Uma aula para as hermanas



Facilidade era prevista pelo desnível técnico, mas o Brasil colaborou muito para que o triunfo sobre a Argentina fosse ainda mais fácil.

Concentrado, preciso e sem dar chances para as vizinhas sul-americanas, a Seleção venceu por 3 sets a 0 (25-12, 25-15 e 25-8), pela penúltima rodada da fase de classificação do Grand Prix.

Líder invicto com 24 pontos, o Brasil se despede neste domingo, às 6h30, contra a Tailândia. Desta vez, transmissão apenas por Sportv e Esporte Interativo. Fabiana, com 17 pontos, com incríveis oito de bloqueio em apenas 1h de jogo, foi a destaque.

Mais uma vez, Zé Roberto iniciou o jogo com Fernanda Garay no lugar de Paula Pequeno. O restante do time titular foi o mesmo: Dani Lins, Sheilla, Fabiana, Thaisa, Mari e Fabi.



  • Afonso (RJ)

    Foi jogo de profissional contra amador. Mas o que mais chamou a atenção, foi, como frisou o Daniel, a concentração e a seriedade das nossas jogadoras. As hermanas pareciam até assustadas tal o volume de jogo da equipe brasileira.
    Dessa vez o Brasil foi bem em todos os fundamentos. A recepção foi boa, a defesa idem. Diferentemente de partidas anteriores, praticamente nenhuma “largadinha” caiu na quadra brasileira. Todas jogaram bem, inclusive Fabi e Sheilla, que na minha opinião fizeram a melhor partida delas até aqui. E a impressão que passa é que esa subida de produção se deu independentemente do adversário, reconhecidamente fraco. Estamos no caminho certo.

    • Mauricio

      Mesmo porque se as meninas escolhem adversários elas são “amarelonas”, diferentemente dos homens que saem como “espertões” ao entregar o jogo e evitar as principais seleções. Infelizmente, é assim que a grande maioria vê a seleção feminina, então resta ao ZRG enfrentar todos e todas para mostrar o talento que essa geração tem de sobre. Antes, sofríamos com o meio-de-rede, agora vemos a Fabizona e Thaisa detonando no meio, como eram as cubanas nos anos 90.

      Agora, me alegra ver a evolução da Garay, até melhor fisicamente que a Paula, apesar que esta também entrou querendo jogo.

      Cada vez mais vejo essa seleção com jogadoras sem posição certa, e talvez seja o trunfo do ZRG contra as principais equipes. Sheila ta marcada? Ele pode trabalhar com a Natália, Mari, Tandara, Garay e Jaqueline. O problema é a ponta? AS mesmas opções e todas com a característica de ataque potente e recepção razoável. Não foi por isso que a Joycinha perdeu espaço na equipe?

      Muito bom…apesar de ter sido jogo fraco, foi bom ver a alegria e determinação da nossa equipe hoje de manhã.

      • Diogo Márcio

        Joycinha perdeu a vaga não porque ela tem uma recepção razoável, até porque ela não recepciona; mas pelo fato que ela não se destacou da maneira que o Zé esperava na Yeltsin Cup, só atua é uma posição e Tandara têm melhores fundamentos se comparada com ela (saque e ataque, como por exemplo). Jaqueline tem uma boa recepção; Mari, Natália e Tandara tem uma recepção razoável, porque começaram jogando como oposta e foram adaptadas a ponta.

  • Diogo Márcio

    Sinto a falta da Pinedo nesse time argentino, uma grande ponteira. Pinedo e Costagrande nas pontas + centrais com padrão internacional, o time seria bastante forte! A líbero que era a 1° no ranking da FIVB, já caiu algumas posições.

    Estava na hora da Dani trabalhar melhor com as centrais e principalmente com a Fabiana, que vem se destacando um pouco menos. Garay fez sua parte com: boas defesas, belos ataque e um lindo sorriso – kkkk, Mari precisa tomar mais cuidado na hora da recepção, a levantadora melhorar as bolas para Sheila, pois ela não faz milagre e esperar a volta da PP4 – que já estamos prontos, para o Ouro!

    Rússia esta sentido a derrota contra a Kim, foi para o tiebreak com o time misto da Sérvia e sem as principais jogadoras servas (oposta: Brakocevic e levantadora: Ognjenovic). Ganhando 1 ponto e com a derrota das italianas, as servas sobe uma posição e “troca” de grupo na segunda fase.

    Grupo A – China – EUA (3°) – Sérvia (4°) – Japão (7°)
    Grupo B – Brasil (1°) – Rússia (2°) – Itália (5°) – Tailândia (6°)

  • rubens

    Tava no ginásio vendo a Gamova de perto ela parece um prédio é alta pra caramba!Mas tem uma central que e da mesma altura que ela à número 16 Merkulova, Mahkno,Goncharova são lindas ,mas me chamou atenção a Matienko (levantadora) achei ela muito bonita com aquele corte de cabelo e o penteado ela fica muito charmosa.

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo