Sollys/Nestlé ignora força do Vôlei Futuro e fatura título com 3 a 0



No papel, o Vôlei Futuro tinha um time mais forte em quadra. Mas na prática o título da Copa São Paulo feminina ficou com o Sollys/Nestlé.

Neste domingo, o time de Osasco venceu o rival de Araçatuba por 3 sets a 0, com parciais de 25/21, 25/20 e 25/23, no Ginásio Poliesportivo de São Bernardo do Campo.

Luizomar de Moura escalou um time bem mesclado entre jovens e experientes, com as selecionáveis Jaqueline e Camila Brait, além das novatas Samara, Bia e Larissa.  Já Jorge Edson, que substitui Paulo Coco, que está no Grand Prix, pôde contar com uma base mais rodada, com Walewska, Carol Gattaz, Joycinha e Ana Tiemi. Mas isso não foi suficiente para equilibrar a final.

– Temos de destacar o projeto, já que não temos as principais jogadoras e as juvenis mostraram estar em condições de defender o clube. Ainda ressalto o apoio das mais velhas, que sabem da importância de assumir a responsabilidade a ajudar as jovens. E nada melhor do que mostrar isso com o título – disse Luizomar.

– Fizemos um ótimo torneio e, nessa final, contra um time forte, o time se comportou bem, sacando bem e com um bloqueio eficiente. As meninas mais novas, Samara, Bia e Larissa, mostraram personalidade e nos ajudaram muito. Depois da conquista do Sul-Americano, vencer a Copa São Paulo é a certeza de que nosso trabalho está sendo bem feito e nos dá ainda mais moral e motivação para buscar mais esse título – reforçou Jaqueline.

A experiente Walewska, que volta a atuar no Brasil depois de sete anos, ressaltou o importância do torneio para ganhar ritmo.

– Fiquei muito tempo fora e cada jogo consigo ganhar mais ritmo e entrosamento com minhas companheiras do Vôlei Futuro. Queríamos o título, mas foi um bom começo de temporada.



MaisRecentes

Giovane encaminha manutenção do vôlei carioca na Superliga



Continue Lendo

Basta! Nada justifica ameaças de morte



Continue Lendo

As duas formas de ver o novo Sesi



Continue Lendo