Uma prévia da Superliga masculina



Fiz um pequeno levantamento dos principais times masculinos do país, atendendo alguns pedidos no blog e no Twitter. Logicamente, ouvirei reclamações por não estarem todos os participantes da Superliga aqui, mas faz parte. A ordem dos textos obedece a colocação da temporada passada, antes que alguém conteste. Brevemente, farei o mesmo com os principais times femininos.

Como já escrevi aqui anteriormente, a próxima Superliga estará mais polarizada entre os homens, já que times de ponta fecharam as portas ou diminuíram radicalmente o orçamento. Assim, vejo três equipes no patamar mais alto: Sada/Cruzeiro, RJX e Sesi.

Logo abaixo, coloco Vivo/Minas e Medley/Campinas. Desta vez, o Vôlei Futuro, atual vice-campeão, será um azarão. O recém-formado precisa de um oposto para a vaga deixada por André Nascimento para entrar na briga por vaga nos playoffs, duelando com São Bernardo, Super Imperatriz (SC) e a Funvic, de Pinda.

Vocês têm a mesma percepção com os Estaduais em andamento?

Sada/Cruzeiro
Novidades: Leal, ponta cubano, Túlio, ponta ex-BMG/São Bernardo
Ponto forte: Manutenção da base campeã, com todos os titulares renovando contrato. Já sai na frente dos demais no quesito entrosamento. Leal é um talento e se destaca pela força. Mas ficar dois anos sem jogar demanda um bom tempo para recuperação do alto nível.
Time-base: William, Wallace, Filipe, Maurício, Douglas Cordeiro, Acácio e Serginho.

Vôlei Futuro
Novidades: Vice-campeão diminuiu investimento e perdeu vários atletas, como Camejo, Mário Jr., Lorena. A reposição foi com apostas, como Bruno Temponi e Polaco, ex-Vivo/Minas, o oposto Najari, que estava em Portugal
Ponto forte: Continuidade do levantador Ricardinho
Time-base: Ricardinho, Najari (Caio de Prá), Bruno Temponi, Guilherme Hage, Vini, Michael e Polaco.

Vivo/Minas
Novidades: Argentino Horácio Dileo chega para substituir Marcelo Fronckowiak. Junto com ele foi contratado o ponta Quiroga, capitão dos hermanos em Londres
Ponto forte: Mineiros mantiveram os destaques da última campanha: o tcheco Filip, o levantador Marcelinho e o ponta Lucarelli, que esteve em Londres como 13º jogador da Seleção. No papel tem time para, ao menos, repetir a última campanha.
Time-base: Marcelinho, Filip, Quiroga, Lucarelli, Otávio, Henrique e Victor (Caporal)

RJX
Novidades: Bruninho, Mário Júnior e Thiago Alves fazem parte da nova espinha dorsal de Marcelo Fronckowiak.
Ponto forte: É um time de selecionáveis, repetindo o rótulo da última temporada. É fortíssimo no papel, conta com entrosamento por vários atletas se conhecerem de outros clubes e da Seleção. Vai precisar provar em quadra que o investimento foi acertado.
Time-base: Bruninho, Théo, Dante, Thiago Alves, Lucão, Riad e Mário Júnior.

Sesi
Novidades: Lorena e Éder
Ponto forte: Destacam-se a  linha de passe com Murilo, Léo Mineiro e Escadinha e a força ofensiva de Lorena e Sidão. Da temporada passada para a atual, trocou Wallace por Lorena e Rodrigão por Éder. Pelo momento dos quatro, saiu ganhando.
Time-base: Sandro, Lorena, Murilo, Léo Mineiro, Sidão, Éder e Escadinha

Medley/Campinas
Novidades: Rivaldo, Renato, Despaigne e Alan
Ponto forte: Agora comandado por Marcos Pacheco, o time de Campinas tem uma base mais forte do que a da temporada passada. Pode pensar em incomodar os grandes desta vez.
Time-base: Rodriguinho, Rivaldo, Renato, Yurquin Despaigne, André Heller, Gustavão, Alan.

Canoas
O recém-criado time gaúcho tem uma base muito experiente, liderada por Gustavo. Estaria em outro patamar caso André Nascimento não tivesse abandonado o barco. Agora, depende de acertar na contratação do substituto para ter força para brigar pelos playoffs.
Time-base: Jotinha, ?, Dentinho, Minuzzi, Gustavo, Salsa e Jeffe.



MaisRecentes

Sesi joga melhor, bate Sada/Cruzeiro e fatura Supercopa



Continue Lendo

Seleção do Mundial não premiou destaques da final



Continue Lendo

Título coloca a Sérvia no topo após frustração olímpica



Continue Lendo