Um papo com Fernanda Garay



Titular na vitória do Brasil sobre o Japão, ontem, no quarto e último amistoso da série, a ponta Fernanda Garay conversou com exclusividade com o blog após o 3 a 2, no Maracanãzinho.

Ela fez um balanço da temporada de estreia pelo Dínamo Krasnodar, da Rússia, além de projetar o desempenho da Seleção em 2015.

BALANÇO TEMPORADA 2014/2015

“Acho que o saldo foi muito positivo na temporada. Jogamos Copa da Rússia, Campeonato Nacional, Mundial de Clubes e Copa CEV (segundo principal campeonato euroeu). Das quatro ganhamos duas (Copas da Rússia e CEV), ficamos uma em segundo (Mundial) e na outra não fomos muito bem (derrota nas quartas de final do Russo). Então, posso garantir que o saldo foi positivo”

Garay em ação contra o Japão (Alexandre Arruda/Divulgação CBV)

Garay em ação contra o Japão (Alexandre Arruda/Divulgação CBV)

A EXPERIÊNCIA RUSSA

“A minha expectativa de Rússia não existia. Antes de receber a oportunidade de trabalhar lá, não tinha muita informação. Mas o nível do campeonato é muito forte, adversários com piores colocações costumam dar trabalho nos jogos. Na questão do relacionamento com as jogadoras russas, foi tudo tranquilo. Só não foi melhor pela dificuldade da língua. Elas não falam quase nada de inglês. Então, no começo, me relacionava mais com a Pasynkova (ponta), que falava inglês, com a Sokolova, que fala bem, e, é claro, com a Fabíola o tempo inteiro. Aos poucos fui aprendendo um pouco de russo, mas elas sempre foram simpáticas, me trataram bem. Hoje já falo um pouquinho de russo e isso também ajuda”

TRABALHO COM UM GRUPO MAIOR DE ATLETAS

“Está sendo bom até aqui. As jogadoras estão buscando dar algo a mais, para assim conseguirem se manter no grupo”

MOMENTO

“Fisicamente estou um pouco atrás das demais jogadoras, pois elas tiveram mais tempo de treino (Garay se apresentou com as jogadoras do Rexona, que também disputaram o Mundial de Clubes). Mas estou me dedicando ao máximo para me equiparar a elas, pois teremos uma primeira fase muito forte no Grand Prix, a segunda também, ainda mais sendo no Brasil. A intenção é tentar me recuperar o mais rapidamente possível”



MaisRecentes

Vaivém: “Livre”, Thaisa seguirá atuando no Brasil



Continue Lendo

Jaqueline chega ao Japão para substituir Drussyla



Continue Lendo

Vaivém: Abouba espera aproveitar chance da vida no EMS/Taubaté



Continue Lendo