Tandara voa, mas Camponesa/Minas estraga festa do Vôlei Nestlé



Um jogaço em Belo Horizonte! Uma forma bem simples para definir o 3 a 2 do Camponesa/Minas sobre o Vôlei Nestlé, na noite desta quinta-feira, pelo returno da Superliga Cimed Feminina.

E parece estranho usar o segundo parágrafo para o perdedor, mas o feito me obriga. Tandara terminou o duelo com a marca de 38 pontos, ficando a um de igualar o recorde de maior pontuação da história da competição que estava nas mãos de Tifanny, do Bauru, também obtido nesta temporada. Protagonistas na rodada passada, as duas voltam a ser citadas no mesmo texto (PARA QUEM LEU LOGO APÓS A PUBLICAÇÃO, A CBV PUBLICOU A SÚMULA DO JOGO COM UM NÚMERO DIFERENTE DE PONTOS DO QUE O DIVULGADO PELO SPORTV).

Certamente Tandara seria a vencedora do Troféu VivaVôlei Cimed caso a vitória fosse do Vôlei Nestlé. Mas o triunfo mineiro fez o prêmio parar nas mãos da americana Hooker, como mostra o tuíte abaixo.

– Eu trocaria os pontos pela vitória, para ficar posição à frente. Tivemos um apagão nos primeiros sets, melhoramos, mas demos uma deslizada no tie-break – comentou Tandara, ao SporTV, que recebeu o incrível número de 69 bolas levantadas no jogo, colocando 35 no chão.

Tandara encara o bloqueio do Minas (João Pires/Fotojump)

A análise de Tandara ajuda a resumir o jogo. O Minas foi soberano nos dois primeiros sets. As parciais deixam a superioridade claríssima: 25-16 e 25-18. Tudo parecia caminhar para um 3 a 0 retumbante. Mas o Vôlei Nestlé reagiu. Graças principalmente ao apetite ofensivo de Tandara, vencendo o terceiro set por 25-20 e o quarto por 25-23.

O Minas tinha tudo para entrar abatido no tie-break. Mas ao abrir 5 a 2 deu um recado para as visitantes. Luizomar de Moura voltou para a quadra a central Bia, que vinha em noite apagada. A reação aconteceu e a virada no oitavo ponto aconteceu com vantagem mínima das mineiras: 8 a 7. Mas daí para frente o time de Stefano Lavarini mostrou mais volume de jogo e eficiência nos contra-ataques para fechar em 15 a 11.

– Os dois primeiros sets foram rápidos e conseguimos vencer com tranquilidade. Tivemos alguns erros no terceiro e no quarto set e, com isso, o Osasco cresceu. No tie-break, não nos abalamos e fizemos aquilo que treinamos. Fiquei muito feliz por ter voltado a jogar bem e por ter ajudado o nosso time. Trabalhamos unidas e, por isso, conseguimos essa vitória – comentou Hooker, autora de 24 pontos.

Confira abaixo uma galeria de fotos da partidas:

A vitória fez o Minas reassumir o terceiro lugar, agora com 42 pontos, um a mais do que o próprio Vôlei Nestlé. O consolo para o time de Osasco é ter um jogo a menos em relação ao rival. A disputa promete nas três rodadas finais.

Os jogos restantes para os dois times:

Minas – Sesc e Renata/Valinhos, ambos fora de casa

Vôlei Nestlé – Dentil/Praia Clube (casa), Sesi (casa) e Sesc (fora)

Façam suas apostas!



MaisRecentes

Quem fica com as últimas vagas na Superliga masculina?



Continue Lendo

Giovane encaminha manutenção do vôlei carioca na Superliga



Continue Lendo

Basta! Nada justifica ameaças de morte



Continue Lendo