Uma despedida à altura



Eu vi, em Pequim, Fofão ser campeã olímpica.

Eu vi, no Rio de Janeiro, Fofão vencer a Superliga aos 45 anos.

Por fim, eu vi, em São Caetano do Sul, ela se despedir das quadras em uma festa emocionante.

O adeus da levantadora, neste domingo, foi digno de sua carreira. Ginásio lotado, homenagens antes, durante e após o jogo, diversas gerações de atletas presentes… Um ambiente mais do que agradável para um dia inesquecível.

E, na minha visão, uma festa que não foi apenas para Fofão. Ela extrapolou a despedida de uma atleta. Foi uma exaltação ao vôlei brasileiro, algo que poderia ter acontecido com tantos outros ídolos que contribuíram tanto e pararam sem uma despedida digna. Ana Moser, que não entrou em quadra, não conseguia dar um passo sem ser parada para fotos e autógrafos. Virna, que parou de jogar há cinco anos, teve o nome gritado pela torcida várias vezes, e se emocionou. Fabi, em um show à parte, levou o público ao delírio ao atuar como atacante.  Zé Roberto, no banco de reservas, segurou as lágrimas várias vezes. E tantas outras atletas, de diferentes momentos do vôlei nacional, juntas com aquele brilho no olhar, felizes por estarem dividindo a quadra em um dia tão especial. Fabiana, Sheilla, Paula Pequeno, Mari, Ida, Gabi, Natália, Bia e tantas outras. Cada uma com histórias e mais histórias ao lado de Fofão.

No ponto final, as jogadoras de um time abraçadas na rede, com as “adversárias” juntas para a recepção. Fofão saca, já chorando, e faz um ace. Ponto final de uma carreira vitoriosa, de um ser humano que consegue  ser unanimidade.

Repito algo que já escrevi antes: Obrigado por tudo, Fofão!

http://www.lancenet.com.br/minuto/Despedida-Fofao-Fotos-Cinara-Picollo_5_1363113678.html



MaisRecentes

Mais seguro, Brasil vence e está nas finais da Liga das Nações



Continue Lendo

Vaivém: Mais uma campeã da Superliga no Osasco/Audax



Continue Lendo

Na estreia de Lucas Lóh na Liga das Nações, Brasil se recupera



Continue Lendo