Sollys não decepciona. Trentino atropela



A primeira metade das semifinais do Mundial de Clubes apresentou a lógica na abertura e uma surra sem dó nem piedade na sequência.

Como previsto por todos, o Sollys/Nestlé bateu o Lancheras, de Porto Rico, por 3 a 0, parciais de 25-13, 25-15 e 25-15. Sem dar qualquer chance para o rival, o time brasileiro aguarda agora Fenerbahce ou Rabita Baku.

O jogo foi tão fácil que Luizomar de Moura colocou várias reservas em quadra e o panorama do jogo não mudou. Thaisa, uma das titulares a jogar toda a partida, foi a  maior pontuadora com 10 acertos, seguida pela companheira de posição Adenízia, com nove. Entre as reservas, Ivna pontuou cinco vezes.

Uma moleza sem tamanho, que não vale como referência para a final. O mérito do time foi ter mantido a concentração e a seriedade contra um adversário tão fraquinho.

Na sequência, um outro atropelamento. Porém, o nível entre os dois era muito mais parecido, o que transforma o resultado do Trentino sobre o Zenit Kazan, de certa forma, em assustador.

O atual tricampeão do mundo triturou o rival ao fazer 3 a 0, parciais de 25-14, 25-20 e 25-14. O tcheco Stokr e o cubano Juantorena, 19 e 17 pontos, respectivamente, lideraram o Trentino.

Admito estar espantado com a facilidade com que os italianos esmagaram os russos.  Vejam os números:

– O único a chegar em dois dígitos de pontuação no Zenit foi Mikhaylov, com 11

– Os russos fizeram apenas um ponto de bloqueio em três sets, com Berezhko, que é ponta, não central. Mérito para a variação de jogadas do levantador Rapha e para o espantoso aproveitamento dos atacantes. O Trentino pontuou dez vezes no fundamento. 

– No saque, três pontos russos, metade do que fizeram os italianos.

– O bom ponta americano Matt Anderson fez apenas três pontos, sendo sacado logo no início.

Bom, se Sada/Cruzeiro ou Belchatow quiserem impedir o tetra do Trentino, terão de jogar muita bola.

 



MaisRecentes

Reflexão sobre o momento da Seleção é necessária



Continue Lendo

O novo capítulo de uma relação conturbada entre Brait e Zé Roberto



Continue Lendo

Coluna: A empolgante decisão da Superliga feminina



Continue Lendo