Título sul-americano valeu pela seriedade brasileira



Sem qualquer susto, a Seleção Brasileira feminina cumpriu sua obrigação e conquistou o Sul-Americano, disputado em Lima, no Peru.

Na final, atropelou a Argentina, parciais de 25-10, 25-7 e 25-17. Jaqueline, com 14 pontos, foi a maior anotadora.

O aspecto que deve ser ressaltado após o previsível título é que o Brasil demonstrou seriedade no decorrer da competição. Às vezes é difícil um time amplamente favorito não se acomodar e levar um susto qualquer na campanha. Pelas parciais da final, percebe-se que as hermanas, que haviam batido o Peru na semifinal, não tiveram qualquer chance de assustar as brasileiras. E foi assim contra todas as demais e frágeis adversárias.

Fora isso, Zé Roberto sabe que analisar atuações individuais merece sempre um peso menor justamente pelo nível dos rivais enfrentados. Ele terá algumas definições importantes para fazer no elenco, caso tenha todas as jogadoras disponíveis para a convocação.

Fora isso é preparar fisicamente o  time para a maratona da Copa do Mundo, o campeonato mais desgastante do calendário da FIVB, com 11 partidas em 15 dias, no Japão. Faltando os dois convidados que serão anunciados esta semana pela Federação, os demais participantes da Copa serão Japão, Sérvia, EUA, China, Alemanha, Quênia, Coreia, Argélia e República Dominicana.



  • Mauricio

    Bem que podiam convidar a Turquia e a Colômbia.

  • Afonso (RJ)

    Parabéns para nossas meninas, que mesmo em face de adversários mais fraco, fez o seu dever de casa e arrematou com brio mais um título para o currículo.

    Realmente esse campeonato não serviu de parâmetro para avaliação do rendimento individual das atletas. Mesmo assim, vale ressaltar a subida de produção da Dani Lins com o maior entrosamento com as companheiras e a volta da Jaqueline com a corda toda. Mesmo com a fragilidade das adversárias, ela voltou muito bem à seleção. Já a Thaísa não me pareceu com a costumeira fome de bola.

    Já está todo o mundo falando do Mundial, mas antes tem o Panamericano de Guadalajara. O Zé ainda vai ter mais oportunidades para definir o grupo do Mundial, e dessa vez com adversários de peso como USA e Rep. Dominicana. Estarei viajando no período. Na volta me atualizo.

  • Ismael

    Campeonato fraco demais… não dá avaliar nada e ninguém! Parece mais um treino ! O nosso time reserva faria mil vezes melhor contra as titulares!

    Fazer Sheilla e Mari jogarem esse campeonato é de chorar!

  • Diogo Márcio

    – Brasil fez mais que sua obrigação. Agora é torce para ganhar o Ouro Inédito na Copa do Mundo e ganhar Ouro (inédito, para algumas jogadoras e pro Zé) no Pan =)

    – Premiação Individual: Pontuadora: Montaño (COL); Atacante: Mari (BRA); Bloqueadora: Fabiana (BRA); Sacadora: Zuleta (COL); Levantadora: Keldibekova (PER); Passadora: Palacios (PER); Libero: Fabi (BRA); Defensora: Gaido (ARG); MVP: Sheilla (BRA)

    – Pra quem perdeu o jogo http://www.youtube.com/watch?v=w0_7RdP2R0M

    -BandSports vai exibir o Mundial de Clubes

    • klaus

      O Brasil é o atual campeão da Copa do Mundo, tanto no feminino quanto no masculino.O Brasil foi vice-campeão em 2009 mas na Copa dos Campeões, que reune somente os campeões de cada continente.

      • Diogo Márcio

        No site da CBV consta que a seleção feminina não ganhou a última Copa do Mundo (2007), ficou com a Prata.

        • Adriano

          Sim, tem razão.

  • Jailson

    Pobre Pani Lins.Não ganha prêmio de melhor levantadora nem no sul americano.A sim,ela ganhou no gp 2011, por ser nas finais a menos ruim…

  • Raffael

    Acho que esse campeonato não serve de parametro pra nossa seleção. Ver a Jaque de volta me deixa muito feliz. Quanto ela ser a maior pontuadora da final tambem é outra coisa que não me enche os olhos. Que o Jaque liderando a equipe do fundo de quadra, espremendo a fubazinha e mandando bem no passe, e nas horas vagas, aí sim atacar.Acho a Jaque importantissima pra essa seleção, seja no time titular ou no banco.

MaisRecentes

Semana positiva das Seleções adultas



Continue Lendo

Coluna: O polêmico teste na regra do vôlei



Continue Lendo

Vaivém: Mais estrangeiras na Superliga?



Continue Lendo