Tijuana, dia 2: Aprendendo a burlar regras desde cedo



2 a 1 em sets para a Eslovênia diante da Turquia, na abertura da segunda fase do Campeonato Mundial sub-21, em Tijuana, no México.

O ponta turco Mehmet Hacioglu vai para o saque. E faz um ace. Antes de colocar a bola em jogo mais uma vez, leva o cartão amarelo. Motivo: o espertinho, malandramente, passou a mão na testa, tirou o suor e passou na bola. Queria atrapalhar a recepção eslovena. Mas a arbitragem, que tem deixado muitas marcações básicas passarem durante a competição, estava de olho e desta vez marcou.

Está aí o espertinho turco (Silvio Avila/FIVB Divulgação)

Está aí o espertinho turco (Silvio Avila/FIVB Divulgação)

Hacioglu, com o rabinho entre as pernas, apenas acenou para a arbitragem, concordando com a marcação. Ao fundo, o técnico Baris Ozdemir apenas observava.

Durante a primeira fase, em Mexicali, vi várias situações com outros tipos de malandragem. E quase sempre os árbitros fingiam não ver e deixavam o jogo rolar. No duelo China e Irã, os dois times formavam a “barreira” para impedir que a recepção adversária tivesse como ver a trajetória do saque. Foi do início ao fim da partida e os árbitros ignoraram a artimanha.

Os chineses também passaram todo o jogo com o posicionamento errado em uma passagem de rede. Nada foi marcado. No primeiro ponto da partida contra o Brasil, a China repetiu a dose. O juiz, desta vez, marcou. E eles pararam de utilizar a “esperteza”. Neste caso, vale citar que a delegação brasileira fez uma reclamação aos coordenadores de arbitragem antes do duelo avisando do artifício.

Talvez eu seja purista demais, mas acho que técnicos, principalmente nas categorias de base, têm função também de educadores. Se permitem ou até estimulam pequenas falcatruas estão influenciado negativamente a passagem deste garotos para a vida adulta.

PS: O time do espertinho turco ganhou de virada o jogo com a Eslovênia por 3 sets a 2. Jogaço. Eslovenos abriram 2 a 0, tiveram match point no terceiro e quarto sets, mas levaram o empate. A Turquia abriu 14 a 10 no tie-break, cedeu a igualdade, mas fechou em 16 a 14.

Os eslovenos serão os rivais do Brasil amanhã, enquanto os turcos serão adversários na quinta-feira.

 



MaisRecentes

Minas espera Hooker ainda em outubro



Continue Lendo

Vaivém: Vôlei Nestlé confirma apresentação de peruana



Continue Lendo

Vaivém: Polonesa é esperada em Barueri



Continue Lendo