Sólido, Brasil bate Holanda e está na semi da Liga das Nações



Com uma atuação quase irretocável, o Brasil avançou para as semifinais da Liga das Nações antecipadamente.

Nesta quinta-feira, em Nanjing, na China, vitória sobre a Holanda por 3 sets a 0, parciais de 25-16, 25-17 e 25-23.

A Seleção Brasileira foi soberana e dona das ações durante toda a partida. Poucos sinais de instabilidade, principalmente após abrir 2 a 0. Foram vários exemplos de jogos parecidos na fase de classificação, com perda de concentração, derrota em set subsequente e dificuldade para fechar o jogo.

Uma estatística importante para explicar a construção do domínio verde-amarelo. Foram apenas cinco pontos dados de graça pelo Brasil até a metade do segundo set. Número baixíssimo.

Individualmente, a melhor notícia foi a performance de Gabi. Atuando em quase toda a fase inicial apenas em um set, a ponta demonstrou evolução física, ficou em quadra o jogo todo e foi peça importante na virada de bola, principalmente nos dois sets iniciais.

Recebeu 26 bolas, colocou 12 no chão e terminou o duelo com 14 pontos. Dividiu assim a responsabilidade com a oposto Tandara, autora de mais 17.

A citar também os seis pontos de Adenízia no bloqueio, de um total de dez feito pelo time.

Amanda encara o bloqueio holandês (FIVB Divulgação)

O jogo de hoje ainda mostrou muita segurança da recepção brasileira. Mérito, além de Gabi, já citada acima, para Suelen e Amanda.

A Holanda, que saiu na frente da China na estreia e levou a virada, só conseguiu quebrar o passe brasileiro em raríssimas passagens pelo saque e ficou muito refém de Sloetjes no ataque (15 pontos). Pouco para conseguir equilibrar uma partida decisiva.

Achei que o técnico Jamie Morrison demorou para usar Plak, uma opção ofensiva sempre interessante. Usada apenas no fim do terceiro set, terminou com cinco pontos.

O resultado transforma a partida desta sexta do Brasil contra as donas da casa como importante apenas para definir a posição no grupo e o emparceiramento na semi. Quem vencer acabará na liderança e pegará o segundo da outra chave.

Como a Turquia surpreendeu a Sérvia nesta madrugada, no tie-break, todos ainda estão vivos. As turcas torcem por vitória americana sobre as sérvias, para assim avançarem em segundo.

LEIA TAMBÉM

+ Pausa no jogo para um show musical



MaisRecentes

Giovane encaminha manutenção do vôlei carioca na Superliga



Continue Lendo

Basta! Nada justifica ameaças de morte



Continue Lendo

As duas formas de ver o novo Sesi



Continue Lendo