Superliga feminina terá mesma fórmula da masculina



A CBV confirmou no início da noite desta segunda-feira que a Superliga feminina seguirá a fórmula de disputa da versão masculina.

Após reunião na sede da entidade, no Rio, os clubes aceitaram a fórmula com dois jogos na decisão (com a possibilidade de realização do golden set, em caso de empate), playoffs das quartas de final em melhor de três jogos e semifinais com até cinco partidas.

Clubes e CBV também definiram que o desafio eletrônico para auxiliar a arbitragem será utilizado a partir das semifinais. O modelo de tecnologia a ser implementado ainda não foi definido.



MaisRecentes

Coluna: Como é estranho ver eliminações em série do Sada/Cruzeiro



Continue Lendo

Coluna: Está na hora de o Brasil olhar mais para “fora”



Continue Lendo

Coluna: Retrospectiva de A a Z do vôlei em 2018



Continue Lendo