Vaivém: Hinode/Barueri confirma primeiros nomes



O Hinode/Barueri confirmou, na noite desta terça-feira, quatro renovações de contrato para a temporada 2018/2019: a líbero Nathinha, a oposto Sara, a ponta aiana Santos e a levantadora Jacke Moreno.

Do quarteto, Nathinha foi quem mais atuou na última Superliga. Ela foi titular durante parte da competição, revezando com Dani Terra em alguns momentos.

Entre as demais, Sara participou de algumas inversões, principalmente enquanto a polonesa Skowronska se recuperava de problemas físicos, enquanto as outras duas jovens apenas fizeram parte do elenco.

O que dá para analisar deste anúncio de Barueri? A renovação será profunda na equipe comandada e gerida por José Roberto Guimarães.

Na temporada passada, havia uma relação diferente entre o treinador da Seleção e grande parte do elenco. Muitas das jogadoras havia aceitado o desafio de disputar as divisões de acesso sem garantia de salário. E a contrapartida (uma gratidão muito compreensível) foi manter grande parte das atletas que acreditaram no projeto depois do acesso e de a Hinode ter assumido o patrocínio do projeto.

Hinode/Barueri sofrerá profunda renovação (Wander Roberto/Inovafoto)

Agora, neste segundo ano, a equipe de Barueri, quinto colocado na Superliga, sofrerá mudanças mais profundas. A levantadora Naiane e ponta/oposto Edinara já foram anunciadas pelo Sesi Bauru. A levantadora americana Carli Lloyd defenderá o Dentil/Praia Clube, assim como a central Fran Jacintho. A central Thaísa tem contrato com o Eczacibasi, da Turquia. As levantadoras Ana Cristina e Fran foram para Curitiba e Pinheiros, respectivamente.

O primeiro grande nome a ser confirmado deve ser a levantadora Dani Lins, que voltará a jogar após afastamento para nascimento da filha. A selecionável Amanda, ex-Praia, e a central Milka são outros nomes certos. Jaqueline discute a renovação para atuar como líbero.

LEIA TAMBÉM

+ Serginho reclama de Renan Dal Zotto após conquista da Superliga



MaisRecentes

Seleção do Mundial não premiou destaques da final



Continue Lendo

Título coloca a Sérvia no topo após frustração olímpica



Continue Lendo

Supercopa abre temporada masculina mais imprevisível no Brasil



Continue Lendo