Vaivém: Argentino é uma boa para Taubaté



A contratação do treinador argentino Daniel Castellani é uma boa notícia para o Funvic/Taubaté.

O hermano tem vasta experiência internacional. Polônia (times e seleção), Turquia, Itália, Bélgica, Argentina, além da seleção finlandesa. Ontem, os belgas do Noliko Maaseik se despediram do comandante na última temporada. Possui ainda um currículo com conquistas relevantes (Europeu com os polacos, copas e campeonatos nacionais). É rotulado no meio do vôlei como boa praça e estudioso.

Castellani treinou a seleção polonesa (Divulgação)

Castellani treinou a seleção polonesa (Divulgação)

No Taubaté, Castellani terá um contrato de dois anos. E esse é um aspecto importante para que ele tenha uma possibilidade real de implantar conceitos e estilo de trabalho, com tempo de adaptação ao vôlei brasileiro e, assim, maior chance de entregar resultados.

Para Castellani não faltam bons exemplos de sucesso de compatriotas no Brasil. Marcelo Mendez é o principal deles, no vitorioso Sada/Cruzeiro. Chegou sem alarde, nunca fez questão de estar nos holofotes, impôs seu estilo de treinar e simplesmente conquistou todos os campeonatos possíveis. Vale também citar Horacio Dileo, que terá o segundo ano à frente do Brasil Kirin, com boa passagem também pelo Minas.

Com a base da última temporada (Rapha, Wallace, Lucarelli e Otávio) e a chegada do ponta sérvio Ivovic, Castellani encontrará material humano de qualidade para buscar o sonhado título nacional de Taubaté nas próximas temporadas.



MaisRecentes

Navajas voltou. E está igual ao o dos velhos tempos



Continue Lendo

Sonhos interrompidos



Continue Lendo

Coluna: O momento é do Minas



Continue Lendo