Um pouco de Marcelo Mendez, o mais mineiro dos argentinos



20 torneios disputados nas últimas cinco temporadas, com 18 finais e 15 títulos, o último deles no domingo, no Mineirinho. Um aproveitamento incrível de conquistas, que inclui dois sul-americanos e um mundial.

Os números falam melhor do que qualquer elogio escrito aqui sobre o trabalho do treinador Marcelo Mendez à frente do Sada/Cruzeiro. Um argentino que escreve, ano após ano, uma história riquíssima no Brasil. 24 horas após vencer a Superliga pela terceira vez, ele me atendeu, por telefone, com a mesma serenidade que costuma mostrar em quadra, mesmo nos momentos mais difíceis do seu time. E, já na primeira resposta, tive mais uma convicção sobre um dos segredos do sucesso de Marcelo e da equipe celeste.

Já conseguiu desligar após a comemoração do título?, perguntei.

“Descansei. Mas já estou pensando no próximo desafio”.

Esse é Marcelo Mendez, que chegou ao Sada/Cruzeiro em 2009, após passagem pelo Montes Claros. Na ocasião, era considerado por todos, inclusive este blogueiro, como uma aposta. O Brasil já havia visto o sucesso de outro argentino no vôlei brasileiro: Javier Weber. Ele chegava sem pompa e cerimônia ao Cruzeiro, na época um clube de camisa no futebol que se aventurava em outro esporte coletivo. A expectativa criada era pequena.

O vitorioso Marcelo Mendez (Divulgação)

O vitorioso Marcelo Mendez (Divulgação)

Aos poucos, foi montando uma equipe sem grandes astros. O oposto Wallace chegou em 2010. William, que brilhava no país-natal de Mendez, desembarcou em BH em 2011, juntamente com o ponteiro Filipe e o líbero Serginho. Começava a ser formada uma base, sem grandes astros milionários, que não muda radicalmente ano por ano. E está aí outro segredo do sucesso do Sada/Cruzeiro.

– Eles se conhecem mesmo com uma troca de olhares, nos bons e nos maus momentos. Isso me dá uma tranquilidade para trabalhar. São guerreiros, trabalhadores. Costumamos fazer uma, duas mudanças no elenco por ano. Pequenas mudanças, sempre pensando em melhorar. Podemos trazer um estrangeiro, como foi o Winters (canadense) na última temporada, ou também trazendo alguns meninos da base – explica Marcelo Mendez, já emendando outra assunto da entrevista e, certamente, outro tópico do case de sucesso mineiro no vôlei.

O Sada/Cruzeiro conquistou nesta temporada, além da Superliga em cima do Sesi, a Superliga B em final contra o Bento Gonçalves. O time que joga a divisão da acesso, sabendo que não poderá garantir a vaga na elite, é formado por garotos que sonham em ser Wallaces, Filipes, Serginhos, Williams da vida. Jovens que o argentino dá rodagem para que possa utilizar nas próximas temporadas no time adulto.

Um deles, por exemplo, acabou de ser convocado, nesta manhã, por Bernardinho para a Seleção Brasileira que disputará a Liga Mundial e o Pan-Americano. Fernando Cachopa, levantador de 19 anos, se firmou como reserva imediato de William na última Superliga.

– Estou muito feliz. Acabei de acompanhar a convocação do Bernardinho. Fernando é um garoto com muito talento. Mostra a excelência do trabalho que está sendo feito aqui. Muitos garotos do time B trabalham conosco no dia a dia. Além do Fernando, temos o Alan (oposto que entrou na final de ontem), Eder Levi, Rodriguinho, Kadu, Pedrão, que estava emprestado ao Montes Claros e vai voltar. Todos eles vão ocupar, no futuro, um espaço aqui no Sada/Cruzeiro. Eles passam por um momento de mostrar que podem jogar no time profissional – comenta o treinador, que tem no assistente Henrique Furtado o comandante da equipe de base.

Formar jogadores é um legado que Marcelo Mendez pretende deixar no Brasil. Talvez, mais do que os títulos, uma resposta, mesmo que inconsciente, para seu país-natal. O sucesso do técnico no vizinho e rival parece até incomodar os hermanos. Alguns cronistas locais cobraram, no último processo de troca de comando na seleção argentina, mais atenção com Marcelo. Em vão! Ele não se abala, mas não esconde uma ponta de decepção.

– Na Argentina temos um ditado: Ninguém é profeta na sua terra. Eu tinha uma ilusão, mas hoje prefiro não criar mais expectativas. Não é uma preocupação que eu tenho. Logicamente receberia com satisfação um chamado – revela.

Coincidência ou não, as férias que desfrutará, a partir de hoje, não serão aproveitadas na Argentina.

– Pela primeira vez, nestes anos todos, vou ficar em Belo Horizonte. Minha filha está na escola. Meu filho (Nico) está jogando na França.  Então eu fico por aqui – diz Mendes, rindo após ser chamado de o mais mineiro dos argentinos.



  • humberto

    um parenteses para falar de outro assunto,o mercado nacional do volei,duas contrataçoes feitas pelo taubaté:
    – o central otavio do minas veio para o lugar do mauricio que vai pro campinas.
    – o oposto da seleção canadense Gavin Schmitt é o novo oposto do taubaté.

  • GIORGIO

    Daniel boa tarde!

    Será que o Winters e eder ficarão?

    Acha que o sada cruzeiro precisa contratar para o mundial?

    Obrigado

    • klaus

      Deveria efetivar o Rodriguinho no lugar do Winters

      • João Paulo

        Acho complicado, pois o Rodriguinho tem como principal característica, o ataque. Marcelo Mendez sempre preza por ter no banco, um ponteiro que dê volume no passe. Com as características do Rodriguinho na reserva, já há o Kadu. Talvez se o Kadu for emprestado, como aconteceu com o Pedrão, por exemplo, o Rodriguinho tenha mais chances.

  • aline

    Parabéns ao excelente técnico MARCELO MENDEZ!
    PARABÉNS À REDE TV!
    Basta o LEAL se naturalizar brasileiro que ele pode ser convocado pelo BERNARDINHO.
    a NATURALIZAÇÃO não depende da FIVB e sim do governo brasileiro.
    O governo brasileiro NÃO PRECISA DE AUTORIZAÇÃO DA FIVB PARA NATURALIZAR NINGUÉM!!!
    A regre da FIVB é simples:
    1. Quem defendeu QUALQUER SELEÇÃO,basta ficar 2 ANOS sem jogar por essa seleção, para poder atuar por uma OUTRA SELEÇÃO.
    2. Essa regra VALE PARA TODOS OS JOGADORES DE VÔLEI.
    3. TAISMARY AGUERO só precisava ficar 2 anos sem defender CUBA para defender a ITÁLIA.
    4. CAROLINA COSTAGRANDE também, só 2 ANOS sem jogar pela ARGENTINA para atuar pela ITÁLIA.
    5. GONCHAROVA-OBMOCHAEVA, 2 ANOS afastada da UCRÂNIA bastava para defender a RÚSSIA.
    6. MARIANNE STEINBRECHER é possuidora de cidadania ALEMÃ. Afastada da seleção BRASILEIRA 2012, Mari afirma que vem sendo sondada constantemente pelos dirigentes da equipe nacional alemã.
    7. BRUNO ZANUTO está livre para defender a ITÁLIA.
    8. Rosir Calderon FOI NATURALIZADA RUSSA e poderia defender a russa caso GONCHAROVA-OBMOCHAEVA não fosse escalada.
    9. Osmany Juantorena Portuondo, CUBANO como LEAL, já foi naturalizado ITALIANO e já está HÁ MAIS DE 2 ANOS SEM DEFENDER CUBA.
    Portanto, o problema não é da FIVB, basta que o governo brasileiro LIBERE A NATURALIZAÇÃO DO LEAL, que o BERNARDINHO pode convocá-lo À VONTADE!!!
    Porém LEAL tem que ter PASSAPORTE BRASILEIRO, enquanto for “apenas” cubano, não é possível a convocação. LEAL já está há MUITO MAIS DE 2 ANOS sem jogar por CUBA, logo, pela FIVB, NÃO HÁ IMPEDIMENTO ALGUM!!!
    A única restrição da FIVB é que 2 JOGADORES QUE JÁ DEFENDERAM OUTRA SELEÇÃO NÃO PODEM JOGAR JUNTOS POR OUTRA SELEÇÃO. Exemplo: AGUERO e COSTAGRANDE não poderiam jogar juntas pela ITÁLIA, AGUERO se aposentou da seleção e, aí sim, COSTAGRANDE entrou. Já o caso de INDRE SOROKAITE é diferente, apesar de ter nascido na LITUÂNIA, ela nunca defendeu a SELEÇÃO LITUANA, LOGO ELA NÃO IMPEDIMENTO NENHUM DE JOGAR PELA ITÁLIA JUNTO COM A COSTAGRANDE.

    • rafael cruzeiro

      Para o Leal se naturalizar, ELE TEM QUE REQUERER. Então, depende primeiramente da vontade dele.

      CRUZEIRO, CRUZEIRO QUERIDO, TÃO COMBATIDO, JAMAIS VENCIDO.

      • Billy

        Nossa!!! Rafael cruzeiro você deve estar com amnésia.Concordo com o TÃO COMBATIDO mas não com o JAMAIS VENCIDO(o cruzeiro não é imbatível e já teve várias derrotas sim).Quanta babação de ovo…

        • João Paulo

          Calma cara, ele só reproduziu um trecho do hino do Cruzeiro.

          • Billy

            Me desculpe João,mas é que eu não conheço o hino do Cruzeiro(se realmente diz essas palavras …acho um equívoco pois é muito difícil alguém jamais ser vencido)

  • Zury Luz

    Parabéns ao competente e sereno Marcelo Mendez. Um líder que não aparece para as câmeras, mas o reflexo do seu sério trabalho pode ser observado através das inúmeras conquistas nos últimos anos (Copa do Brasil, Sul-Americano, 3 Superligas e Mundial de Clubes). E aguardem q virão muito mais. O time ficará ainda melhor, Pedrão e Rodriguinho deverão ser incorporados a equipe na próxima temporada. O Allan e o Éder Levi já estão lá. Enfim o time só vai evoluir na próxima temporada.

  • Marcelo Mendez deveria suceder o Bernardinho na Seleção masculina depois da Olimpíada.

  • jose herbert arujo

    Oh Daniel pq o mundial de clubes masculino foi para setembro e o feminino é agora em maio?uma pena pq com certeza não será a mesma equipe da superliga, pois os contratos acabaram com o término da superliga.

    • Daniel Bortoletto

      coisas do calendário do futebol mundial

  • Antonio Vôlei

    Marcelo Mendez traz no semblante a serenidade dos sábios e o olhar de guerreiro, sempre atento aos detalhes, que fazem toda a diferença em um esporte tão disputado como o Voleibol. Sorte a nossa de ter um profissional do seu gabarito no comando de um time que se fez vencedor ao longo dos anos, independente de nacionalidade.
    Daniel, lamento apenas não ter citado na reportagem a contribuição do Douglas Cordeiro na parte que você conta a chegada de Wallace e Willian, que chegou ao time em 2008, ainda antes da parceria com o Cruzeiro e que acreditou no projeto muito antes do sucesso atual.

MaisRecentes

Um líder por pontos ganhos. Outro por pontos perdidos



Continue Lendo

Camponesa/Minas quebra longa invencibilidade em Osasco



Continue Lendo

Placar RedeTV!: Futebol 2 x 0 Vôlei



Continue Lendo