo melhor?

      Por que hipocrisia? Se tivesse acontecido no Brasil e a imprensa tivesse “lascado o pau”, ela estaria mais do que correta! Autocrítica não faz mal ao Brasil. Delírios de grandeza fazem mal ao Brasil (não estou dizendo que você, Renan, os tenha; nada no seu texto demonstra isso).

      Aliás, o Brasil é o país da nossa responsabilidade, não a Espanha. É com o que há de ruim aqui que a gente tem que se preocupar mesmo e é quanto ao que há de ruim aqui que devemos ser mais severos e críticos. Se quisermos um país melhor, deve ser assim.

    • Emanuella

      Hipocrisia é a palavra da moda, o povo usa para qualquer coisa. Já encheu.

      • Renan Berlusconi

        Darci, fale pro você, pois eu não tenho essa necessidade de ressaltar defeito de ninguém para poder me sentir melhor. Falei aquilo porque sei que o brasileiro mediano costuma menosprezar o que é daqui, mesmo quando somos referência no assunto, e enaltecer o que é de fora. Emanuella, essa sua resposta foi tão óbvia, que até me constrangeu. Falar que a palavra “hipocrisia” tá na moda é tão clichê quanto escrever ‘tá na moda”. Abraço.

  • Deya

    E Daniel o Campinas fechou com o João Paulo Bravo também

  • Afonso RJ

    Hoje a seleção brasileira fez até aqui seu melhor jogo. Todas as jogadoras foram bem com destaque para Dani Lins, que a cada dia que passa mais se aproxima do nível de uma Fofão ou Venturini. Ainda falta bastante para chegar lá, mas o que jogou hoje mostra que está no caminho certo.

    O primeiro set foi primoroso. A equipe entrou focada e surpreendeu as russas. O placar elástico de 25×14 não foi à toa. Nos sets subsequentes as russas melhoraram enquanto o Brasil caiu um pouco. Mesmo assim era nítida a superioridade das brasileiras. Se não fossem os saques arrasadores da Isaeva, o placar dos dois sets teria sido ainda mais elástico.
    Monique foi bem, assim como Pri Daroit. Garay como smpre arrasou, e com o melhor entrosamento da equipe, o jogo da Camilinha cresceu bastante.

    Não vi a Rep. Dominicana, mas Itália, China, Japão e Russia vieram com times muito jovens, me parece que para preparar as jogadoras para o mundial juvenil. Por isso o Brasil, que levou uma equipe mista com algumas campeãs olímpicas, tem quase que obrigação de pelo menos chegar à final. A seleção Brasileira Juvenil, que está treinando em Saquarema, não deve pegar moleza na próxima competição.

    Tandara está sendo poupada pois sentiu dores no ombro.

    • João Lucas

      É incrível como concordo com vc. Só discordo na questão das líberos brasileiras Camila Brait (pra mim a melhor do universo e pra vc a melhor do mundo) e Fabi (pra mim a melhor do mundo ao lado da não menos espetacular Brenda Castillo e pra vc a melhor do universo) só que isso é questão de gosto, apesar de achar que Fabi ganha muito naquilo que chamamos de raça e liderança. Já joguei como líbero e me inspirei na liderança de Fabi e Serginho. Camila não jogou bem contra a Suíca e foi mal contra a China, entretanto, teve um excelente desempenho contra a Rússia. Será interessante assistir o duelo entre Camila Brait e Brenda Castillo.

      No meio de rede achei Adenízia superior a Juciely (que nunca compromete) neste jogo, Adê ganha na explosão e comanda o meio melhor que Jucy. Só que as duas têm a forte concorrência da melhor dupla de centrais do mundo as espetaculares Thaísa e Fabiana. É incrível como a atual seleção depende do desempenho das duas, nunca tivemos centrais tão efetivas e com a responsabilidade das duas, são as melhores que já passaram pela seleção brasileira. Quando jogam bem é difícil nossa seleção perder, que diga Rússia nas quartas de final das Olimpíadas que teve Thaísa pela frente numa atuação histórica e a seleção americana que teve o paredão Fabiana pela frente. Logan Tom e Larson devem ter pesadelos até hoje com Fabizona.

      Na saída Monique até joga bem só que espero ansioso por Tandara. Nas pontas Garay continua espetacular só que quem tem chamado a atenção é Priscila Daroit séria candidata a vaga de Paula Pequeno. No levantamento Dani me parece mais a vontade, e acelerando bem o jogo é uma levantadora muito talentosa a melhor do Brasil.

  • Jonatan

    Curiosa essa troca do Paulo Renan do São Bernardo por Campinas, já que não tem a certeza de que vai ser titular (acho que não vai). Certamente o lado financeiro pesou.

    Mais curioso ainda será o time do São Bernardo. Até aqui uma incógnita. Se a ideia é cortar gastos, acredito que vão apostar nos jovens pratas da casa, que, como se bem sabe, sempre foram o carro-chefe da equipe. Um time muito jovem pode sim fracassar, mas pode surpreender também. Além disso, fará um bem enorme ao voleibol brasileiro.

MaisRecentes

A dor de Gabi e de quem estava ao lado



Continue Lendo

Duas gratas surpresas na Superliga



Continue Lendo

Minas espera Hooker ainda em outubro



Continue Lendo