Uma boa estreia brasileira



Gostei da atuação da Seleção Brasileira diante da Alemanha, nesta segunda-feira, pela primeira rodada do Campeonato Mundial.

Levando em consideração a tensão natural de uma estreia e ter um bom time como rival, o Brasil teve momentos elogiáveis em Katowice na vitória por 3 sets a 0, parciais de 25-21, 25-19 e 25-17. Vamos a eles:

– A atuação de Lucão: no momento mais complicado da partida, após a parada do primeiro tempo técnico do set inicial, o central assumiu o protagonismo que se espera dele no ataque e no bloqueio. Fez cinco pontos seguidos e o Brasil deslanchou na parcial. Com o entrosamento que tem com Bruninho, Lucão pode e deve ser a bola de segurança em jogos importantes, fazendo com que o bloqueio não se preocupe apenas com Wallace.

Lucão e Lucarelli festejam (FIVB Divulgação)

Lucão e Lucarelli festejam (FIVB Divulgação)

– Os líberos: interessante a aposta de Bernardinho de optar por Felipe na defesa, deixando Mário Júnior apenas na recepção. Pode ser uma arma decisiva em jogos contra rivais com ataque mais poderoso. E achei que  Felipe não sentiu o peso da estreia em uma grande competição.

– Me pareceu proposital, já que Murilo teve problemas no pescoço durante a semana, a opção de Bruninho de pouco utilizar o experiente ponta no ataque. O camisa 8 é o principal responsável por estabilizar o passe e sempre é importante no bloqueio. Nesta segunda-feira, ainda foi importante em passagens no saque, sem forçar, usando apenas sua categoria. Marcou um lindo ace, encobrindo a recepção alemã, em um ponto plasticamente bonito, no primeiro set.

– A Alemanha mostrou ser “refém” de Grozer. O oposto, recentemente campeão mundial de clubes em BH, é o dono do time, tanto no ataque quanto no saque. Contra outros rivais, pode até ser suficiente. Mas diante do Brasil ele precisaria ter um suporte maior de Kaliberda ou dos centrais altos.

Fora da quadra, dois pontos:

– O desafio eletrônico tem funcionado muito bem. É a versão que, por enquanto, menos deixa dúvidas na marcação.

– Bola fora da FIVB não ter a estatística online dos jogos. Uma ferramente já tradicional, usada em todas as competições da entidade, dá lugar a um tosco sistema apenas com os titulares e os pontos por fundamento. Um passo atrás gigantesco.

Vocês gostaram do que viram?

PS: Pelas escassas estatísticas até aqui (11h), Lucarelli terminou o jogo com 13 pontos, um a mais do que Lucão. Grozer fez 11. Confira os demais números do duelo (http://wp.me/p1b2tr-1Xz)



MaisRecentes

Vaivém: “Livre”, Thaisa seguirá atuando no Brasil



Continue Lendo

Jaqueline chega ao Japão para substituir Drussyla



Continue Lendo

Vaivém: Abouba espera aproveitar chance da vida no EMS/Taubaté



Continue Lendo