Sollys/Nestlé ignora força do Vôlei Futuro e fatura título com 3 a 0



No papel, o Vôlei Futuro tinha um time mais forte em quadra. Mas na prática o título da Copa São Paulo feminina ficou com o Sollys/Nestlé.

Neste domingo, o time de Osasco venceu o rival de Araçatuba por 3 sets a 0, com parciais de 25/21, 25/20 e 25/23, no Ginásio Poliesportivo de São Bernardo do Campo.

Luizomar de Moura escalou um time bem mesclado entre jovens e experientes, com as selecionáveis Jaqueline e Camila Brait, além das novatas Samara, Bia e Larissa.  Já Jorge Edson, que substitui Paulo Coco, que está no Grand Prix, pôde contar com uma base mais rodada, com Walewska, Carol Gattaz, Joycinha e Ana Tiemi. Mas isso não foi suficiente para equilibrar a final.

– Temos de destacar o projeto, já que não temos as principais jogadoras e as juvenis mostraram estar em condições de defender o clube. Ainda ressalto o apoio das mais velhas, que sabem da importância de assumir a responsabilidade a ajudar as jovens. E nada melhor do que mostrar isso com o título – disse Luizomar.

– Fizemos um ótimo torneio e, nessa final, contra um time forte, o time se comportou bem, sacando bem e com um bloqueio eficiente. As meninas mais novas, Samara, Bia e Larissa, mostraram personalidade e nos ajudaram muito. Depois da conquista do Sul-Americano, vencer a Copa São Paulo é a certeza de que nosso trabalho está sendo bem feito e nos dá ainda mais moral e motivação para buscar mais esse título – reforçou Jaqueline.

A experiente Walewska, que volta a atuar no Brasil depois de sete anos, ressaltou o importância do torneio para ganhar ritmo.

– Fiquei muito tempo fora e cada jogo consigo ganhar mais ritmo e entrosamento com minhas companheiras do Vôlei Futuro. Queríamos o título, mas foi um bom começo de temporada.



  • Diogo Márcio

    Acreditava que o VF fosse ser o campeão por ter jogadoras que passaram pela seleção e possuem mais experiência – Esse jogo mostra a importância da base, pois metade do time do Sollys é juvenil. Parabéns Laranjinhas *-*

  • Paulo

    O time do VF, mesmo completo, é um emaranhado de jogadoras que dificilmente dará certo.

    Tiemi/Joyce – PP2/Garay – Wal/Gattaz. Vejam, Tiemi é pragmática; Joyce fraca; as pontas não são um primor no passe nem nem características de “matadoras”; as centrais são mais de “volume de jogo”. Um time montado praticamente do zero, e quer ser campeão, necessariamente, deveria montar uma equipe com uma ponta de volume de jogo, estilo Sassá, e uma fazedora de ponto, estilo Tandara; O mesmo para centrais, uma pontuadora como a fabiana e uma de volume como a Wal.

  • @alcidesxavier

    Tenho quase certeza que esta final, tambpem acontecerá no Paulista. Afinal Pinheiros e São Bernardo não tem time para desbancar esses dois grandões!
    Luizomar deve agradecer ao ZRG por ter levado Jaque e Brait sem elas, acredito que a história seria outra. Pelo que acompanho, Jaque esta sacando viagem e em todos os jogos foi a mior pontura com no minímo 15pts sinal que ela vem numa crescente para carimbar seu passaporte rumo a Londres. Tô louco para começar a SL Hooker/Jaque e Tanda vai ser demaiss!

  • jardel lima de almeida

    fico muito feliz com esse crescimento da equipe do osasco, pois sou grande fã dessas meninas que veste a camisa laranjinha do osasco. Espero que quando o time estiver completo espero que possa desbancar as outras equipes e ser vencedora da superliga 2011/2012. Continue assim esto torcendo por vocês.

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo