Tandara é mais uma a discordar da presença de Tifanny na Superliga



O esperado encontro entre Tandara e Tifanny terminou empatado: 31 pontos para cada. Mas quem comemorou na noite desta sexta-feira foi a oposto da Seleção.

No Ginásio José Liberatti, em Osasco, o Vôlei Nestlé derrotou o Bauru por 3 sets a 2, parciais de 25-19, 25-20, 18-25, 19-25 e 15-10, com Tandara eleita a melhor em quadra e faturando o Troféu VivaVôlei Cimed.

Ao fim da partida, Tandara deu sua opinião sobre Tifanny, a primeira transexual a atuar na Superliga feminina. E ficou ao lado de outras atletas, como Sheilla e Fabiana.

– É um assunto delicado. Muitas atletas se posicionaram e receberam críticas. Eu estava me resguardando, esperando esse jogo, porque sabia que seria questionada. Por isso, estudei, conversei com especialistas, como nosso fisiologista, preparador físico, fisioterapeuta, entre outros, e hoje posso dizer que não concordo com a participação da Tifanny na Superliga Feminina. Quero deixar bem claro que respeito muito a história dela, que é importante para a sociedade. Sou solidária e tenho carinho, porém, independentemente se ela faz diferença ou não em quadra, seu desenvolvimento foi como sexo masculino, tem mais massa muscular, quadril mais fino, o que favorece a impulsão, tem pulmão maior, e leva vantagem. É um assunto delicado e merece mais estudos. Mas quero deixar claro que não é homofobia, é fisiologia – disse Tandara.

Tandara festeja contra Bauru (João Pires/Divulgação)

O delicado assunto está longe de terminar. Compreensível pelo ineditismo e pela complexidade de separar as questões fisiológicas envolvidas do preconceito. E aqui não vai nenhuma crítica para Tandara, que aparentemente procurou se informar antes de emitir uma opinião sobre o caso. E o acirramento entre os lados só deve aumentar com o nítido crescimento de Bauru com a presença de Tifanny em quadra.

Abaixo uma comparação dos números entre Tandara e Tifanny na partida:

  • Total de pontos: 31 – 31
  • Bolas atacadas: 50 – 54
  • Pontos de ataque: 28 – 29
  • Erros de ataque: 7 – 4
  • Ataques bloqueados: 5 – 5
  • Aproveitamento: 56% – 54%
  • Aces: 2 – 0
  • Pontos de bloqueio: 1 – 2

Com o resultado, o Vôlei Nestlé saltou para 40 pontos, igualando o Camponesa/Minas, mas assumindo a terceira posição. O time de BH encerra a rodada neste sábado, no clássico contra o líder invicto Dentil/Praia Clube.

ATUALIZAÇÃO: Tifanny respondeu as críticas após o jogo. Essa frase dada ao Saída de Rede, do Uol, resume a posição dela:

– Estou aqui simplesmente porque tenho talento.

A jogadora de Bauru alegou que está tranquila sobre uma provável mudança nas regras internacionais, alegando que sua taxa de testosterona é de 0,2, bem abaixo dos 10 permitidos e dos 5 que deverão ser adotados.

 

 



MaisRecentes

Coluna: mercado já sente reflexos da crise mundial



Continue Lendo

Itambé/Minas planeja time “em volta” de Macris



Continue Lendo

Osasco Audax quer a volta de Tandara



Continue Lendo