O primeiro teste do Brasil diante da Polônia



O primeiro teste da Seleção Brasileira feminina contra a Polônia comprovou o abismo existente entre ambos. Sem dificuldades, a equipe comandada por José Roberto Guimarães venceu o amistoso por 4 sets a 0, parciais de 25-16, 25-12, 25-23 e 25-14 (na parcial extra), na noite de ontem, no Mineirinho, em Belo Horizonte. Mas nem por isso o teste não foi útil.

Natália foi a maior pontuadora brasileira com 15 acertos, seguida por Tandara (13), Rosamaria e Bia (10). A central do Vôlei Nestlé foi uma das novidades, após se recuperar de lesão e ficar fora do Torneio de Montreux. Na Suíça, Adenízia foi a titular. Bia, inclusive, é uma das apostas da comissão técnica para o Grand Prix. Sem Juciely e Thaisa, operadas recentemente, e Fabiana, ausente neste início de ciclo, há espaço para novos nomes ganharem espaço. Bia parece mais madura após trocar o Sesi por Osasco. Fisicamente mais magra, tecnicamente eficiente (bateu recorde de bloqueios na última Superliga) e mentalmente mais consciente de que pode voar mais alto na Seleção.

Como previsto, Zé Roberto utilizou todas as atletas à disposição. Além do quarteto citado acima, Roberta, Carol e Suelen foram titulares. Da equipe que disputou o Torneio de Montreux, outra novidade foi a presença de Macris, na vaga que foi de Naiane em Montreux. Também entraram Edinara, Mara, Amanda, Gabi e Fernanda Tomé.

– Esses amistosos servem para termos informações de onde nós precisamos evoluir. A Polônia chegou ontem e ainda está sofrendo com o fuso horário. Acredito que elas vão dar mais trabalho no amistoso em São Paulo. Ainda precisamos ajustar algumas coisas. Não temos um time alto e precisamos imprimir velocidade. Hoje gostei do sincronismo do bloqueio com a defesa e também do ajuste do nosso passe. Também conseguimos ser precisos no saque – analisou José Roberto Guimarães, já citando o confronto desta quinta-feira, no Ibirapuera, às 21h30.

A destacar também o público. Foram 4.508 pessoas presentes no jogo. Para boa parte dos ginásio do país seria um bom público. Mas para o gigante Mineirinho ficou uma grande sensação de vazio.



MaisRecentes

Não sei em quem apostar na Superliga feminina



Continue Lendo

Coluna: Um por todos, todos contra Taubaté na Superliga?



Continue Lendo

Caramuru usa artifício jurídico para jogar a Superliga



Continue Lendo