Vaivém: Dani Lins, Sheilla, Mari…



O Mundial feminino, que começará amanhã, na Suíça, não impediu que várias negociações envolvendo atletas de Molico/Osasco e Sesi acontecesse “antes da hora”.

A principal delas envolveu Dani Lins. A titular da Seleção Brasileira vai se despedir do Sesi na competição e já tem a transferência acertada para Osasco, voltando para uma casa que conhece muito bem. Ela, inclusive,  viveu o momento mais delicado de sua carreira lá, ainda sob a marca BCN, em 2004, quando teve uma arritmia cardíaca detectada e precisou parar de jogar por um ano.

Mas como será um possível duelo entre os dois times brasileiros no Mundial? Uma pequena saia justa, para dizer o mínimo, para Dani. E aqui não estou colocando em discussão o profissionalismo da atleta. Acho apenas temeroso um confronto de qualquer atleta, em qualquer esporte, vestindo uma camisa e tendo do outro lado a equipe que defenderá num futuro próximo.

Dirigentes do Sesi não esperavam que a levantadora fosse aceitar a proposta do rival, tanto que já contavam com ela em campanhas institucionais para a próxima temporada. O mesmo pode ser dito do noivo Sidão, que trocou o Sesi pelo Funvic/Taubaté.

Com a levantadora de volta ao Liberatti, Luizomar inicia a reformulação após o baque de ficar fora da final da Superliga. Chega Dani Lins, com pontuação máxima (7 pontos), mas Sheilla não poderá renovar, já que a regra só permite duas tops por time. E a ida para a Turquia parece ser a opção mais viável mesmo, como a imprensa europeia já vem tratando há tempos. Como Thaisa já renovou seu vínculo, a conta com a oposto não fecha no Molico.

E assim está aberto o espaço para Mari. Se eu fosse Luizomar de Moura, usaria a ponta na saída de rede de uma vez por todas. O time já sofreu muita com a recepção nesta temporada com a dupla estrangeira Sanja e Caterina. Não sei se ele vai querer repetir a dose, em 2014/2015, com o fundamento que Mari mais sofre.

Por fim, Samara, outra com passagem por Osasco, também está voltando. Opção para equilibrar o passe em Osasco.

Sem Dani Lins, Carol Albuquerque deve assumir a titularidade. Não vejo o Sesi como opção para Fabíola, que deve deixar o país. A Rússia é uma opção. Entre as outras titulares, Talmo deve manter quase todas. Fabiana, que era opção do Molico caso Thaisa saísse, é a base para que o time que chegou a todas as finais que disputou continue competitivo sem Dani Lins.

 



  • Alan

    Daniel, Na final da Superliga 2011/2012, Sheilla atuou pelo Rio já de contrato assinado com o Osasco, mesma situação que a Dani pode viver no Mundial.
    Aliás, a transferência da Sheilla para o Osasco e a consequente saída da Hooker (após a mesma “ter dado o nome” em quadra na referida final) foi a maior burrice já realizada pela comissão técnica do Osasco. Abrir mão de uma oposto de força, jovem ainda, em grande fase, que tem uma grande identificação com a torcida e com o time para trazer a Sheilla. Não consigo compreender essa opção da comissão técnica do Osasco.
    Sheilla voltou a jogar em times brasileiros há uns seis, sete anos. Desde então, apenas o Rio conseguiu ganhar UMA vez a Superliga com a Sheilla como oposto. E convenhamos que a equipe do Bernardinho já ganhou campeonatos com Renatinha, Joyce, Stefânia, etc. Certamente, Sheilla não foi o diferencial para o título carioca.
    Claro, o time não é só a oposto, mas há de se convir que é a oposto quem fica responsável por segurar o rojão quando o time passar por maus bocados. É aquela atacante que irá colocar a bola no chão quando o time precisar.
    Sheilla é habilidosa, garantiu a reviravolta da seleção nos jogos de Londres, etc etc. Mas não é atacante de força e nem é aquela atacante de definição nata que grande parte da impressa vende. Além disso, analisando os fatos, em clubes no Brasil, ter Sheilla na equipe não é garantia de títulos, muito menos de Superliga.
    Para a evolução do time do Osasco, torço muito para que Sheilla realmente saia e que não volte mais. Que tenha muito sucesso na Turquia ou pra qual país for, mas que não volte pro Osasco mais. Se vier pro Brasil, que volte pro Rio, de onde o Luizomar NUNCA deveria tê-la tirado.

    • Cazé Bernardes

      Hooker foi uma contratação de risco, veio barata porque estava suja na Europa e podia receber uma punição da FIVB por ter “fugido” da Itália, só jogou a SL e ainda ficou vários jogos fora por aranhas e socos na mesa, não é só a performance dentro de quadra que importa.

      • Alan

        Contratação de risco que deu muito certo. Prova disso é que a última Superliga que ganhamos, ela estava no time e, mais do que isso, foi o nome do jogo na final contra um Rio com Sheilla, Mari, Fernanda Venturini…

        Antes uma aposta arriscada numa jogadora de grande potencial do que ficar sustentando uma “estrela” da seleção que recebe salário altíssimo, que não resolve quando o time precisa e que só sabe ficar discutindo com torcedores rivais nas redes sociais, aumentando ainda mais o ranço que muitos tem contra o time do Osasco.

        • perikito

          Foi brincando de arriscar que Osasco se deu mal nessa temporada. Como é que um time com a categoria de Osasco pôde arriscar numa novata (Boseti) e numa jogadora que voltava de problemas físicos (Sanja)? Deu no que deu!

    • Guilherme

      Novamente, perfeito comentário, Alan. Sheilla é queridinha da mídia, o que não dá pra entender. Teve sorte em jogo da seleção. Tivesse ela cometido um erro (o que é muito comum) e teria selado sua carreira, sofrido como fizeram com Mari, em 2004. E olhe que esta, com apenas 20 anos, fez invejáveis 37 pontos (mais que Gamova), e mesmo assim tornou-se a vilã da história, porque as veteranas não chamaram responsabilidade e não assumiram a derrota, jogando tudo nas costas da jovem oposta.
      Sheilla, com a exceção de um jogo em Londres, por pura sorte, pela Seleção, jamais foi uma matadora. Realmente, não entendo esta mídia. E ainda têm a cara de pau de sempre identificá-la como a melhor oposto do mundo. Ora, façam-me rir… coitada!

      • Cazé Bernardes

        Não dá nem para argumentar com uma pessoa que classifica a atuação da Sheilla contra a Rússia em Londres como sorte, será que naquele dia a Gamova acordou com o pé esquerdo? Sheilla é uma jogadora que faz parte da seleção desde a base, saiu do Brasil para evoluir e está no topo até hoje, não é a toa que um dos times mais poderosos do mundo está pagando uma bolada por ela, já Mari, coitada, essa sim teve a sorte de ser apadrinhada pelo Zé Roberto que aguentou até onde pôde seus excessos.

        • Elena

          Hooker é a cara do Osasco … Sheilla não

          • Claudia

            meu amigo qual seu problema com a SHEILA se ela jogasse mal não teria ganho oque já ganhou até hoje e não estaria onde está

          • Claudia

            meu amigo qual seu problema com a SHEILA? se ela jogasse mal não teria ganho oque já ganhou até hoje e não estaria onde está.ela é uma das melhores.

        • Guilherme

          Exatamente!
          Vimos exatamente tudo isso hoje, na vergonhosa atuação diante das russas, no mundial de clubes.
          Realmente Sheilla é a melhor do mundo!!!!
          A culpa foi da Fabíola, que levantou somente 28 bolas, pra Sheillinha fazer surpreendentes 8 pontos. Ou da Thaisa, que não jogou o suficiente. Imagine: onde se viu uma meio fazer somente 10 pontos, dois a mais que a oposto, né?
          Gamova, que é uma farsa, recebeu muito mais bolas que Sheilla. Sete bolas a mais, e fez apenas 24 pontos na partida. Puxa, realmente, a Sheillinha é incrível. É forte, técnica, equilibrada, chamar responsabilidade e mete medo nas adversárias. A melhor do mundo! E que os turcos a aproveitem e aprendam com ela como ser a perfeição em pessoa!!! Viva!!!!!

          • Marta

            Não é que ela seja melhor do mundo eu também não acho, mas a Sheilla é decisiva em momentos importantes, o que adianta uma jogadora fazer muitos pontos numa primeira fase de olimpíadas com os times mais fracos? o que importa são os jogos decisivos mesmos, de que serviu a poderosa gomava pra Russia naquele momento?

    • César Castro

      Cada um tem sua opinião. É preciso respeitar.
      Sheilla é uma atacante completa. Tem potência, técnica habilidade e força psicológica.
      É o maior nome de uma geração recheada de craques e não deixa nada a dever pras principais opostos do mundo. Não tenho dúvidas que está entre as 3 melhores jogadoras da atualidade ao lado de Kim e Sokolova. Foi campeã na Unilever e em Osasco (inclusive Mundial de Clubes). Foi a jogadora mais decisiva esse ano pelo Molico. Não à toa está cotada pra jogar no galáctico Vakifbank.
      A Hooker até onde eu sei voltou de contusão e jogou quartas de final em Porto Rico no Criollas de Cáguas. Fez 3 pontos na última partida e saiu do clube.
      Acho que não dá nem pra comparar.

    • Rafinha

      Por favor gente, falar mal de Sheilla… ela é a melhor e prova isso sempre! Ela sempre ajudo os times que jogam, o problema que todas as outras opostas recebem suas bolas perfeitamente para colocar no chão. já Sheilla, só as bolas com dificuldades… Primeiro vão conhecer a história dela, ver suas premiações e títulos conquistados pra só assim tentar achar algum argumento para falar mal dela..

    • Ewander

      Lendo uma postagem dessa eu fiquei me perguntando como algumas pessoas são tão ignorantes. Colocando a Sheilla, uma grande jogadora, como se fosse uma novata, como se ela fosse culpada pelos erros que a comissão técnica comete. Naquele jogo em que o Osasco tinha que ganhar do Sesi, mas perdeu por 3×2 no tie break, se não fosse a Sheilla teria sido 3×0, pq só ela jogou. O erro do Osasco foi contratar duas ponteiras que não eram realidade e que não se garantiam nem no passe e nem no ataque. Como vc msm disse, um time não é feito só de oposto, por isso os times em que Tandara joga nunca chegam longe (exceto na temporada em Osasco, onde ela não era sobrecarregada), pq apesar de sempre ser a maior pontuadora da superliga nas últimas edições, o vôlei é um esporte coletivo que demanda um conjunto. Sheilla à um tempo atrás, se vc recordar, sempre estava entre as maiores pontuadoras da superliga e recebia premiações individuais. Ela ter passado por um má fase não apaga o que ela é e fez…digo ter passado pq hoje na turquia ela sempre é destaque pelo Vakifbank nos jogos. Sem esquecer dos títulos pela seleção onde contribuiu mto e pelos clubes nacionais e internacionais. Não é pq não conquistou a superliga que tudo está perdido.

  • Antonio

    Apenas uma correção; a Sheila não foi campeã da Superliga pelo UNILEVER/RIO DE JANEIRO. Naquela temporada foi vice, se transferiu para o Sollys/Nestlé sendo vice novamente, e agora pelo Molico/Nestlé terceiro lugar, como na epoca do São Caetano/Blausiegel.

    • Alan

      Rio foi campeão em 2010/2011 com Sheilla no elenco.

    • carlos antonio pereira

      Sheilla e Mari jogaram duas temporadas na Unilever ; sendo campeãs no primeiro ano e vice no seguinte.

    • Mauricio

      Sheilla foi campeã no primeiro ano dela na Unilever. E por sinal, que ano que ela teve! Foi uma das maiores performances de uma jogadora (senão a maior) da história da superliga. Bateu recorde de pontos numa edição. O Rio passou mais da metade da liga com muita dificuldade no ataque das pontas, Dani não estava em boa fase e em muitos jogos, era mais da metade das bolas só pra Sheilla. Isso é raro nos times do Bernardo, que são sempre mais homogêneos, com boa distribuição. Depois de Londres, Sheilla prefere tirar fotos pro Instagram, brigar com torcedores no twitter e afrontar as jogadoras adversárias, do que jogar de verdade. Uma pena, perto da grande jogadora que é.

      • perikito

        Perfeito o comentário. Respeito muito a Sheila, lembro bem de sua brilhante primeira temporada no Rio, quando carregou o time no ataque, pq estavam sem Mari – que se lesionou no joelho seriamente e só voltou na fase final -, com Suellen de ponta junto com Regiane. Foi uma temporada incrível.

        Lamento que ela esteja sujando a própria imagem batendo boca com internautas, criando polêmicas, como a da premiação da atual Superliga, quando se manifestou contrariedade com a atitude comemorativa que tomou as adversárias. Eu penso que, se você não tem nada de bom pra dizer, é melhor ficar calado.

  • Aline

    Mesmo a Dani estando acertada com o Molico, está em jogo um título MUNDIAL, que jogadora não quer um TÍTULO MUNDIAL no currículo???
    Na hora das negociações e de fechar contratos, TÍTULOS NO CURRÍCULO pesam muito e um TÍTULO MUNDIAL pesa mais ainda. Isso significa pedir mais $$$$ grana na hora de fechar o contrato!
    Fabiana Claudino, por exemplo, já declarou que vai lutar com todas as suas forças nesse CAMPEONATO MUNDIAL. Ela disse que vai entrar com a FACA NOS DENTES E SANGUE NOS OLHOS em todos os jogos e, como CAPITÃ, vai motivar suas companheiras de clube a fazer o mesmo: A meta dela é ser CAMPEÃ MUNDIAL pelo SESI, o que ela vai fazer depois não interessa, o foco é o título Mundial.
    Da movimentação do mercado tenho muito pena do PRAIA CLUB, perdeu suas principais jogadors e seu técnico e ao meu ver está pior.
    O Praia Club simplesmente ACABOU!!! RENOVOU com a jaqueira da CARRIJO e vai ter TANDARA levando o time nas costas… De resto, perdeu MONIQUE, MICHELLE, MARI e MAYHARA. Já era PRAIA CLUB!
    RAMIREZ BARRAQUEIRA, desde quando barraco ganha jogo? Só serve pra desconcentrar o time e tirar o foco.
    O BRASÍLIA é que deu uma boa melhorada.

  • Cazé Bernardes

    A maioria das jogadoras do SESI vão jogar sem contrato, só Dani Lins e Bia que assinaram por duas temporadas que estão amparadas, que a viagem transcorra sem acidentes.

  • O momento não era propício para negociação. Já que antecedia um mundial onde as duas equipes estavam envolvidas. Todavia, ninguém que tenha bom senso pode abrir mão de um título mundial. Confio no profissionalismo da jogadora.

  • Rodrigo Coimbra

    A Fabiola é uma boa levantadora pro Unilever, era uma boa pro Unilever apostar… (ao invés de trazer uma jogadora q não faz falta alguma ao time, Natália) como já disse antes, não duvido nada do Bernardo faze-la a número um da posição.

  • Leandro

    Daniel,

    Boa noite.

    Vi algumas noticias que a Fabiana iria para a Unilever e que a Jacqueline poderia ser a nova estrela do sesi?

    Sabe nos dizer se essa informação procede?

    Obrigado

  • Diogo

    Acho um tiro no pé trocar Sheilla e Jaqueline por Dani Lins..quero ver se ñ conseguirem a Hooker e acabarem com Ivna ou Monique oq esse povo q ta lambendo e pagando um pau pra Dani Lins vao dizer dps..

  • Andréa

    Espero que a Jaque vá para o Sesi!!!

  • BOA NOITE DANIEL! E A JAQUE?

    • Daniel Bortoletto

      boa pergunta

  • cesinha

    concordo com a opiniao de que a sheila agora so quer aparecer mas que ela se deixar a soberba que aprendeu com thaisa e voltar a jogar joga muito agora a tal da mari que estao defendendo ai e uma DAYSE melhorada joga nada e por isso que gosto do uni la nao tem badalaçao e custo beneficio e funciona e nada da josefa por la

  • rafael cruzeiro

    Dá até tristeza ler alguns comentários aqui. Um disse que a Sheila teve “sorte” no jogo contra a Rússia e o outro retruca dizendo que a Mari só foi para a seleção porque é “apadrinhada” do ZRG. Ou demonstram apenas desconhecimento da trajetória dessas jogadoras ou a paixão clubista fala mais alto que a razão. Mari foi importantíssima no título de 2008 (assistam a semifinal contra a China) e a Sheila, fundamental no título de 2012. Os problemas de adequação, em um ou outro clube, não diminui o legado deixado por essas atletas. Elas fazem parte de um seleto grupo, que arrisco a dizer começou nos idos de 80 com a jaqueline, isabel, vera mossa…, ana moser, fernanda, márcia, ida…, fofão, valeskinha, walewska, paula.., thaisa, fabiana, fabizinha e outras.

    • Falou tudo. Os leigos deviam ser informar mais e pesquisar a carreira da Sheilla e Mari antes de dispararem contra elas. As duas são símbolos de uma geração vitoriosa e gracas ao talento delas o Brasil ostenta um bicampeonato olímpico. Mari fez pela seleção o que muitos não fariam assim como a Sheilla. As duas levaram a seleção ao pódio mais alto diversas vezes,mas vejo que nem todos reconhecem isso. Mari não está atravessando um bom momento,mas qualquer atleta está suscetível a isso e ela não entrou na seleção por apadrinhamento e sim por méritos próprios e fez por merecer uma vaga na seleção e a Sheilla pode ter alguns defeitos mas não deixa de ser a grande craque da seleção e como qualquer atleta de alto nível ela também tem fase ruim.

  • Juliano Pedrosa

    Ora, ora, Daniel…
    Esses dias eu postei aqui estas informações, e você, ao invés de corrigir seu erro, preferiu me criticar, ser irônico e mandar eu fazer um blog.
    Esperou alguns dias se passarem para que o erro fosse esquecido, e cá está um post novo, como se ninguém soubesse dessas informações que voce postou.
    Engraçado, né? kkkkkkk

    • Mateus

      Vá fazer um blog!

  • Thiago Reis

    A Mari é a maior injustiçada até hj nesses comentarios ! Acho que algumas jogadoras , realmente fazem algumas coisas que nem todos concordam … Mas , pera ae ? SAO BRASILEIRAS elas nos representam , continuaram com o trabalho feito la atras e depois de tanto perdermos , foram ELAS SHEILLA MARI FABI FABIZONA THAISSA WALEWSKA WLESKINHA FOFAO DANI LINS JAQUELINE PAULA PEQUENO que trouxeram nao um , mais 2 OUROS INEDITOS PRO BRASIL 2 VICE MUNDIAIS e somos sim referencia e temidos graças a elas ! Hj sao valorizadas e tem que cobrar mesmo o maximo que puderem pois esse pais de merda ( e muitos torcedores ) so dao valor a vitoria e esquecem que o esporte e crecimento tbm existem derrotas , e com investimento pifio e torcida massacrante elas fazem e muito e continuam fazendo por nosso esporte ! Gosto de todas , tenho algumas preferencias mas nao perco meu tempo denegrindo nenhuma atleta ! FALTA DE RESPEITO ! ACORDEM ! #revoltado

  • Edu

    O marido da Sheilla que é técnico das divisões de base de basquete do Pinheiros já avisou ao clube que ele deixa o trabalho a partir de agosto para acompanhar a esposa que vai jogar no exterior.Por mais que a passagem de Sheilla pelo Osasco tenha sido inferior ao esperado veio um titulo mundial em que foi MVP ,a quebra do recorde de invencibilidade e alguns títulos paulista e da Copa do Brasil.Gosto, devo dizer, da nova Sheilla desde que se tornou capitã , se mostrando mais em fotos no Instagram e não ficando no muro no Twitter.Gaguejando com certa insegurança mas manifestando suas opiniões.Tem vólei para se manter na elite do esporte por mais dois anos.Quanto a Mari, teve algumas boas partidas pelo Praia na fase final e no torneio da Suiça.Segundo comentários, abaixou bem sua pedida para entrar no Osasco na próxima temporada.Não é a mesma jogadora de anos e nem voltara a ser por seus problemas físicos.Alguns até crônicos que a impedem de retomar a melhor forma da carreira.

  • Paty

    Daniel, eu ñ acho tão dramático essa coisa de jogar contra um time q vc já tem contrato. Na hora vc quer vencer e ñ deve passar isso pela cabeça da Dani. Acho q ela fez certo em voltar pro Osasco pq no Sesi já deu o q tinha q dar e no Unilever tb. Se ñ estiver enganada, ela saiu do Osasco meio por baixo e nessa época era super conhecida por “Pani” Lins. Ainda bem q essa fase já passou. Agora esses dirigentes do Sesi, acham q os jogadores vão querer ficar eternamente no clube? Dani e cia conseguiram um feito histórico de chegar a final com um time sem estrelas e Sidão chegou a mais uma final da superliga. Já fizeram sua parte e tem q respirar novos ares.
    Mari jogar novamente com a Dani Lins é uma boa notícia pq pode ajudá-la muito a recuperar a confiança de atacar todas as bolas. Acredito q nessa temporada ela recupera totalmente a parte física e também gostaria de vê-la como oposta, mas acho difícil isso acontecer.
    Qt a Sheilla seu ciclo acabou no Osasco e ela tem q ir msm pra Turquia.
    O Osasco tem q saber contratar as estrangeiras pro time: precisa contratar uma ponteira experiente e passadora e uma oposta matadora/experiente. Acho q a Costagrande cairia como uma luva. Pra oposta ñ tenho um nome, mas espero q ñ inventem de trazer de volta a Hooker. Também precisa melhorar consideravelmente o banco pq foram imbatíveis,mas na hora q precisou do banco ñ tinha atleta do msm nível.

  • Dinho Molico/Osasco

    Hooker tem que voltar para o Molico/Osasco

  • Marcos Espectador

    Nós deveríamos parar de julgar as jogadoras, ler alguns comentários aqui é humilhante.
    A Sheilla teve sorte?, então nas Olimpíadas do Rio chamemos vocês, pessoas que fizeram esses comentários tão infelizes para reverter 5 match points.
    Agora existe um porém, muito se exige da Sheilla jogadas brilhantes, espetaculares, agora em uma temporada em que o Molico/Osasco não pode contar com ponteiras e teóricamente só teve uma meio-de-rede e uma oposta, muito ainda se fez.
    No ano em que a Sheilla foi campeã da superliga, ela foi a melhor jogadora, maior pontuadora e dizemos que ela ainda não foi a melhor ?

    Acima de tudo temos de respeitar a trajetória, luta e superação dessas jogadoras.
    #Muito #Revoltado

  • Evandro

    Scheilla é uma ótima jogadora, mas rende mais na seleção do que nos clubes. Mari parece estar abatida, devido a tantos problemas físico que teve. Pro Osasco se salvar, só contratando duas estrangeiras de peso mesmo. O Luizomar tem que aprender a contratar estrangeiras. Daonde ele tirou trazer a Bosetti e a Sanja? Se fosse o Rio do Sul, até concordava, mas no Osasco ! Que venha a Ortolani, Costagrande ou Saori. Boseti foi uma decepção. Esperava bem mais dela. Foi horrível no passe, e rodou poucas bolas. Só gostei dela no bloqueio. Veio com a fama de ser a melhor jogadora no mundial de 2011, e de ter ido ás olimpíadas de Londres, mas só fama mesmo. Pra mim, vai tarde. Sanja for bem no ataque, de repente se jogasse como oposta sem passar, iria se dar bem.

  • bruninho

    Esse tal d guilherme nao sabe nada d volei!falar q sheilla n joga nada e q foi sort nas olimpiadas o jogo contra russia !po ze vc q joga vc que tem um dos salarios mais altos do mundo,e um dos melhores times do mundo contratou para nova temporada!kra pensa bem antes d falar e defamar ou aprende o q e volei boll meu kro.sheilla simplisment e e sera uma das melhores jogadoras do mundo.inocent.

  • Pingback: Vaivém: Kozuch, Mari, Ivna… | Saque - um blog de vôlei()

  • André

    Parei de ler na parte do “Mari apadrinhada pelo Zé Roberto.” A pessoa que fala isso, assim como o “Sheila deu Sorte”, não tem o mínimo conhecimento de Vôlei. As duas são referência mundial nas posições. Mari consegue jogar de ponta, oposto e central. A potencia no ataque é impressionante. Ambas já foram várias vezes MVP de competições internacionais (e isso por um acaso é ser apadrinhada ou queridinha da mídia?). A Mari tem um bloqueio que é temido por todos os times que jogam contra ela. A Sheila surpreendente a cada jogo com um ataque mais bonito. A Mari tem uma base perfeita. Os movimentos que ela faz na defesa, ataque e, principalmente, bloqueio devem ser observados e copiados por quem quer ser um jogador profissional.
    Não fique comentando asneiras baseado no que ouviu na mídia que muitas vezes também não entende um ‘A’ de voleibol.

  • osvaldo

    Meu comentário é contra Osasco. Contra a infeliz idéia de colocar essa saia em cima do shortinho. É uma tremenda frustração para toda a torcida masculina. O pior é que outros times estão entrando nessa; Brasília, Rio do Sul, já embarcaram na moda. Ah, para vai!

MaisRecentes

Um líder por pontos ganhos. Outro por pontos perdidos



Continue Lendo

Camponesa/Minas quebra longa invencibilidade em Osasco



Continue Lendo

Placar RedeTV!: Futebol 2 x 0 Vôlei



Continue Lendo