Unilever vai para a final do Mundial e terá de quebrar longa invencibilidade para ser campeã



Uma invencibilidade de 51 jogos, em qualquer esporte, deve ser muito respeitada pelo adversário.

E será com esse sentimento de respeito que a Unilever entrará em quadra, neste domingo, ao meio-dia, para enfrentar o Vakifbank Istambul, na final do Campeonato Mundial feminino de clubes.

As turcas acumularam a 51ª partida sem perder, neste sábado, ao superar o Guangdong Evergrande, da China, em sets diretos (28-26, 25-21 e 25-20). Já as brasileiras também fizeram 3 a 0 no Volero Zurich, parciais de 25-23, 25-20 e 25-16.

Para ter chance de encerrar a longa série invicta do Vakifbank Istambul, a Unilever precisará melhorar alguns pontos em seu jogo:

1) Fofão precisa ter o passe A nas mãos. Ela, em vários momentos do Mundial, correu muito atrás das bolas, forçando vários levantamentos de manchete.

2) Caso Bernardinho escale Mihajlovic e Gabi como titulares, a dupla precisa ser mais efetiva no ataque. Neste sábado foram apenas três pontos marcados em ações ofensivas (dois da brasileira e um da sérvia).

Além disso, alguns pontos positivos da atuação de hoje precisam se repetir:

1) A central Carol foi uma grata surpresa. Foram 13 pontos, cinco deles no bloqueio. Jogadora menos badalada da formação titular, ela pode ser um interessante fator para desestabilizar o forte time turco.

2) 18 pontos, 17 deles no ataque. A oposto canadense Sarah Pavan é a bola de segurança de Fofão desde a temporada passada. Precisará pontuar tanto ou mais neste domingo na decisão.

Por fim, a Unilever precisará estudar demais as turcas, que possuem vários e interessantes opções de ataque. Basta ver o scout do jogo contra as chinesas, para ter certeza desta diversidade. Quatro jogadoras alcançaram dois dígitos de pontuação: Brakocevic (16), Costagrande e Sonsirma (13) e Furst (12).  Deste total, 45 foram de ataque. O sistema de bloqueio-defesa da Unilever terá um teste de fogo.

Em quem vocês apostam?



MaisRecentes

Informações sobre as finais da Superliga Masculina



Continue Lendo

Vaivém: Mais dois anos, ao menos, de Vôlei Renata em Campinas



Continue Lendo

Vaivém: Camponesa/Minas confirma Bruna e Carol Gattaz



Continue Lendo