Uso coerente do marketing esportivo



Nada melhor do que a apresentação oficial de uma competição para você expor sua marca, certo?

A Superliga feminina foi apresentada nesta quinta-feira, no Rio de Janeiro. Na foto oficial, o presidente Ary Graça aparece ao lado das selecionáveis, vice-campeãs mundiais. É fácil perceber quem joga pelo Sollys/Osasco e pela Unilever. Mas dou um doce para quem conseguir apontar em Paula Pequeno, Fabiana e Joycinha algum logotipo do Vôlei Futuro ou de algum outro apoiador do time de Araçatuba.

As selecionáveis que jogarão a competição

Luiz Paulo Montes, bem informado repórter do LANCE!, que está em Araçatuba, me ajudou a entender o “case” de marketing esportivo. Segundo ele, as três jogadoras vestiam camisas de passeio da equipe. Cada uma, com seu detalhe sobre o Vôlei Futuro. A de Fabiana  tem o nome do time estilizado. A de Joycinha tem o símbolo do time no lado esquerdo do peito. Já a de Paula tem um coração ao lado da sigla VF.

Pelo lado da inovação e da diversidade, o Vôlei Futuro, sensação da temporada ao fazer contratações de peso tanto no masculino quanto no feminino, está de parabéns. Ter uma linha de produtos para a torcida é uma tendência. De outro, porém, o mais desavisado não vai saber o time de cada jogadora, pois a marca não está tão nítida assim. E divulgar bem a marca é o lema número 1.



  • André

    Essa área muito me interessa, vou começar a fazer MBA em marketing esportivo pela faculdade IESB de Brasília e estou bastante empolgado com novas possibilidades, é uma área excitante e desafiadora, gosto bastante…muito bom seu blog, gostei muito e vou visitar sempre.

MaisRecentes

Brasil garantido nas finais do Grand Prix



Continue Lendo

Brasil faz dever de casa pela classificação



Continue Lendo

O bipolar Brasil no Grand Prix



Continue Lendo