Unilever vence apático Sollys e é campeão simbólico do turno



Luca, meu filho de dois anos e meio, pela primeira vez foi a um jogo de vôlei, neste sábado, no Maracanãzinho. Thiago, o mais velho, já com quatro anos, viu alguns em Belo Horizonte, na Arena Vivo e no Ginásio do Mackenzie, e até deu dicas. “Tá muito barulho aqui, hein. Mas não precisa ficar assustado”. Entre um biscoito, uma corrida pelos corredores do ginásio, a troca de fralda e um bate-papo com velhos amigos, como Virna, deu para ver que a Unilever tem um time mais consistente do que o Sollys nesta metade de Superliga Feminina.

A vitória por 3 a 1, de virada, mostrou que as cariocas, com menos selecionáveis do que as paulistas no elenco, oscilam e erram menos, além de  possuírem um sistema de passe/defesa bem mais eficiente.

Admito que, sem Carol Gattaz, imaginei que a Unilever fosse sofrer no meio-de-rede pela falta de altura de Valeskinha e Juciely. Pelo que as duas mostraram neste sábado, estou redondamente equivocado. Juciely, inclusive, foi eleita a melhor jogadora da partida, depois de anotar NOVE pontos de bloqueio. Vale destacar ainda o excelente momento de Sheilla no ataque, a constância de sempre de Fabi no passe e na defesa, a evolução da distribuição de Dani Lins após o primeiro set, além de Regiane e Suelle, mais do que coadjuvantes, dando qualidade para o passe.

Já o Sollys me decepcionou. Apático, para não dizer desmotivado, errando demais. Irreconhecível. Difícil até de apontar alguma coisa boa. A irregularidade no passe fez com que Carol sofresse na distribuição e facilitasse o bloqueio carioca. Luizomar ainda mexeu bastante, mas nada deu certo do segundo set em diante.

A vitória representa o título simbólico do primeiro turno para o time de Bernardinho, invicto após 11 jogos. De quebra, 33 toneladas de alimentos serão doados para as vítimas da chuva na Região Serrana do Rio. Com certeza, o ponto mais bonito do clássico deste sábado.



  • Celso Paiva (Casinha)

    Belo post parceiro. Não vi a partida ao vivo, mas vi a reprise agora de madrugada aqui em casa. Desde as finais do Campeonato Paulista está me impressionando a apatia de algumas jogadoras do Osasco. Primeiro achei que era ressaca pós-Mundial, mas agora já começa a preocupar. Jaqueline tava perdidassa em quadra, Natália também oscilando demais. Ou o time melhora ou teremos surpresa na final da Superliga. Únicos destaques hoje foram a Adenízia (muito mais pela força do que pela técnica) e Camila Brait, que está voando em quadra, salvou umas bolas que desacreditei.

    Do outro lado, acho que será difícil bater esse time do Bernardinho. A Sheilla está cada dia melhor, tirando alguns coelhos da cartola. Dani hoje mostrou uma bela variação de passes, que eu gostaria muito de ver na Seleção e a Juciely fez uma partida incrível.

  • Vitor Brasil

    pow, pq vc não coloca rio de janeiro e osasco? fica bem mais legal o post!!!
    fica nessa de priorizar a patrocinio.

    • Daniel Bortoletto

      Se eu não falo, a Globo não fala, o SporTV muito menos, qual retorno terá o patrocinador, que desembolsa R$ 5, 6 milhões para montar um time competitivo?

  • Marquinhos Bianchi

    Fala Dani…. beleza aí? Adora suas matérias.
    Abração velhão
    Marquinhos

    • Daniel Bortoletto

      tudo na santa correria
      valeu, Marquinho.
      abraço

  • H. J. Amorim

    Alguém já viu algum time treinado pelo Bernardinho “desmotivado”? Pois é.

  • Daniel, vc acredita que esta supremacia do UNILEVER\RIO deve-se ao trabalho do Bernardinho no dia-a-dia do time. A Jucieli, por ex. não jogou tanto assim no São Caetano ano passado.

    Parabéns pelo blog.

    • Daniel Bortoletto

      Com certeza tem uma grande parcela do técnico. Vale lembrar que o time perdeu a central Fabiana, já foi reconstruído e parece não sentir mais a falta da excelente jogadora.

  • Eric Facchin

    Daniel,
    Excelente comentário…realmente o time de Osasco estava irreconhecível…já o Rio de Janeiro taticamente correto.
    Com relação aos patrocinadores das equipes, está certo você em escrever Sollys e Unilever…poxa é um saco assistir no SporTv…Osasco, Rio de Janeiro, Osasco, Rio de Janeiro.

    Parabéns pelo trabalho.

  • Já estou cansado de ver o time do osasco perder para o Unilever.
    Como pode o Osasco, com um time bem mais forte, perder tantas vezes.
    Alguma coisa tem que ser feita, senão perde a Super-Liga, novamente. Vamos acordar.

    José Carlos

  • Daniel, vc. continua muito atento. Mesmo correndo atrás do Luquinha e do Thiago vc. conseguiu sintetizar o jogo de forma concisa. Parabéns pela análise correta e pelo ótimo trabalho de sempre. Abração,

    Doro

MaisRecentes

Os seis jogos finais do turno da Superliga masculina



Continue Lendo

Os duelos da Copa Brasil feminina



Continue Lendo

Lances do clássico Vôlei Nestlé x Sesc



Continue Lendo