Susto, virada e vaga nas mãos



Meus caros, cada jogo é um sufoco para o Brasil no torneio olímpico de vôlei, seja entre os homens ou entre as mulheres, hein!

Neste sábado, mais um susto daqueles, agora no masculino. O time de Bernardinho flertou com a derrota ao levar 2 a 1 da Sérvia, mas teve maturidade para virar e afastar o risco de eliminação.

Sidão foi o destaque entre os titulares. Marcou 15 pontos, sendo seis deles no bloqueio. Foi quase perfeito no ataque e importantíssimo em várias passagens pelo saque. É, até agora, o jogador mais regular desta campanha olímpica.

Murilo também merece citação. Em alguns momentos, lembra aquele jogador impecável do Mundial de 2010. Será decisivo em jogos cascudos nos Jogos. Fez 12 pontos, três deles em aces.

Wallace e Rodrigão foram os destaques que saíram do banco. Entraram em quadra com a Sérvia pressionando, principalmente com os dois Kovacevics. O oposto virou bolas em momentos decisivos, além de ter feito um ponto de defesa, algo raro no esporte. Acendeu o time e deu uma opção segura para Bruninho, que alternou bons e maus momentos no jogo, principalmente nas jogadas com Dante e Vissotto. Já o central melhorou o bloqueio, algo que Lucão não conseguiu fazer.

A importante vitória deixa a classificação interessante. O Brasil divide o segundo lugar com a Rússia, com oito pontos. Antes, um registro importante: Que virada russa para cima dos EUA! Perdiam por 2 a 0 e estavam atrás no terceiro set, por 22 a 19. Tiveram cabeça no lugar e mostraram que seguem na briga pelo ouro. Olho neles! Voltando ao Brasil. Na última rodada, duelo com a Alemanha, que soma cinco pontos, mesmo número dos sérvios. Vencer dois sets já afasta a possibilidade de ser quarto colocado e provavelmente encarar a Polônia. Vencer o jogo por 3 a 0 dá a certeza do segundo lugar, pois estamos na frente dos russos nos sets average. Já que os americanos, com dez, pegarão a Tunísia e sairão em primeiro.



MaisRecentes

Mais seguro, Brasil vence e está nas finais da Liga das Nações



Continue Lendo

Vaivém: Mais uma campeã da Superliga no Osasco/Audax



Continue Lendo

Na estreia de Lucas Lóh na Liga das Nações, Brasil se recupera



Continue Lendo