Torneios amistosos deveriam se multiplicar



Se eu tivesse poder de mudar o calendário do esporte brasileiro, diminuiria a quantidade de datas dos Campeonatos Estaduais e daria mais espaço para competições regionais e/ou liberdade para excursões e disputa de torneios internacionais.

Pensamento que serve para o futebol, mas que também se encaixa perfeitamente no vôlei. Vivemos atualmente o período dos Estaduais. Alguns deles, bem mais enfraquecidos do que em temporadas anteriores. Outros só existem por existir, pois já se sabe quem vencerá antes de a bola subir. Por isso, apoio a ideia de aumentar torneios como a Copa Volta Redonda e o Top Four, ou ver mais times como o Panasonic Panthers, do Japão, que realizou vários amistosos pelo país. Que tal fazer um torneio Rio-São Paulo, uma Copa Sul-Minas ou criar uma Copa do Brasil, disputada no Nordeste, em dois finais de semanas, coisa rápida, sem prejuízo ao calendário?

O quadrangular carioca, por exemplo, teve início ontem, com o RJX fazendo 3 a 0 no Super Imperatriz, de Floripa. Enquanto eu escrevia o post, jogavam Volta Redonda e UPCN, time argentino que perdeu na semana passada o título Sul-Americano para o Sada/Cruzeiro.

É o tipo de evento que movimenta a cidade, permite que os patrocinadores exponham sua marca e também coloca o ídolo perto da criança, talvez uma futura atleta. Falando da parte técnica, permite intercâmbio, dá ritmo de jogo para os reforços e também para os selecionáveis, que sempre se integram depois aos times.

No fim do mês, acontecerá o Top Four, entre os dias 27 e 29, em duas cidades do Rio Grande do Sul.

No dia 27, em Santo Ângelo, jogarão Bolívar x Canoas e RJX x Vivo/Minas. No dia seguinte, em Ijuí, RJX x Canoas e Vivo/Minas x Bolívar. No dia 29, também em Ijuí, a rodada final com Vivo/Minas x Canoas e RJX x Bolívar. O público poderá ver Giba, Dennis e Suxho, os reforços do time argentino, Gustavo e André Nascimento, os pilares do novo time gaúcho, os gringos Filip e Quiroga, do Minas, além dos selecionáveis Bruninho, Lucão, Mário Júnior, Theo, Thiago Alves, Lucarelli… É ou não um prato cheio para o torcedor?

Talvez vocês já conheçam, mas em Ijuí existe um projeto bem bacana, idealizado e comandado por Alex Lenz, ex-jogador com passagem por todas as Seleções Brasileira. Deixo o endereço para que terem mais detalhes: http://www.provolei.com.br/

Tenho certeza de que os garotos e garotas que participam do projeto terão um ânimo renovado depois de acompanharem tantos craques de perto.

 



  • Fernando

    Concordo Daniel

    O calendário brasileiro é muito enfraquecido. Os patrocinadores só tem a oportunidade de mostrar sua marca praticamente apenas na superliga, sendo que bancam uma temporada inteira. Tem os estaduais, alguns até interessantes , o paulista é forte, o Mineiro já foi mais forte, mas é recheado de rivalidade , mas podem sim ser menores.
    É comum vermos as equipes ganhando forma apenas lá pela metade da sl, se tivessemos um calendario mais agitado as equipes já chegariam prontas, os patrocinadores teriam mais espaço e os torcedores não ficariam reféns apenas de jogos de superliga.

    Os clubes precisam acordar e perceberem que eles tem o poder, se reúnam , criem alternativas, vai ser melhor pra todos.

  • Júnior-RS

    Daniel e pessoal, alguém lembra da Copa Brasil?
    Em 2007 ou 2008 a CBV havia criado a Copa Brasil, um campeonato com 4 clubes, tiro curto, que era mais ou menos nessa época do ano. Pena q nao tem mais, tinha vários aperitivos e tinha td para dar certo…lembro q era disputado num fim de semana em uma cidade só, a fase classificatória era em melhor de três sets, havia site do campeonato, com informações e td…Tinha tb a Salonpas Cup, outro torneio interessante, era disputado no Ibirapuera se n me engano e havia clubes estrangeiros…mas ultimamente temos regredido muito nessa questão de campeonatos e estamos muito atrás por exemplo da Europa, que conta com a tradicional Champions League, além de paises como a Itália terem o seu campeonato nacional, Supercopa e Copa Itália…
    Eu já ouvi falar do projeto do Alex Lenz, ele já existe a algum tempo, foi criado logo após o Alex ter se aposentado…mto interessante esse torneio q terá lá em Ijuí…qm sabe futuramente um projeto de Superliga do Alex…torço mto!

  • leandro

    Daniel, está faltando no calendário a Copa do Brasil, principalmente antes do início da Superliga porque não é todos os estados participantes da Superliga que tem campeonatos estaduais. Minas Gerais por exemplo este ano não tem o Campeonato Estadual Feminino e o Minas Tênis e o Praia estão sem jogar.

  • Mauro Lima

    Concordo em parte com você. Acho que o campeonato brasileiro é que deveria mudar, ser disputado em metade do tempo como por exemplo dividiria os 20 clubes em 4 grupos de 5 jogando todos em ida e volta, o 5º colocado de cada grupo estaria rebaixado e os dois primeiros se classificariam para jogar no sistema mata-mata, com isso o campeonato precisaria da metade das datas. Não concordo em diminuir os Estaduais, acho que deveria era ser fortalecido, única maneira de termos times pequenos em atividade mais tempo para que possam ter condições de se sustentarem pois se diminurimos a tendência é que eles sumam, exemplo claro os times pequenos tradicionais do Rio. Temos que enchergarmos o Campeonato Brasileiro como a Copa da UEFA e os Estaduais como os campeonatos dos países da europa ( Espanhol, Italiano, Ingles, Portugues, etc ) e valorizarmos as competições regionais e/ou liberdade para excursões e disputa de torneios internacionais.

    • leandro

      Desculpe Mauro Lima, mas na minha opinião, você falou uma tremenda bobagem.

      Outra coisa, estamos falando de vôlei e não de futebol.

MaisRecentes

Semana positiva das Seleções adultas



Continue Lendo

Coluna: O polêmico teste na regra do vôlei



Continue Lendo

Vaivém: Mais estrangeiras na Superliga?



Continue Lendo