Testes e vitória esperada sobre o Quênia



25-15, 25-16 e 25-9.

Não esperava que fosse diferente o placar do que o apresentado acima contra o Quênia, independentemente do resultado da véspera contra os EUA.

Zé Roberto escalou várias reservas para saírem jogando (Tandara, Adenízia, Juciely, Sassá) e manteve Dani Lins, Fernanda Garay e Fabi, que foram titulares na estreia.

Como já disse em torneios anteriores, pegar um rival fraco não dá parâmetros para se analisar muita coisa. Fora dar ritmo de jogo para algumas atletas e aumentar o entrosamento, pouco se aproveita para o futuro. Tandara com 15 pontos e Garay com 11 foram as maiores anotadoras.

Contra a Alemanha, nesta madrugada, o técnico já pode dar indícios de sua insatisfação com algumas atletas ao mudar aos poucos a base titular. Sinceramente, não acredito em mudanças radicais. É esperar para ver.

Para quem ainda pensava em título da Copa do Mundo, a coisa se complicou, já que as americanas fizeram 3 a 0 num desfalcado time sérvio. Pensar em classificação olímpica, no momento, é mais racional.



MaisRecentes

Definida a tabela da fase final da Liga das Nações masculina



Continue Lendo

Colômbia, de Rizola, perde decisão por vaga na Liga das Nações



Continue Lendo

Vaivém: Domingas reencontra, em Osasco, Luizomar



Continue Lendo