Um passeio que deu até sono



Podem bocejar à vontade, senhoras e senhores.

O confronto entre Brasil e Bélgica, nesta madrugada, deu sono de tão fácil que foi. A Seleção conquistou sua segunda vitória na fase final do Grand Prix, em Tóquio, em sets diretos, parciais de 25-10, 25-12 e 25-12.

Thaisa, com impressionantes sete pontos de saque, foi a maior pontuadora do duelo: 13 acertos. Van Hecke anotou nove para as belgas.

Diante de tanta facilidade, difícil apontar muitos méritos da Seleção. Talvez não perder a concentração seja um deles, evitando assim que algumas das parciais fosse mais complicada. O bloqueio fez a diferença também. Foram 13 pontos marcados, em boa parte fruto do saque, já citado acima, que fez estragos na frágil recepção da Bélgica.

No fim do terceiro set, diante de tamanha tranquilidade, José Roberto Guimarães colocou as reservas em quadra (apenas Tandara iniciou a parcial). Destas, Adenízia foi quem mais pontuou: cinco pontos.

Lendo o resumo da entrevista coletiva dos técnicos e dos capitães, a frase de Gert van Broek, comandante belga, explica bem o sentimento de todos em relação ao jogo:

– Parabéns para o Brasil não apenas pelo resultado – não é uma surpresa perder por 3 a 0 para eles – mas sim pela forma com que jogou hoje. Taticamente, foram excelentes. Não nos deram oportunidades na recepção e no ataque.  Então quase não tivemos chances para pontuar. É até bom perder desta forma para aprender. Estou desapontado, mas não porque perdemos. Eu não posso reclamar pois não tivemos nenhuma chance. É um nível diferente de jogo, temos de admitir.

A capitã Leys resumiu bem o jogo.

– Elas nos deram uma lição hoje.

Lição dada, o Brasil terá agora uma final para disputar contra a Rússia, que nesta sexta se complicou na briga pelo título ao vencer a Turquia apenas no tie-break. Agora, as europeias estão dois pontos atrás do Brasil (7 a 5). Para levar a decisão do GP para a última rodada, contra o Japão, a Seleção tem que vencer sem necessidade de cinco sets amanhã. E aí assim dependerá de outro triunfo, na rodada final, diante das donas da casa, para faturar o caneco.



  • Paulo

    Adenizia voltando do departamento médico e Natália entrando, espero que não seja nada grave. Apesar de torcer para o Brasil, não seria nada mal ver o Japão campeão.

MaisRecentes

Definidos os grupos do Mundial masculino de clubes



Continue Lendo

As quartas de final do Paulista masculino



Continue Lendo

Bruninho e Renan analisam conquista



Continue Lendo