Vaivém: Gaúchos e paranaenses explicam fusão



Voleisul/Paquetá Esportes e Copel/Maringá oficializaram a fusão para a próxima temporada do vôlei brasileiro.

Pelo acordo, a equipe segue tendo a cidade de Novo Hamburgo (RS) como sede até o mês de outubro e disputa o Estadual do Rio Grande do Sul. Antes da próxima edição da Superliga o time passa a treinar e mandar suas partidas em Maringá (PR).

O acordo entre os dois times foi a solução encontrada pela direção da Voleisul/Paquetá Esportes para as competições da temporada, em virtude da falta de investimento de outros apoiadores. Nos últimos meses, o time, que há duas temporadas disputa a elite do vôlei brasileiro, buscava novos patrocinadores, que viabilizassem o projeto. As parcerias, no entanto, não vieram no volume necessário para que uma equipe competitiva fosse montada. Para Maringá o acerto significa a manutenção na elite do vôlei nacional, já que o time foi rebaixado na última Superliga.

Ricardinho é levantador e presidente do Maringá (Divulgação)

Ricardinho é levantador e presidente do Maringá (Divulgação)

– Estamos muito felizes com essa parceria com a Voleisul/Paquetá Esportes. Enxergamos atrás da montanha a oportunidade de nos unirmos nesse momento e fazer acontecer o voleibol das duas cidades. Todos nós já somos vitoriosos com essa parceria. Meu muito obrigado a toda diretoria da Voleisul que acreditou nesse projeto unificado. Agora é olhar para frente, montar um novo time e continuar – destacou o presidente do Maringá Vôlei, Ricardinho.

Para Gilson Alves Bernardo, o Mão de Pilão, um dos idealizadores do projeto, o cenário econômico atual enfrentado pelas empresas e a dificuldade do município em atender a demanda da equipe hamburguense da Voleisul acabaram dificultando a evolução das atividades na cidade para a Superliga.

– Durante todo este tempo ficamos no aguardo de alguma solução para que a parceria com o município pudesse ser efetivada, pois nas diversas vezes que tentamos não obtivemos sucesso. Porém, este apoio não veio e lamentamos o descaso em não termos sido recebidos para buscar viabilizar algum apoio. O momento econômico atual também não favoreceu para as empresas investirem no projeto. Esperamos em breve poder trazer novos eventos para Novo Hamburgo com uma maior participação dos empresários e políticos locais, que são os grandes responsáveis por proporcionar projetos deste porte. Aproveitamos a ocasião para mais uma vez enaltecer o povo dessa maravilhosa cidade que respira esporte, em especial o voleibol, para agradecer os muitos torcedores que doaram sua energia, sua paixão e, principalmente, seu carinho a todos os participantes do projeto. Desejamos contar com todos vocês até a última bola do campeonato gaúcho deste ano, quem sabe com um título para coroar todo o trabalho realizado.



  • Edu

    A solução da fusão das equipes para alongar a sobrevivência também foi adotada no voleibol italiano feminino.O Modena promoveu uma fusão com o Piacenza para garantir a sobrevivência na próxima temporada de uma das duas agremiações.A novata equipe de Castro tem sido procurada por equipes que estão na segunda divisão e que contam com uma estrutura mais elaborada para promover essa fusão com a garantia da vaga de participação da equipe paranaense na Superliga.

  • Kleber Alves

    O time já está se formando. Contrataram Michael, Felipe (líbero) , Renato Russomano e o Renato, ex Juiz de Fora. Parece interessante. Segundo , Melhor do Volei.

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo