Vaivém: Brasileiro acerta com clube grego



O ponta Paulo Anchieta vai defender o Olympiakos, da Grécia, na próxima temporada.

Ele assinou contrato por um ano.

O jogador, de 35 anos, teve, no Brasil, passagens pelo Minas, Três Corações, Suzano e Bento, entre outros. No exterior, Paulo Anchieta já defendeu o Almeria (ESP), Taviano (ITA), Dinamo Yantar Kaliningrad (RUS) e Olsztyn (POL).



  • Afonso (RJ)

    André Nascimento, o “Canha” também está indo para o Japão…

  • Jairo (RJ)

    Bom Dia.
    Tanto nesse post, quanto a descrição de Logan Tom (não fixa-se em canto algum), relatando as aventuras do andarilho Paulo Anchieta, leva a questionamentos
    1) porque essa galera migra tanto de país? Seria grana o fator exclusivo?
    2) pessoas assim conseguem encontrar alguma identificação, seja com clube ou país onde atua?
    3) É mais fácil o atleta encarar essas mudanças quando vê que não terá oportunidade de atuar pelao seu pais?

    alguém me ajuda aí!!!?

    • Paulo Anchieta

      Olá, boa tarde Jairo e obrigado pelo seu comentário no respeitado blog.
      “Andarilho”e um pouco desrespeitoso, mas cada um pode escrever o que pode.
      Eu atuei em vários países, sim, mudanças são necessárias quando o respectivo acordo não é respeitado.
      Fique bem claro que o único país que pagou em dia todos os meses foi a Polônia. Eu voltei a atuar na itália como uma promessa de 2 anos de contrato, continuidade. Não fui, nem minha família, foi respeitado nesse contrato, tendo problemas inclusive com visto de permanência no país. Não volto ao Brasil por falta de oportunidade e também pelo valor de mercado que tenho. Lá fora sou mais bem pago que aqui. Mesmo não sendo rios de dinheiro.
      Muitas vezes gostariamos de continuar no país e ter uma identificação maior, como no caso da Polônia, que deixei por uma promessa de 2 anos de contrato na itália. Mas infelizmente foi a escolha errada, Devia ter ficado lá mesmo.
      Mas me diga você, continuaria no lugar que não te paga e não cumpre o prometido? Então cuidado com as palavras, que mesmo tendo o direito, pode ferir pessoas que estão por trás de um jogador, como esposa, filhos e familiares.
      Espero ter ajudado.
      Abraços.
      Paulo Anchieta.

      • Jairo (RJ)

        Olá Paulo!
        Peço desculpas pelo termo andarilho, que por definição da língua portuguesa é quem anda muito.
        Em verdade, acabei pegando um gancho no post onde por infelicidade minha você foi citado. Porém o questionamento não é só quanto a situação em que você gentilmente respondeu, mas também a situação de Marias, Pedros, Antonios e Paulos da vida. Jamais pensei em desrespeitar o ser humano Paulo Anchieta, pois tanto quanto você também tenho família e não gostaria de vê-los envolvido em situação como as descrita acima.
        Obrigado pelo alerta e pelos esclarecimentos. Fica aqui a torcida por seu sucesso.
        Se tiver como desculpar um carioca “lelé”, permita-me ter seu contato.
        Abraços

        • Paulo Anchieta

          Sem problemas e sem mágoas Jairo.
          Essa nossa vida é complicada e as vezes não tomamos a decisão acertada. Se eu pudesse voltar eu nem sairia do Minas que foi onde comecei e me destaquei por vários anos.
          Grande abraço e valeu pela explicacão e desculpas, que foram aceitas.

          • Daniel Bortoletto

            Esse é o espírito do blog. Debater ideias, sem xingamentos, acusações e espaço para baixo nível. E a vida segue

  • Jairo (RJ)

    Galera,
    Obrigado pela ajuda. “Vamos que vamos”
    Bom fim de semana.

MaisRecentes

Dentil/Praia Clube e Sesc abrem vantagem



Continue Lendo

Corinthians faz melhor jogo na Superliga



Continue Lendo

Coluna: A imprevisível Superliga feminina



Continue Lendo