Unilever fatura clássico e título simbólico



O primeiro turno da Superliga feminina é da Unilever. Na noite desta sexta-feira, o time carioca venceu, no Maracanãzinho, o Sollys/Nestlé no tie-break, parciais de 18-25, 25-21, 25-23, 14-25 e 15-8, deixando o rival um ponto atrás na classificação geral.

O clássico teve de tudo: alternâncias no placar, muitos apagões em ambos os lados, lances espetaculares e alguns bem bizarros também.

Fofão, eleita a melhor em quadra, chegou a ser dúvida antes da partida graças a um problema muscular na coxa. Admito que em alguns momentos a levantadora da Unilever não parecia a mesma Fofão de sempre. Levantamentos baixos ou fora de tempo. Raríssimo vê-la levar uma bronca, até que cordial, de Bernardinho em um dos tempos. Com o passar do jogo, voltou a ser a Fofão que conheço, com precisão nos levantamentos, inteligência na distribuição e jogadas que poucas, ou melhor raras atletas da posição, fazem.

Vale ressaltar a confiança que ela demonstrou em Pavan durante o jogo. Dos 22 pontos da oposto, 20 foram feitos em ataque. Com certeza foi a atuação mais segura da canadense com a camisa da Unilever.

Já a outra estrangeira do time decepcionou. Logan Tom foi substituída na metade do segundo set por Gabi (entrou com personalidade) e não voltou mais. Fez apenas dois pontos e esteve irreconhecível no passe, uma de suas qualidades.

Vale destacar ainda os cinco pontos de Valeskinha no bloqueio, incluindo uma sequência importante para que a Unilever recuperasse sua confiança durante o jogo. Gostei também da atuação de Fabi, não apenas pelo ponto que marcou no tie-break. Ela deu muito volume de jogo, fazendo algumas defesas espetaculares.

Pelo Sollys, Fernanda Garay segue numa crescente na carreira. Admito que me surpreende como ela amadureceu em pouco tempo, tornando-se uma jogadora decisiva tanto no clube quanto na Seleção. A ponta terminou com 24 pontos, tendo recebido mais bolas no ataque do que Sheilla, algo raro num clássico deste porte (47 a 38). Luizomar de Moura, inclusive, chegou a pedir para Fabíola mais bolas para sua oposto, bastante vaiada pela torcida carioca.

 Adenízia, voltando ao time após lesão, sentiu falta de ritmo e anotou apenas seis pontos (quatro no block). Thaisa marcou 11, mas não teve uma atuação à altura do que já mostrou em outras ocasiões.

No fim do jogo, a inversão de 5-1 com Karine e Ivna também me pareceu decisiva para o resultado final. A levantadora reserva colocou várias bolas espetadas e fora de tempo nas pontas, impedindo que contra-ataques pudessem virar pontos para o Sollys. Quando Luizomar resolver desfazer a troca já era tarde.

Para finalizar, uma menção mais do que honrosa. O Banana Boat/Praia Clube termina o turno com os mesmos 22 pontos da líder Unilever, à frente de Sollys (21) e Vôlei Amil (20). É uma agradável surpresa para um campeonato habituado com o revezamento entre os times do Rio e de Osasco na ponta na última década.

O que acharam do jogo?

 



  • Virginio

    Eu estive no maracanazinho e o que eu vi foi o time melhorar no ataque/passe com a entrada da Gabi. Até pensei que ela fosse levar o Viva Volei, mas concordo que ainda é cedo pra ela (pode subir à cabeça, sabe como é…). Natália esteve irregular o jogo inteiro e Logan Tom não apareceu pra jogar. Antes tinha como certo o título para Osasco, mas já não vejo dessa forma. Acredito que o time Amil/Campinas e até o Praia Clube possam fazer jogos duros, nas semis, contra esses times considerados “favoritos”. A final está aberta e imprevisível.

  • Speed Volleyball

    Sem comentários… um jogaço! Qualquer um desses times tinha condição de vencer e derrubar o outro pra terceira posição, o que de fato aconteceu com o Sollys depois da derrota. E a Gabi, essa tem futuro! Apenas 18 anos e já mostrando personalidade, atacando, bloqueando… É uma jóia que, se for bem lapidada, poderá nos ser muito útil daqui a 3 anos e meio na Olimpíada do Rio.
    (P. S.: que desperdício ter a Luciane no elenco…)

  • Michel Pereira de Oliveira

    O pseudo jogo de hoje foi um fiasco. Independente de quem ganhasses a partida, seria um resultado simplesmente simbólico. Nunca vi um jogo tão feio, principalmente em se tratando de um clássico.
    O único ponto positivo foi a atuação segura (se não impecável) de Fabi e a maturidade com que a Gabi entrou e mudou o panorama do jogo.
    Dos muitos pontos negativos fico com as levantadoras – Fabíola errou todas as bolas possíveis: fosse na combinação de bola rápida com a Thaisa, na china com a Adenízia, as bolas das ponteiras, meio-fundo… Karine entrou e ainda conseguiu ser pior que Fabíola no tie-break. Fofão conseguiu fazer alguns levantamentos e fintas incríveis, mas, convenhamos, ela está com um toque de bola horrível; aqueles dois toques que ela deu no início do jogo conseguiram ser piores que os momentos de insegurança da Dani Lins antigamente.
    Espero que o 2º turno seja diferente, para ambas as equipes, pois, em se tratando de um clássico, acho que as equipes cometeram mais erros infantis que qualquer peladeiro de uma várzea qualquer.

  • Adriano

    Foi bacana por ter ido pro tie-break, fazia muito tempo que não havia um tie-break entre Unilever e Sollys – o último tinha sido aquele do penúltimo título do Sollys, em 2009/2010, quando a Natália decidiu o jogo a favor do Sollys.

    Concordo que não foi um jogo de excelente nível técnico – a facilidade com que a Unilever perdeu suas parciais demonstra a inconsistência do time. No entanto, a Unilever compensou isso com muita garra – coisa que faltou ao time na temporada passada. No jogo que o time bateu o Praia, foi parecido: chegou a perder um set por 25 x 15, mas se recuperou com muita raça.

    No começo do jogo, parecia que o Sollys ia passar o trator pelo adversário, tamanha facilidade teve em quebrar o passe do rival e em aproveitar os contra-ataques. É óbvio que o Sollys é um time superior e, certamente, jogadoras como Sheila, Adenízia e Thaísa podem crescer muito ainda na competição. Mas acho que hoje a Unilever demonstrou que pode superar suas deficiências pondo o coração em quadra. Já vimos esse time derrubar o time de Osasco em outras temporadas, mesmo sendo inferior individualmente.

    Quanto aos destaques individuais da partida:

    1)Eu só discordo de você ao dizer que a Garay amadureceu em pouco tempo. A meu ver, desde a época do Pinheiros ela já demonstrava suficiente capacidade técnica e segurança para estar na seleção, apenas ela demorou a receber uma oportunidade. É seguramente a grande ponteira do vôlei brasileiro atualmente. Mas podia ter ajudado mais sua equipe no passe hoje, a despeito de ter tido uma atuação excelente na rede.

    2)Gabi entrou muito bem, realmente. É outra jogadora que demonstra muita maturidade em quadra, parece não sentir o aperto do jogo.

    3)A Valeskinha, embora com dificuldade de derrubar as bolas que recebeu, fez sua melhor partida no bloqueio em muito tempo. Isso é muito significativo, se levarmos em consideração que foi o único fundamento que pontua em que a Unilever superou o Sollys. Já a Thaísa, está devendo. Só foi marcar ponto de bloqueio no final do quarto set. Atuação bem discreta dela.

    Por fim, fazendo uma avaliação do turno: tudo bem que o Sollys sofreu bastante com as lesões de duas jogadoras importantíssimas nessa primeira metade de fase classificatória. E o time não tem um banco muito forte – nem poderia ter, já que com a base da seleção brasileira, o ranking não permitiria que o time tivesse reservas mais qualificadas que as que tem. Mas é decepcionante essa equipe encerrar o 1º turno apenas na 3ª colocação, diante de toda a badalação que foi feita.

    O time deixou bastante a desejar nos confrontos contra os três grandes adversários – acabou perdendo pro Amil (na época sem Vasileva), pra Unilever hoje e conseguiu ganhar no 5º set do Sesi que, afinal, é o Sesi. Acho pouco. No jogo de hoje mesmo, faltou foco, porque o Sollys podia ter ganho, podia ter ganho mesmo por 3 x 0, se tivesse mantido a pegada do 1º set. No tie-break, o time foi engolido pela Unilever, que defendeu muito. No 2º e no 3º sets, mais equilibrados, faltou gente pra decidir. Cadê Jaque, Sheila, Thaísa? Uma Garay só não faz verão.

    Dito isso, obviamente o Sollys ainda é claro favorito pra ganhar a Superliga, pelo elenco, pelo fato de que o natural é que as jogadoras que agora se reintegraram ao time titular cresçam muito e, inclusive, pelo fato de que a Unilever, também, não é tudo isso. Mas é bom ligar a luz amarela.

    E terça tem Amil x Sollys em Campinas.

  • sara

    nao consegui ver td, mas parece q o segundo turmo promete!

  • Eduardo

    Na minha opinião a Superliga começa agora…o Unilever foi COLOCADO NO JOGO de pois de estar perdendo de 11 a 6 no segundo set, a equipe carioca passou a pressionar no bloqueio e a minar gradativamente a recepção paulista que deixou de ser a mesma que estamos acostumados a ver. No lado paulista, Fernanda Garay impressiona pela regularidade, recepciona bem, sempre pontua no bloqueio, defende muito e, para completar, ataca demais, passando inclusive por bloqueios triplos impostos pela Unilever em alguns lances. Jaqueline jogou abaixo do esperado, Sheilla não foi decisiva, sendo inclusive substituída por Ivna que também não rendeu em meio à situação, Taísa ficou apagada e Adenízia apesar da vibração não esteve 100%, mas conseguiu bons bloqueios. Juciely está sacando bem melhor (foi com ela que as reações do Rio começaram) e Natália ainda não corresponde àquilo que nela foi apostado. Resumindo, o Sollys Osasco Nestlé não jogou bem, mas conseguiu levar o jogo para o quinto set aos trancos e barrancos. A impressão que fica é que a equipe de Bernardinho precisou que o adversário errasse muito para conseguir se equipar ao rival Paulista. o Sollys não ganhou porque não quis, a receita estava no 1º set.

    • Caco

      Discordo plenamente: “o Sollys não ganhou porque não quis”. Vontade foi a única coisa que elas mostraram ontem.

  • Josie

    Alto nível. Com rallys incriveis. Excelente volume de jogo. Mas em alguns momentos os já conhecidos apagões. Pavan com uma força na canhota. Fabi e Brait defendendo muito. Não apareceram para jogar Thaísa e Juciely . Alto nível a partida. Bom de ver.

  • Paula

    Gostaria de saber a opinião de vcs numa questão: sou só eu que acho que a Fabíola não acerta o tempo de bola pra Sheilla?
    Apesar de ser fã dessa craque de bola que é a Sheilla, reconheço que ela não tem feito partidas excepcionais ultimamente (tavez ainda não esteja totalmente em forma e com ritmo por estar voltando de lesão). Mesmo assim, acho que ela ataca MUITO melhor quando o levantamento é feito pela Dani Lins (nem vou mencionar a dupla fofão-sheilla pra não ficar desigual). Tive a impressão que mesmo logo quando a sheilla estava voltando da contusão, que ela estava na reserva e entrava nas inversões com a Karine o tempo de bola ficava melhor do que com a fabiola.

    • Concordo, ainda acrescento mais, nem a Fernanda Venturini ano passado acertava o tempo da Sheila, até hoje acho que só a Fofão que tinha naturalidade no levantamento, quanto a Dani Lins, tirando a fofão é a q mais acerta, principalmente quando ela tem o passe na mão, agora a Fabíola não consegue acertar o tempo dela, eu acho que por ela atacar com muita velocidade, então a bola tem q ser muito precisa, diferente de uma bola para uma oposta q nem a hooker e gamova q só precisa ser alta. Acho q foi pela bola imprecisa para Sheila q Fabíola foi cortada da seleção.

      • Juju

        Não só da Sheila, a bola de meio também tá sofrível, a impressão é que a bola tá sempre baixa pra Thaisa que também não tem sido tão efetiva quanto a Fabiana, por exemplo, em dupla com a Dani Lins. Esses dias tava vendo uns jogos antigos da seleção com a Fabiola no levantamento e fiquei reparando na quantidade de bolas espetadas e fora de tempo no meio e nesta superliga acho que ela ta mal e isso é problemático, levantadora é 50% do time.

  • Luiz

    Ponto da Fabi? Na estatística cai como erro de defesa do Osasco.

    E o passe do Unilever? Que horror!!!!!! Mari pelo menos resolvia no ataque. Logan Tom não vê a hora de ir embora.

    • Daniel Bortoletto

      injusto tirar o mérito de quem fez. sempre defendi que o líbero pudesse pontuar, em casos assim

    • César Castro

      Luiz, você está para a Mari assim como o SóLove estava para a Sereia…

      kkkkkk

      • Luiz

        Ainda bem que eu não sei do que e nem de quem você está falando. Vai procurar um livro pra ler, vai!

        • César Castro

          Ah então vc não sabe, né? Então por que ficou nervosinho?
          Pois saiba, caro sabichão, que esses dois nomes são personagens de um livro.

          • Luiz

            Você mudou minha vida com esta informação! kkkkk

    • Ana

      Pq a Logan Tom nao ve a hora de ir embora?

      • Luiz

        É porque você não sabe das atitudes desta moça aqui no Rio de Janeiro. Ela parece detestar tudo e a todos. É um NOJO de pessoa.

      • Porque vc não vai embora. só porque ela não jogou bem.. pronto basta para alguem julgar..

        Acontece com qualquer jogadora… o povo tem que parar com isto.. que mania

  • Rafael

    Gostei de ver Gabi atuando em um clássico e se virando bem, mesmo tendo de entrar na fogueira. Antes da entrada dela, a impressão que tínhamos é que seria 3 x 0 pra Osasco.
    Fofao esteve irreconhecível ontem. Nunca vi um jogo tão ruim dela, mesmo assim esteve melhor que Fabiola. O passe das duas equipes estava matando as levantadoras.
    Comparando as estatísticas, Gabi estabilizou o passe da Unilever e se virou bem no ataque, saindo de quadra com 13 pontos. Thaisa, 11; Sheila, 14; Natalia, 15 mostram que Gabizinha teve ótima performance. Na minha opinião, seria a Viva vôlei.
    Pelo Osasco, Sheila esteve apagada, Fabiola nem sempre escolheu a melhor opção, mas teve que correr bastante com a recepção do Osasco, Jaque em um momento, pôs o Rio de volta a partida.
    Bom mesmo pra nós, que vimos um jogo muito disputado.

  • Gente não sei se vocês concordam comigo, esta temporada o passe do Osasco não é o mesmo do ano passado, será que é a troca da bola?, no final o passe horroroso da Unilever conseguiu ser melhor, outra coisa a Fabíola temporada passada com o passe na mão era uma coisa, agora precisando deslocar para levantar é a mesma levantadora do pinheiros, será q Zé Roberto estava certo quando disse: q sem o passe, Dani Lins é superior a ela, já q quando na temporada em q a Dani lins se transferiu para o Rio, principalmente nas duas primeiras, onde o passe do rio era excelente, era liderou o levantamento do início ao fim da superliga, e outra coisa, Dani lins com o passe horroroso do Sesi (diga-se principalmente a líbero) está melhor nas estatísticas que a Fabíola, o q vc acha Bruno?

    • Daniel Bortoletto

      Bruno?
      acho que respondeu ao blog errado

      • André

        hahahahaha!!!!

  • Graziely

    Este jogo n passa de uma grande ilusão para o unilever!! Pois claramente algumas jogadoras do Osasco estão fora de ritmo, a história irá se repetir novamente como no ano passado, ganhou o 1°turno p nd, vai chegar na final e levar um Sacode d novo, pois OSASCO É INFINITAMENTE MELHOR!! qnd Thaísa, Sheilla, Adenizia começarem a jogar em grande nível, fica impossivel p/ os outros times. o time do Unilever é bom, Osasco espetacular!! Unilever vai ter que jogar o que sabe e o q n sabe p ganhar desse time novamente. me cobrem no final da superliga.

  • Luiz

    Tão bom ver que o tônico que a Jaqueline tem tomado está acabando! A Velha Jaqueline está de volta. EBA!

    • Any

      Pensei a mesma coisa!

    • Juju

      kkkkkkkkkkkkkkkkk, é vdd.

    • César Castro

      Em compensação o tônico da Mari parece não ter chegado nem no meio da garrafa!

      kkkkkkk

      • Luiz

        A Mari não precisa de tônico. Ela só precisa estar bem fisicamente. E, quando está bem, bota qualquer uma no chão. Ainda bem que ela NUNCA foi pega no dopping pelo uso destes “tônicos”.

        • César Castro

          Não foi e nem vai ser. Mari aposentou, não te avisaram?

          kkkkkk

          • Luiz

            Avisaram sim, querida. A Mari nunca mais voltará a jogar volêi. Ela está morta e enterrada… kkkk

  • Caco

    Considero pouco fundamentados e totalmente parciais os comentários que afirmam que a Unilever vai ter que jogar tudo o que sabe para ser campeã.
    Osasco é um time mais forte. Investiu bem mais e conseguiu montar um timaço. É logicamente o favorito. No entanto, a partida de ontem não nos teria mostrado que a recíproca também é verdadeira? Do outro lado da quadra tem Fofão, Bernardinho e cia. Campeões e, se você bobear, mesmo sendo favorito, perde o jogo. Não é só a Unilever que vai ter que jogar tudo o que sabe. Se quiser ser campeão, Osasco também terá que jogar. Assim, volta a ser o favorito.
    Outra coisa: vejo as pessoas fazendo uma análise simplesmente técnica do jogo. Hoje em dia e cada vez mais a parte física compromete o desempenho da equipe. Precisamos lembrar que, tanto no ano passado como neste, as jogadoras de Osasco são muito mais jovens do que as do Rio de Janeiro. Fabi/Camila, Venturini e Fofão/Fabíola, Valeskinha e Juciely/Thaisa e Adenízia, Logam Tom/Jaqueline, etc. A entrada da Gabi ontem, sem dúvidas, e a volta da Natália (que ainda está bem abaixo do que poder jogar!) equilibraram, ainda que apenas um pouco, a parte física. Obviamente, as jogadoras de Osasco esbanjam vitalidade, o que se mostra pelo sistema defensivo mais rápido em se recompor, etc. Ontem, com as duas equipes sem estarem 100% fisicamente, pudemos ver a qualidade técnica do Rio de Janeiro (Fabi e Fofão são craques). Ou seja, Osasco é favorito sim. Tem um time mais completo que, além de ser excelente tecnicamente, é muito mais jovem. No entanto, vai ter que jogar tudo o que sabe e o que pode pois, ontem, o Rio também não esteve tão bem e levou a partida.

  • Calio

    Foi um jogo bom, mas ainda acredito (infelizmente) q o titulo sera do osasco. O time de garay jogou bem, e pode (pelo gabarito de suas jogadoras – leia-se a seleção quase por inteira) jogar mais. Adenizia mal chegou e ta bloqueando muito. Sheila, thaisa devem melhorar com o tempo. Do outro lado, logam dançou e gabi foi demais. Sarah dispensa comentários. Juciely poderia ter jogado um pouco mais… Agora, o que sempre me decepciona é a Natália… essa guria tem muita moral pelo pouco que faz… Falam tanto e apostam alto demais pelo q ela vem fazendo, pelo q ela vem jogando. Valeskinha jogou, nada demais. Fofão foi incrivel, tava meio apagada no inicio do jogo, ofuscada pela excelente recepção de natália, entrou, incorporou e botou lenha na fogueira… Ganhou o merecido prêmio.

    Se o unilever contratasse para a proxima temporada uma central mais eficiente (leia-se mais nova e querendo mostrar q sabe jogar – no lugar da valeskinha) e uma jogadora com potencial na recepção e no ataque, p substituir natália, quem sabe tenha um pouco mais de facilidade nos jogos…Além, é claro, de exportar logan de volta pros states… lógico.

  • Juju

    Esperava mais do jogo tecnicamente falando, o jogo em alguns momentos foi feio, com muitos erros. Acho que a Unilever taticamente é mais time do que o Osasco, o Bernardo é um excelente técnico, o comportamento dele é outro departamento. A Pavan é uma ótima jogadora, aos poucos vai demonstrando, a Fofão ainda me parece fora de forma, mas é genial, a Fabi é a melhor libero do mundo, apenas as ponteiras, quem diria, até o momento estão abaixo do esperado. A Logan está irreconhecível, não só ontem, tem feito jogos bem ruins e a Natália, na minha humilde opinião, será eterna promessa, pois tem força,mas falta inteligência para as vezes dar uma largada, bater a meia força… fora que depois de tantos meses treinando só passe acreditava que ela estaria melhor neste fundamento. Quanto ao Osasco, é opinião pessoal, mas acho que o problema é a Fabíola, sempre achei o toque dela plasticamente feio e faz escolhas equivocadas, mas agora ela simplesmente não acerta o tempo de bola da Sheila e da Thaisa, fora que insiste muito com a Jaque, que a despeito do bom jogo na final olimpica, nunca foi decisiva no ataque. Se o Osasco não conseguir que a oposta e a melhor central do time jogue, vai ficar dificil chegar ao título.

  • Afonso RJ

    Disseram muita coisa nos comentários sobre o jogo. Uns disseram que foi um jogo de alto nível, outros acharam o nível baixo, com muitos erros de parte a parte. Houve quem desmerecesse a vitória da Unilever, dizendo que o Sollys não ganhou porque não quis ?!?! (belas profissionais as do Sollys, né?). Culpam a Fabíola pelo mau desempenho da Sheilla, dizendo que ela não acerta o tempo de bola da oposta, mas se esquecem que seja lá a bola que receba, a Fe Garay vira quase todas. Me pergunto: acerta o tempo da Garay e não acerta o tempo da Sheilla? Acho a explicação mais óbvia é que a deficiência tem sido da Sheilla, e não da Fabíola (ou de ambas).

    Só agora à tarde pude assistir ao jogo. Bbaixei do you-tube e assisti na minha TV. Tem duas versões no you tube. Uma ótima e outra nem tanto. Minhas observações:

    1 – No time do Sollys, parecia que eu estava vendo Sheilla, Jaqueline, Thaísa e Fabíola, todas jogando aquele mesmo voleibol pequenininho que jogaram na seleção brasileira na temporada anterior às olimpíadas, e que deixaram a mim e a muitos outros observadores descrentes de uma boa campanha olímpica. E não estivemos muito longe da verdade, pois por muito pouco mesmo não caímos ainda na primeira fase.

    2 – Nosso blogueiro se surpreendeu com a excelente performance da Fe Garay. Eu não. Ela vem mantendo um nível altíssimo não é de hoje. Não foi à toa que tomou a vaga de Mari e depois da Paula Pequeno na seleção. Foi a melhor jogadora do Sollys ontem, e na minha opinião no momento é a melhor ponteira do Brasil.

    3 – Ontem ficou nítido porque o Zé levou a Fabizinha e não a Camila Brait para as olimpíadas. Não porque a Camilinha tenha se saído mal. Muito pelo contrário: fez uma partida fantástica. Mas a Fabizinha foi “de outro planeta”. Na minha opinião a Camila Brait é de longe a melhor líbero do mundo, mas paradoxalmente a Fabizinha ainda consegue ser um pouquinho melhor que ela 🙂

    4 – Confesso que eu estava meio cabreiro com a Sarah Pavan, achando a oposta meio desengonçada e com pouca força/velocidade no braço. Ontem vi que estava errado. A gringa jogou muito. Foi a maior pontuadora da partida e (sem desmerecer a Fofão) era ela quem deveria ter levado o viva vôlei. Com folgas.

    5 – Para os que dizem que o Sollys perdeu porque tinha jogadoras sem ritmo de jogo, podemos dizer que a Natália também se encontra na mesma situação. Ainda falta bastante para ela voltar a ser aquela jogadora que deu quase que sozinha o título da superliga 2009/2010 para o Sollys.

    6 – Ainda antes da abertura da superliga, num evento promocional, observei que a Logan Tom estava com uma tremenda cara de tédio. Depois veio aquele episódio que ela se atrasou para um jogo no ginásio do Tijuca, e acabou ficando de fora da partida. Depois do jogo de ontem, fiquei com a impressão mais forte ainda que há algo errado com a jogadora, e definitivamente ela parece não ter se adaptado e não estar feliz por aqui.

    7 – No geral achei um jogo muito bom, com um componente emocional muito forte, normal num clássico como esse, o que justifica a quantidadede erros acima do normal para o nível das duas equipes. O jogo foi muito equilibrado e ambas as equipes tiveram altos e baixos. A vitória poderia ter sido de qualquer uma das duas equipes, mas acho que pelo menos no jogo de ontem, a Unilever levou vantagem por ter um banco melhor: se Sheilla não vinha muito bem, a Ivna entrou e pouco mudou. Na equipe carioca, a entrada da Gabi no lugar da Logan Tom mudou a cara do time.

    8 – Quanto a jogos futuros entre as duas equipes, queria repetir o que com total propriedade se diz no futebol: Resultados de clássicos são imprevisíveis. Tudo pode acontecer.

    • Afonso RJ

      Correção: a maior pontuadora da partida foi a Garay com 24. Pavan foi a maior pontuadora da Unilever com 22.

      • João Lucas

        Parabéns pelo seu comentário, entretanto, discordo apenas das líberos. Em minha opinião Camila é superior a bicampeã olímpica, pois, Fabi é líbero defensora, faz defesas incríveis, recupera bolas perdidas, e acima de tudo é líder dentro de quadra, más no que concerne ao passe Fabiana decepciona. Alvim ao lado de Natália e Logan Tom (que está odiando estar no Brasil) estão entregando o jogo na recepção. Já Camila é uma defensora do mesmo porte de Fabiana, também faz defesas bárbaras, só que Brait é também passadora, dá um equilíbrio maior na recepção, no entanto, Camila Brait é mais completa.

        • Afonso RJ

          Obrigado, João Lucas. Mas essa discussão de líberos não tem fim. Ambas têm um enorme fã-clube, cada um defendendo sua preferência com argumentos válidos. Respeito sua opinião, mas mantenho a minha. Ainda acho a Fabizinha ligeiramente melhor.

  • Giovani

    Assistindo fiquei com a impressão de que a maior deficiência no jogo de ontem foi invariavelmente o passe, que complicou a atuação tanto da Fofão quanto da Fabíola. A grande questão é que sem a bola na mão a Fabíola não é precisa. É, no máximo, esforçada. Fofão tem estrela e Fabíola não. Agora, a Karine está muito abaixo do nível técnico exigido para a pressão da partida de ontem. As bolas sem tempo e praticamente passadas para o lado do Unilever por erro de precisão no levantamento pras pontas foi enorme. Por conta dos problemas de passe foi um jogo repleto de bolas de segurança, que não é o forte das jogadoras do Sollys. A exceção, é claro, é a excelente Fernanda Garay que vira o que vier. Essa estrutura de jogo favoreceu a virada de bola da Unilever, já que Sarah Pavan e Natália tem característica de se virar bem com bolas mais altas. Agora, para mim a vitória do time carioca tem nome: Gabi. Uma atuação impressionante que estabilizou o passe que vinha muito mal até então, além da regularidade no ataque. No duelo das líberos, um show a parte: uma atuação de gala de Camila Brait que, sem dúvida, é a nova dona da posição na seleção brasileira, e de Fabi, que cresceu nos momentos de grande pressão. Enfim, apesar dos erros, um jogo com emoção e destaque especial para o ritmo de defesa dos dois times.

  • Thamyres

    Não gostei desse clássico. Não foi um jogo muito bonito, houveram muito apagões de ambos os times. E determinadas horas o volume de jogo foi o que era pra ser no nível desse clássico . Defesas monstruosas de Fabiana e Camila. Fora que vi bons passes de ambas, bem como erros também.
    Fofão e Fabíola jogaram muito abaixo do que podem. tiveram momentos bons (poxa levantadora salva passe sim e como). Mas elas estiveram longe de serem as melhores.
    Opostas, de ambos os times erraram. Pavan soube explorar melhor com a sua canhota e salvou pontos com a direita. Sheilla, não estava confiante.
    Pontas, Gabi e Garay entraram em jogo e pareciam ser as únicas atacantes nos times.
    Jucy e Valeskinha voando, gosto de agilidade nessa posição. Gostei da volta da Ade, que fez um bom jogo, e assim como as meios do Uni, tbm é uma jogadora de agilidade. Thaisa não apareceu.

    Para mim o jogo tece dois nomes de cada equipe, e por sinal empatam ainda por cima por serem nas mesmas posições.
    As líberos Fabiana e Camila deram um show, mostrando que o Brasil, desde o nosso escadinha tem os melhores na posição. Passe , defesa e bolas recuperadas.
    As pontas Gabi e Fê Garay, eram as atacantes do jogo. Fizeram pontos bons, passaram bem e mostraram que o futuro da seleção ta ali.

    Outro ponto ruim, e Daniel, acho que seria legal você poder tratar disso futuramente, são os erros da arbitragem. Esse jogo teve alguns erros que, ao meu ver, um arbitro jogo responsabilidade pro outro que buscou os juízes de linha pra decidir.
    Em outro jogo dessa superliga houveram também muito erros, e erros grotescos da arbitragem.
    espero que futuramente o recurso do “desafio” testado no mundial de clubes possa chegar na nossa superliga, que merece pelo nível que vem sendo disputada e só tende há crescer.
    vlw galera

    • Bia Ferraz

      No Brasil o único ginásio que está preparado para o uso do desafio é o Maracanãzinho, a curto prazo vai ser complicado mudar isso.

  • João Lucas

    Tecnicamente falando foi um jogo muito mal jogado. Fofão ganhou o Viva Vôlei, porém, nada mostrou. A levantadora magistral não entrou em quadra, foram sucessivos levantamentos horrorosos só não foi pior porque no quesito “jacas” Fabíola e Karine superaram. Fabíola está com uma postura estranha, são bolas coladas na rede, erra o tempo das centrais e Karine é vibrante e só.

    Sarah Pavan no ataque sobra, entretanto, é inadmissível que uma oposta com 1,96cm cujas responsabilidades são apenas atacar e bloquear não tenha um bom bloqueio. Sheila foi engolida por Pavan e Ivna não correspondeu.

    Nas pontas Jaqueline segue irregular no ataque, porém, ao lado de Brait passa e defende como ninguém. Já Fernanda Garay está incrível, é a melhor ponteira do Brasil atualmente, erra alguns passes, entretanto, no ataque é difícil pará-la. Já pelo lado do Unilever as ponteiras Natália e Logan Tom não estão bem no passe. Tom segue estranha no ataque e Nat vem ressurgindo no que melhor sabe fazer que é atacar. A impressão que fica é que Natália não treinou passe na época em que treinava sem saltar. Gabi (admiro muito essa jogadora) estava iluminada, é corajosa no ataque e equilibrou o passe, se não fosse ela o Rio teria perdido fácil. O pesadelo passe do Rio de Janeiro volta a atormentar Bernardo.

    No meio Adenízia é vibrante como ela só, é de encher os olhos ver essa jogadora jogar é apaixonada pelo que faz. Valeskinha está mal na Superliga, entretanto, no principal jogo do primeiro turno foi muito bem no bloqueio e surpreendentemente engoliu Juciely. Por falar em Juciely é notório o bom momento que vive ela vive, só que ela e Thaísa não foram convidadas para o clássico. Aliás, Thaísa esteve outra vez apagada, fez uma partida horrorosa. Todos sabem da minha admiração por essa atleta, mas a central de Osasco está merecendo ficar no BANCO.

    O duelo das líberos foi para comprovar o que todos sabem, Camila Brait é superior a Fabi. Honestamente, Fabi melhor defende do que passa. A líbero do Unilever faz defesas espetaculares, más ao lado de Natália e Tom vêm entregando o jogo no passe. Já Brait além de fazer defesas espetaculares como Fabi, têm um passe soberbo.

    Sobre os treinadores, vejo Bernardo mais calmo e sereno, deu um baile básico em Luizomar tirou Tom no momento certo e apostou em Gabi. Já Luizomar bom, vou pular essa parte.

    • Afonso RJ

      Concordo com tudo, menos no quesito líberos. A Camilinha pode recepcionar melhor porque divide esse fundamento com Jaque e Fe Garay, enquanto que a Fabi tem que cobrir a Natália e a Logan “Bored” Tom. Claramente fica mais fácil para a mineirinha, e mesmo assim, ainda mandou umas jacas para a Fabíola e que me lembre pelo menos uma que a Valeskinha matou de cheque. E o “love” que a Fabizinha deu na Sheilla, fazendo-a provar do seu próprio remédio? Tinham que ter esvaziado o Maracanãzinho e obrigado todo o mundo a pagar outro ingresso! Respeito sua opinião, mas assim como o Zé Roberto, ainda prefiro a Fabizinha.

  • Voleyball

    O Praia Clube agradece o resultado do jogo.

    • Afonso RJ

      Só assim mesmo, porque tomou uma coça dos dois 🙂

      • kucas kazan

        rio 3 x 2 praia osasco 3 x 0 praia

  • Léo

    Lógica matemática:

    FOFÃO machucada, um ano parada, 42 anos, uma semana sem treinar…
    versus
    FABÍOLA jovem, alta, com as melhores jogadoras do Brasil Á disposição…
    resultado

    FOFÃO é superior!!!!!

    É isso mesmo produção?!

    • Afonso RJ

      Clap, clap, clap, clap (aplausos)
      Perfeito! Assino embaixo.

    • César Castro

      Não compare não, meu filho, que isso só traz tristeza.

  • Eduardo

    O Sollys nao ganhou pq nao quis..é verdade…se se acalmasse e sacasse um pouquinho melhor, um pouquinho mesmo…venceria facil o jogo…faltou calma e tranquilidade ao time paulista… ja o Unilever não é um dream time, mas bloqueia e defende bem…e só…o resto é contar com a sorte do outro time errar…a SL, provavelmente é de Osasco…AH Afonso RJ…lembre-se que as PROFISSIONAIS DO SOLLYS são da seleção…fica a dica..cada um interpreta se elas são belas profissionais ou não…

    • Afonso RJ

      Veja bem a sua assertiva:
      “As jogadoras do Sollys não ganharam porque não quiseram”.
      Simplesmente você as acusa de terem entregado o jogo de propósito. Que profissionais que se prezam fariam isso? É um absurdo sem tamanho. Pense duas vezes antes de escrever tamanha asneira!!!

  • kucas kazan

    ta certo que o sollys é a base da seleçao mas o que todo mundo nao fala é que o sollys teve muitos desfalques no 1 turno sheila,adenizia,brait e jaque e ainda o time conseguiu 21 pontos 2 derrotas e ficou em 3 lugar para mim o sollys fez uma boa campanha no 1 turno.

    • kucas kazan

      Correção: é lucas kazan.

  • walter

    Deixo aqui o link para um jogo bastante legal e para aquele que gostão de vôlei e que queirão aprender mais sobre esse esporte, nesse jogo nos temos que gerenciar um time de voleibol des da escalação até a evolução das infraestruturas do clube.
    Aqui está o link do jogo:
    http://www.vm-manager.org

    Ao se registrar você tem que esperar no mais tardar 2 dias até vc receber a sua equipe com 12 jogadores e um pavilhão. Você é automaticamente inscrito na liga e na copa e o melhor de tudo você não paga para disputar os melhores campeonastos!

MaisRecentes

Dia de aplaudir o Zenit Kazan



Continue Lendo

Praia x Minas e Sesc x Vôlei Nestlé. Quer mais?



Continue Lendo

Agora líbero, Murilo volta a ser relacionado após 8 meses



Continue Lendo