Vaivém: As sérvias do Vôlei Nestlé



Pessoal, bom dia. Escrevi no Twitter ontem, mas não tive tempo de atualizar o blog com a oficialização das duas contratações sérvias do Vôlei Nestlé para a temporada 2016/2017: a ponta Tijana Malesevic, de 25 anos, e a oposto Ana Bjelica, 24.

As duas jogadoras estão na lista de inscritas do Grand Prix. Malesevic, 1,85m e ex-Novara (ITA), é quem teve mais oportunidades de atuar na primeira fase, na qual a seleção sérvia ficou em sexto lugar no geral, não obtendo classificação para a fase final na Tailândia. Reserva em boa parte do GP, Malesevic marcou 33 pontos, ficando na 79ª posição, com 19 pontos de ataque, sete de bloqueio e sete de saque. Deste total, 11 foram na vitória sobre o Brasil por 3 a 2. No principal fundamento, porém, a sérvia aparece bem melhor: 17ª colocada no passe, com 33.53% de acerto. Certamente recepção e volume de jogo pesaram para a escolha de Luizomar de Moura.

A ponta Malesevic (Divulgação)

A ponta Malesevic (Divulgação)

– Estou bastante feliz. Escutei muitas coisas legais sobre o clube de Osasco e estou muito empolgada por fazer parte dele. Vou dar o meu melhor para conseguirmos grandes resultados para a equipe e torcedores – disse Malesevic.

Bjelica, por sua vez, tem uma concorrência maior na seleção da Sérvia e perdeu espaço nos últimos anos. Presente na conquista do terceiro lugar no Europeu de 2015, na prata da Copa do Mundo de 2015 e nas medalhas de bronze nos Grand Prix de 2011 e 2013, a oposto está atrás hoje de Boskovic e Brakocevic na posição.

Na temporada passada, ela, que tem 1,90m, defendeu o Salihli Belediyespor, longe de ser uma potência no Campeonato Turco.

A oposto Bjelica, reforço do Vôlei Nestlé (Divulgação)

A oposto Bjelica, reforço do Vôlei Nestlé (Divulgação)

– Estou alegre com a oportunidade de jogar pelo Vôlei Nestlé na próxima temporada. Fico honrada por fazer parte desta equipe tão vitoriosa no Brasil. Vou trabalhar duro e jogar com muita paixão para deixá-los orgulhosos. Espero conquistar bons resultados para o clube – disse.

Para o torcedor de Osasco, será preciso esperar a chegada da dupla e dar tempo para adaptação, algo sempre importante para europeias que desembarcam por aqui. Em tese, Malesevic está num patamar acima de Bjelica no momento.



MaisRecentes

Itália e Sérvia na primeira final europeia do Mundial feminino



Continue Lendo

Minas e Dentil/Praia Clube conhecem rivais no Mundial



Continue Lendo

Nova TV, papo com arbitragem e descontração: a apresentação da Superliga



Continue Lendo